Blog do Sakamoto

E se o Brasil devolvesse quem não é índio para seu “país de origem”?

Leonardo Sakamoto

Perguntinha idiota essa acima, não é? Mas vamos fazer um exercício de reflexão e imaginar, por um instante, a mesma coisa sob uma perspectiva possível.

Vou dar uma mãozinha. Paragominas, no Estado do Pará, conta com um programa oficial a fim de devolver migrantes para suas regiões de origem. Não é a primeira nem será a última cidade a ter um política desse tipo. O nome do programa, na minha opinião, é irônico de doer: ''Mão Amiga''. Amiga de quem? – pergunto… Afinal de contas, dar um lanche, uma passagem e um ''até logo'' não é a melhor forma de lidar com pessoas que viajaram em busca de emprego seguindo a propaganda que, durante décadas, foi martelada no inconsciente dos nordestinos: vá para a Amazônia, pois lá correm rios de leite e mel.

Paragominas fica em uma região de fronteira agropecuária e extrativista mais consolidada e, hoje, não necessita de tanta mão de obra não-especializada (como é o caso da maioria dos migrantes com baixa escolaridade) como outros municípios que estão em pleno boom de crescimento. A cidade já enfrenta, aliás, algumas consequências do colapso posterior à sanha dilapidatória da exploração dos recursos naturais. De acordo com boa matéria sobre o caso, publicada na Folha de S.Paulo deste domingo, o prefeito já chegou a enviar representantes ao Maranhão para fazer contrainformação, ou seja, espalhar que não há emprego em Paragominas. Não seria mais útil investir em um sistema de informações sobre empregos, como um Sine rural, que envolvesse acordos entre municípios emissores e receptores de mão de obra?

O caso me lembra outro, dessa vez claramente hostil, mas que carrega o mesmo DNA. Tempos atrás, um grupo de guaranis foi enxotado de uma cidade gaúcha, pois os donos do lugar não queriam índios zanzando na região. Colocaram a carga indesejada em uma kombi e a depositaram no município de São Miguel das Missões que, de acordo com a prefeitura descontente, dona da kombi e do direito de ir e vir, lá sim era terra de índio.

A prática de desaguar o problema em outro município é mais frequente no Brasil do que relata a mídia. Quem acompanha o dia-a-dia de populações tradicionais sabe o quão isso é comum. Com ciganos então, nem se fala. O preconceito aflora de tal maneira que não me admiraria começarem a surgir placas com dizeres do tipo ''Proibido Ciganos e Cachorros'' na entrada das cidades (na França, falta muito pouco para isso…)

(Infelizmente, ainda acreditamos que a) estamos em uma democracia racial e b) vivemos em um país socialmente justo – em que não são necessárias políticas específicas para grupos sociais vulneráveis. Ilusões só comparáveis ao Coelhinho da Páscoa ou à Mulher de Branco – que mora nos banheiros das escolas.)

Ou, pior, culpamos os migrantes de roubar empregos, trazer violência, sobrecarregar os serviços públicos porque é mais fácil jogar a responsabilidade em quem não tem voz (apesar de darem braços para gerarem riqueza para o lugar em que vivem) do que criar mecanismos para trazê-los para o lado de dentro do muro que os separa da dignidade.

  1. mario lisboa

    18/12/2010 20:22:27

    GlaissonÉ fácil falar ai do RJ ou SP, tomando choppe no final da tarde e acesssando a internet. Leva esses caras aí pra copacabana e faz outra favela bem do lado da tua casa

  2. Rodrigo Rezende

    29/09/2010 22:22:52

    Na minha escola voce realmente não iria.É exigido um teste basico de admissão que sua burrice te impediria de entrar.KKKK

  3. Fernando

    29/09/2010 19:42:19

    Andre L, perfeito...parece que o sujeito que comentou abaixo de sua observação , tão ávido estava para discordar que nem leu direito seu comentário...mas me permita : o que não dá para entender é como é que o uol permite que violentem nosso suado dinherinho para manter este tipo de sujeito e um blog destes no ar... de uma indigência e uma estreiteza mentais impressionantes.!

  4. Mauro Lisboa

    29/09/2010 08:10:33

    Colapso acontece nas cidades que recebem migrantes desqualificados. Aumenta a violência, invasões, miséria, etcc.. Cada cidade deve ter programas para acolher a sua gente. Essas cidades que exportam migrantes precisam ter gestão.

  5. Mauro Lisboa

    29/09/2010 08:02:33

    Quem deve ir para a cadeia é a Roseana Sarney que manda o povo dela para Paragominas. Parabéns à Paragominas pela decisão

  6. Renato Assunção

    29/09/2010 08:00:21

    Pior é quem manda. A Roseana Sarney coloca num ônibus e manda para o Pará e seus municípios. Paragominas tá só devolvendo para sua origem e família. Parabéns Paragominas. Abaixo Roseana

  7. Renato Assunção

    29/09/2010 07:57:09

    Essa gente não é de Paragominas. O Maranhão que os assuma

  8. Renato Assunção

    29/09/2010 07:54:11

    Cada cidade tem que assumir seus problemas. Paragominas deve ter os delas. O maranhão que assuma seu povo. Salve o mão amiga. Cidade corajosa

  9. claudio lago

    29/09/2010 07:50:27

    Muito bem, Paragominas foi a única a sair da lista oficial do desmatamento. Se você acessar o site da Prefeitura como acessei é a campeã do Brasil na merenda escolar. O mão amiga é realmente uma mão amiga. Imagine você chegar numa cidade, não ter um centavo no bolso, não conseguir emprego e nem ter onde ficar. você vai roubar e sofrer. Dar a passagem e o lanche para você voltar para a sua família é realmente mão amiga. parabéns para Paragominas. Temos que acabar com os clãs dos Sarney que deixam seu povo na miséria, inchando o Pará

  10. claudio lago

    29/09/2010 07:43:57

    Sou de Paragominas. O Prefeito é nascido na cidade e foi reeleito com a maior votação do Estado. O problema não é racial, mas sim econômico. Quem deve ser presa é a Roseana Sarney que não dá opiortunidade e esparança para seu povo e dá passagem de ônibus para irem para Paragominas. Mão amiga é porque ajuda a pessoa a voltar para sua família. Pior, ficar perambulando desempregada

  11. norberto prado

    28/09/2010 15:42:13

    Olha , eu achei a pergunta infantil ou uma pergunta idiota ...............

  12. Felipe

    28/09/2010 13:01:16

    Caro André,Toda a vez que utilizam esse argumento da "questão social" para justificar que populações negras e índias sejam as mais marginalizadas, penso que esse raciocínio inverte causa e efeito. Foi o racismo que gerou a escravidão e mantém a exclusão, e não a escravidão e a exclusão que criaram o racismo. Pensa nisso.

  13. FDA

    28/09/2010 07:37:28

    Cara Marcia Valeria,Entendo seu ponto de vista e sou consciente da responsabilidade que tenho de sua participação aqui no blogue como de muitos outros comentaristas como o Proftel, o Surfando e tantos outros que se foram evocando a mesma dificuldade de conciliar vida pratica (familiar, trabalho, etc;) com uma participação ao mundo virtual...Sei o quanto é difícil de trabalhar no ensino público brasileiro, imagino que o trabalho educativo dentro das favelas não é fácil, trabalhei um certo tempo na favela do Serviluz em Fortaleza e fiz minha experiencia como pesquisador de campo: aprendi muito com os educadores desta comunidade, final do ano volto ao campo para saber como as coisas evoluiram....Saiba que seu trabalho é de grande importância para o futuro do Brasil!Cara Márcia, se estiveres precisando de alguma coisa, seja ela qual for aqui da França: não hesite por favor! Que seja para sua tese de mestrado ou para quebrar essa “muralha” que vc tem que transportar, conte comigo!É só fazer um signo...........

  14. João Flávio

    28/09/2010 07:19:48

    Caro Sakamoto .Seu artigo me deixou uma duvida e uma preocupação .No seu caso , por exemplo , voce seria deportado para onde ?Japão ? ou ...... Bolivia ?ps : sem ressentimentos , tá ! é só prá te sacanear um pouco !!!!

  15. Marcia Valéria

    28/09/2010 06:22:42

    Mas achou de "economizar-se" justo agora que fui sugada para aqui dentro dessa realidade paralela que é este mundo virtual ??? rsrsrsMe recuso a acreditar nisso FDA, você é FRANCÊS, sinônimo de obstinação, persistência, tenacidade. Os franceses lutaram 100 anos....não é possível.rsrsrsVamos lá, querido amigo, arrume outra desculpa vai...essa pra mim não cola.rsrsrsBrincadeiras a parte sei com é difícil pra voce, como é para Sakamoto, enfrentar toda esta pressão, mas considero que voce, como ele, tem uma blindagem especial para isso, apesar das blindagens serem diferentes pra voces dois lógicos - diametralmente diferentes , creio eu.Sei perfeitamente o que significa sua luta, diária, incessante.FDA, sou professora, trabalho em escolas públicas aqui no Rio de Janeiro, mais especificamente dentro deste sistema prisional (na mais perfeita acepção da palavra) que se tornou o ensino público aqui no Rio de janeiro, mais especificamente dentro das favelas de meu estado, e me dou todos os dias com a realidade do preconceito e procuro nela o elemento de entrada para uma tese de mestrado que busque a constatação da falência do sistema educacional brasileiro. Imagine a muralha que tenho que transpor para tratar de um assunto magnanimamente aborrecedor e incoveniente.Infelizmente não tenho tempo pra economizar energia e sinceramente espero que voce encontre oportunidade para economizar a sua.Um grandissímo abraço.Obs: Acho que o sakamoto está fazendo uma análise muito profunda de seus comentários, pois ontem dia 27 por volta das 14hs, seu comentário c indignado sobre a censura da questão Sarkozi de 12:56 não havia ainda chegado a tela do blog, ou será uma questão de fuso horário ?

  16. FDA

    28/09/2010 04:57:36

    Olà Carin ,Gostei muito de seu comentário!Quando estive na Italia, pude constatar essas disparidades que vc evoca com as populações emigrantes. Vc tem razão de afirmar que “ Aqui (na Itália) o “eu” é confrontado ao dilema ou paradoxo identitário: o “eu não tenho nome”, com o “sou apenas a “brasiliana”.De maneira geral, uma grande parte da população emigrante europeia vive esse dilema ou paradoxo que chamaria o paradoxo identitário nacional na vivencia da experiencia de uma outra cultura!Para algumas pessoas de origem “estrangeira” o fato de ter uma identidade nacional é um motivo de or-gulho, ou seja, uma preciosidade: “tenho muito orgulho” que coincide com o fato de “Ser” “brasileira”!Porem, no seu comentário vc dar a entender que existe um problema de fundo: o do viver essa identidade das origens: seria esse famoso “mas” contudo ainda mais porem da musicaledade da Rita Lee do “também tenho nome e sobrenome”.Ou seja, o “bem” ou quem sabe o mal-estar de “ser hibrido com descendência de todo tipo” na vivencia intercultural, ou seja, entre duas culturas distintas, o mesmo sendo “brasileiro”!E isso “aliás” vc não comenta muito.....Uma pena, um abração....

  17. FDA

    28/09/2010 03:25:00

    Caro Lucas Direto,Espero que estejas satisfeito de saber que o autor do blog seguiu suas injunções, suas instruções! Uh, enfin estamos entre "NOS"....De fato, vc tem sem dúvida alguma razão: “Nosso ego tem que dar espaço aos egos dos demais se queremos viver em sociedade”!Mas se perguntar não ofende: e o que contas fazer com aqueles que não tem “EGO” ou que não têm “EGOS”?Vc conta ordenar ao proprietário do blogue de extermina-los? Vc conta comandar ao proprietário do blogue de colocar uma estrala amarela ou rosa? Um ato de “censura” e opsss os desegocêntricos serão queimados nos fornos crematórios ou identificados, egocetrificados, não seria ai uma boa solução final?Continue assim, caro Lucas não mude em nada, viu,esta indo Direto por maneiras indiretas, mais chegaras là....Beijão para você! Pensando bem, não, seu rosto deve esta muito molhado deste suor dos trópicos e minha boca esta um pouco seca com o frio europeu, um beijão risca de lhe machucar: melhor lhe mandar uma flozinha, não é mesmo?

  18. FDA

    28/09/2010 02:53:09

    Cara Marcia,Tentei sair pela tangente mais vc me pegou pela tan-gente...rs..Não posso argumentar todos os temas tratados por vc vou evocar apenas um: o ato de recusa.De fato, vc tem razão! Existe um ato de “RECUSA ao comentar” aqui!Quando encontra-se as “oposições”, as “indignações”, os “atos da censura”, que revoltam, mas que na verdade, me re-voltam a um período da Historia Brasileira que começou em 64 e acabou em 84, oposição e indignação são na verdade um retorno do recalcado que me fazem reviver lembranças de um certo passado brasileiro.....Oposições e indignações que me re-voltam do quotidiano da vida atual francesa! A luta contra essas oposições é feita de indignação contra a politica de imigração atual do governo que contraria os princípios fundamentais da Liberdade, Igualdade e Fraternidade! Princípios que tornaram-se uma luta quotidiana para que estes tornem-se uma realidade na existência de um “estrangeiro” longe do “pais de origem”!Enfim, como vc pode constatar na leitura de alguns comentários aqui, a experiencia do despatriamento passa por um delicado processos de “desintegração” antes de torna-se parte integrante de uma pretendida “integração”!E nesse processo de desintegração, o “preconceito” e “discriminação” fazem parte da realidade quotidiana! O que hà de pior é que tais atos tornaram-se banalizados!Cara Marcia, não quero lhe “privar” de um pretendido “saber” visto que considero por princípio que todo Ser Humano é uma fonte rica de saber; não quero lhe privar de uma “confrontação das ideias”, do “livre pensamento”, de minha “ironias”, etc; mas compreenda, cara Márcia, a vida de qualquer estrangeiro seja ele quem for, indiferente de sua aparência, de seu estatuto profissional, viver fora do pais de origem é uma luta quotidiana contra o preconceito e a discriminação! E para isso necessitamos de forças que devemos buscar no mais profundo de si mesmo.Por essa razões lhe digo: é muitas vezes melhor de economiza-se si mesmo para enfrentar a realidade do quotidiano que de dispensar energias no mundo virtual....Abraços,

  19. renan

    28/09/2010 00:39:37

    Pode deixar que eu volto para a escola,mas com certeza nao a mesma que vc foi...ficar igual a vc seria castigo demais!!!hahaha

  20. Marcos

    28/09/2010 00:02:43

    AM, só o fato de não se integrarem já é motivo razoável para preconceitos. Você, ainda por cima, diz que eles não se importam com o que pensam os não-ciganos, isto é, a população original daquele país, estado ou cidade.Isso é uma óbvia receita para um desastre étnico!Integrar-se a uma sociedade, aos seus costumes e modos é, antes de tudo, o respeito mínimo que os ciganos deveriam ter pelo local onde estão.Imagine-se indo morar na França e passar 20 anos lá sem se importar em aprender a língua francesa, sem assimilar, pelo menos, os modos e costumes mais importantes e, acima de tudo, sem integração econômica, sem formalizar negócios,...Quanto a política de entrega de passaportes, já li em mais de uma fonte. Deve ser recente, já que estes países exportadores de ciganos só recentemente entraram na União Européia.Como a Sonia disse, acampar em um estacionamento de hospital é muito esculacho. Estavam lá porque? Não confiam nos médicos? Querem receber comida de graça?Um ou dois parentes do doente podem ficar por lá, mas você disse que foram "bandos".

  21. maria

    27/09/2010 23:45:25

    Isso em vez do Bolsa-Família, tão importante para os nossos governantes...E tão funesto para o pais.

  22. Adriano Berger

    27/09/2010 23:43:31

    Rapaz, pode parecer bobagem, mas tenho convivido no Tocantins com migrantes de um certo estado brasileiro que, coincidência ou não, a maioria absoluta tem imensa dificuldade laboral, imensa falta de interesse pela sua atividade e de compromisso com o seu empregador... é triste ter que aturar mão de obra tão inerte, que falta em serviço sempre que lhe dá vontade, e não querer parecer discriminador. Por certo lá em Paragominas também enfrentam isso e propuseram algo que, apesar de errado, é desejo velado de centenas de empresários capitalistas que precisam ver o seu negócio render e prosperar.

  23. maria aparecida rodrigues de souza

    27/09/2010 23:15:32

    seja negra e pobre nesse pais e veras e que e enfretar o preconceito desses eregens sem fe , que so pensam no capitalismo. que deus tenha piedade deses ipocrates, que se dizem estudados.

  24. Rodrigo de Azevedo Rezende

    27/09/2010 23:11:40

    Eu entendi muito bem o artigo, mas aproveitei a oportunidade pra responder ao sakamoto o que eu acho das baboseiras que ele fala..Se voce concorda com as idéias dele, deveria voltar pra escola pra aprender tudo, não só interpretação de texto.

  25. Paulo Afonso

    27/09/2010 19:40:57

    Um fato é verdadeiro: as técnicas evoluíram e há um excedente populacional mundial. E pior: desqualificado. O desafio futuro: o que fazer com tanta gente quando vemos que o planeta não suporta mais tanta população e ainda nascem diariamente milhões!Amigos, a realidade é que hoje se faz uma autoestrada com 1/100 de homens que há cem anos. As técnicas para a longevidade (felizmente) evoluíram, por isso as pessoas vivem mais. Portanto, precisamos de mais alimentos para alimentar uma população extraordinária e para isso devastamos mais o meio ambiente. As secas são recorrentes (por culpa do homem), os furacões tornam-se mais violentos, as enchentes mais destruidoras.O que fazer?Por enquanto estamos empurrando tudo para debaixo do tapete.Mas chegará um dia em que o homem terá que agir. O que fará? Alguém tem a resposta? Eu, de minha parte, conhecendo o homem e suas ambições prevejo dias aziagos para a Humanidade.Infelizmente!

  26. Susan

    27/09/2010 17:07:19

    As semelhanças são maiores que as diferenças;a diferença maior, é que muitos de nossos cidadãos, vão para países ordeiros e laboriosos, quase sempre ilegalmente, e fazem verdadeiras arruaças, como se estivessem aqui.Repito, não são todos, temos muita gente trabalhadora.Mas alguns, sujam o nome do país, como aquela moça que tentou dar o golpe na Suiça, até o presidente passou vergonha, pois falou asneiras antes da apuração da verdade.Se fosse enumerar os outros casos...

  27. Estela

    27/09/2010 17:06:15

    só se for direito penal e pra ladrão de galinhas

  28. Marcel

    27/09/2010 16:59:31

    É impressionante como a cada dia que passa, vivemos cada vez mais num mundo de mentiras e ilusões, criadas principalmente por políticos, ONGs e fundações desocupadas. A coisa chegou num ponto que agora quem faz parte ou não de uma população indígena é definido pelo governo e órgãos internacionais e suas tropas de intelectuais orgânicos, que querem a todo custo controlar todas as terras, a tudo e a todos, usando o falso slogan de justiça social, como no caso dos quilombolas, na qual a maioria dos índios são falsos ativistas ,que andam com tanga do Wall Mart. .Outra coisa, já que é para proteger os direitos dos indígenas, porque não defendem o direito a vida das milhares de crianças indígenas que são assassinadas e enterradas vivas pelos pais em várias tribos brasileiras,pelo fato de nascerem gêmeas, ou terem problemas, com tudo isso acontecendo na frente de nossas autoridades?

  29. coutinho

    27/09/2010 16:34:05

    Atualmente, existe uma nova forma de racismo no mundo, talvez uma das piores de todas, compostas por pseudo ativistas , que se auto rotulam defensores dos direitos das minorias,criando figuras estereotipadas das mulheres, dos negros, dos índios,dos gays, etc , que não condiz com a realidade e querem impor esses novos modelos a toda sociedade,através de muita demagogia e hipocrisia,como faz o Sakamoto. Tenho profunda admiração pela figura da mulher, por isso sou radicalmente contra esse feminismo raivoso e lésbico, que está sendo imposto as mulheres pela ONU e ativistas, na qual,coloca a figura do homem como o grande vilão da humanidade e massacram as mulheres que querem se casar e constituir uma família ,que por sinal ainda são muitas, assim como faz esses movimentos de proteção aos negros, colocando todos eles num mesmo patamar, como se não existisse diferença entre eles. Um exemplo claro disso é que a maioria dos negros que migraram para Europa e América do norte não segue as suas raízes africanas e muitos deles se tornaram cristãos adeptos aos valores ocidentais. Sakamoto, não sei quais são os seus reais interesses, mas coloque uma coisa na sua cabeça. Não existem direitos das minorias, existem sim direitos humanos, na qual todos são iguais perante a lei, esses movimentos de libertação, na qual vc faz apologia tem raízes nazistas, que acreditam num falso culto a superioridade de uma raça, grupo, ou até mesmo preferências sexuais em detrimento do restante da população.

  30. Danuza Neves

    27/09/2010 15:57:36

    entendo que este texto e a maioria destes comentário são preconceituosos, e a base deste debate é separar povos, culturas e tradições.Não acho que o tema de discussão é futurista, o autor pensou que estaria sendo vanguardista mas errou.o texto é importante para levantar a questão racial, e como funciona a mente estreita do ser humano.Todos precisamos trabalhar e todos temos uma função neste planeta.As familias ditas "tradicionais" são experts em se manterem neste clã e jamais se misturar.. ora, todo trabalho é necessário, desde o artesão até o presidente. E todos devem ser tratados como gente porque descendemos da mesma raça, a humana.

  31. Marcia Valéria

    27/09/2010 14:16:55

    Carin, qual a cor da pele dos que se encontram em condição de pobreza no Brasil ????

  32. Marcia Valéria

    27/09/2010 13:42:07

    Não saia pela tangente meu caro FDA, falo de seu orgulho que vai além da indignação com autor, aquela presente em si mesma, por motivos que fogem ao seu pensar, o orgulho que está nas "entre linhas" de suas afirmações, de suas reflexões que constam aqui na memória deste blog. A SUA RECUSA ao comentar, que considero oposição ou indignação ao ato da censura, nos priva, pelo menos aqui neste espaço, de seu saber, do confrontar das idéias, de seu livre pensamento, de suas ironias, de suas descobertas,do entrelace que fazia dos comentários diversos, de sua presença repudiada por muitos e até mesmo, de certa forma imperceptível, pelo autor (que parece cutucar sua ferocidade mencionando seu país como exemplo de preconceito). Este orulho, que implica a exata noção que voce tem de si mesmo e que difere dos demais, tem um brilho diferente, desponta de forma diferente , dentro de sua noção mais íntegra do que é preconceito e discriminação.FDA, seu orgulho (ou ferocidade) revela acerca de si mesmo,( quiça de mim mesmo, de todos nós), algo que vai além da ferocidade, da bravura, revela talvez uma blindagem ao que voce pode considerar afronta.Desta forma, NÓS BRASILEIROS, estamos acima de tudo RESISTINDO, as mais perversas e encobertas formas de cerceamento a liberdade e preconceito em todos os níveis, em todos os espaços, buscando o equilíbrio de forças que tornará possível as MUDANÇAS ocorrerem, aprendemos a trabalhar com o que temos, com o pouco que temos, mas nem por isso baixamos a cabeça, ao que aparece como submissão, na verdade esconder-se como insubordinação (como ocorreu com nossos artistas e poetas ao longo da ditadura).Mas, como disse uma vez o comentarista Gerci ao blogueiro, repito...esta é uma prerrogativa sua...EM TEMPO: Posso lembrar de um exemplo da representação de sua atitude, talvez um pouco insensata de minha parte, pois não sou contra Hugo Chavez, muito pelo contrario, mas ninguem discute o que representou para a Venezuela a recusa da oposição chavista em participar das últimas eleições.

  33. Lucas Direto

    27/09/2010 12:59:19

    Você não sabe mesmo o que é uma "capivara", né? (uauauauaua)Capivara é como, no jargão policial, são chamadas as longas fichas-corridas. Quanto mais longa, maior a capivara.Não confunda o seu direito a se expressar com o exagero de falar demais sem respeitar o espaço dos outros. Nosso ego tem que dar espaço aos egos dos demais se queremos viver em sociedade.Se você discorda, para que viver em sociedade, com limites e contrapesos? Eu fui um dos que pediu muito ao dono do blog se dar ao respeito e cortar longos comentários, provavelmente com os seus. Você confunde democracia com democratismo, o que é uma confusão comum para quem não conhece a fundo a questão de direitos.E bom senso é bom, né? Você quer escrever mais do que o cara que é o articulador do blog (kkkkkkkk). Isso que é ser exibido mesmo! Por que você não entra com uma representação contra as pessoas que falam na TV sem que você tenha espaço para retruca-los, em sua sagrada onisciência.Beijo para você.

  34. FDA

    27/09/2010 12:56:59

    Sakamoto!Onde esta minha replica ao comentarista Pedro?????Vc acusa a politica de emigração francesa de “preconceituosa” contra a população dos Ciganos sem oferecer provas! O Pedro chama o “Sarkozy” de “anão de jardim” e vc censura a replica sem oferecer direito de resposta!Afinal o Brasil é ou não é um Estado de Direito ?

  35. Luciana

    27/09/2010 12:15:20

    Tem que fugir mesmo, uma ova.Tem que exigir melhores condições de vida lá, mas não o fazem. Mas quando chegam em SP, começam a exigir seus "dereitos" e fazer baderna. Engraçado, né?

  36. Edu

    27/09/2010 10:48:12

    Exitse uma msitcia do "terianemto" e da "ecsoalriddade" que e no mnmio hopictria Qntuaos eprmesarois bem sesucdeidos nao tem ou tveriam nem o pmriario Qautna procria a gtnee cmorpa vnida da CHINA que envlvloe mao de orba smilpes e tbrahlo ruidmentaur Praa orpear uma mqauina de csoutra uma ijnetroa de psaltico ou uma presna nao pciresa doplima uvinesritario Etsa clutrua bhcalerecsa e sim pruo pcorenieto Ovbiaemte tmeos que psenar no hjoe de nssoa pupolçao cmoo a China fez e icnetviar a mtufaranua dmidunindo os nssoos ipmotsos praa etsas atvidaides Ao msemo tpemo isnrturir as nvoas greçoaes praa argeagr vlaor aos nsooss podruots Qremueos plaur uma epata e itso cstua mituo crao praa a vdia das psseaos que nao tem voz Nsoso pías e mtuio gardne e pdoe viabliasir mtuias clutruas enococmiacs sem mragiilnasar nunhema

  37. Ricardo Santa Maria Marins

    27/09/2010 10:27:45

    Olá! Comentaristas! E, SAKAMOTO! Caro Sr. LUIS DURAES às 9:40 de 27/09/10. Boa observação. Inclusive, no BRASIL, 2010, agora, estamos a passos LARGOS caminhando no sentido da Alemanha de HITLER onde MATARAM ou TOSTORAM nos FORNOS 6 (seis) MILHÕES de JUDEUS e na EX-URSS, mataram mais de 40 MILHÕES, e a fantástica LEI que abre essa POSSIBILIDADE é a Lei Ficha LIMPA, INCONSTITUCIONAL, por ferir o artigo 16º da CF/88. Hoje, é a ficha limpa, DISCRIMINADORA entre brasileiros, ferindo artigo 19º da CF/88. Ontem, foi à lei antifumo paulista, que criou o DELATOR COVARDE entre nossos JOVENS paulistanos, do serra, prendendo gente sem autorização judicial de forma ARBITRÁRIA, perseguindo empresários e empreendedores e instalando o pânico nos condomínios residenciais paulistas e paulistanos, lei antifumo inconstitucional, ilegal, imoral e burra, também, a lei que proíbe que se comercialize coxinhas, empadinhas, kibes, e a LEI igualmente do serra, que proíbe utilizar vinho quente e quentão em festas juninas em São Paulo e no Estado, POIS É minha GENTE...Amanhã, FRUTO da INCONSTITUCIONAL, ARBITRÁRIA, ILEGAL e PROSTITUTA lei ficha limpa, corremos o risco de GOLPES de oportunistas que estejam no PODER, seja, legislativo, judiciário ou executivo. Pela IMBECÍL, IRRESPONSÁVEL e VINGATIVA OPINIÃO IDIOTA POPULAR, não está descartado que precisemos UTILIZAR o UNIFORME de BOLINHAS QUADRADAS amarelinho durante a semana e nos fins de semana o amarelinho com bolinhas redondas. TUDO GRAÇAS a essa CRETINA e CÌNICA "ficha limpa medíocre" e por obra do TSE e seu presidente ARBITRÁRIA E VAIDOSA UNILATERAL DECISÃO IMPOSTA. É isso aí! Segue texto complementar: Independentemente do que diga o presidente do TSE e a Mídia em GERAL. A lei ficha limpa NÃO VALE PARA 2010. É UM ATENTADO CRIMINOSO que o TSE está praticando contra O POVO BRASILEIRO. Até decisão DEFINITIVA do STF - SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, decisão inquestionável, até lá, a MERETRIZ lei ficha limpa é GOLPISTA, INCONSTITUCIONAL, PICARETA, ARBITRÁRIA, embasada em FALSOS MORALISTAS e LEVARÁ O BRASIL a uma ditadura RADICAL nos próximos anos e sem precedentes. Os que conhecem DIREITO e apóiam esse LIXO pior que o ATO INSTITUCIONAL de número 5, serão cobrados no FUTURO por esse DESATINO, ou seja, DESRESPEITO À CONSTITUIÇÃO FEDERAL e VISÍVEL desrespeito ao artigo 16º da CF/88. RESPONSABILIZO o presidente do TSE pelas futuras MAZELAS BRASILEIRAS. Pela insistência ARBITRÁRIA VAIDOSA não técnica jurídica produzida no julgamento do STF.

  38. André

    27/09/2010 10:25:33

    Acabou o Ouro e o Pau Brasil, pode me mandar de volta que eu já comprei ações da Petrobrás!Tá certo que nasci aqui, mas se me mandar pra Itália, como sou descendente de Italiano, não acharia ruim não... quem achará são eles talvez, por isso não vou.Mas não vou tentar explicar isso para pessoas que acham certo receber Bolsa Familia.Ainda bem que os analfabetos estão aí pra nos salvar, pessoas que jamais aceitariam uma graninha em troca do seu voto!! Pois são bem lúcidas!!

  39. Estela

    27/09/2010 10:11:26

    Yes temos bananas, bajulamos o stallone...Sim não gostamos de pobres, os negros não tem vez, os indios são incendiados e acho que o tiririca ganha facil e ainda elege mais dois ou tres com os votos dele...Esse é o brasil!!!Culpa de quem???Nooossssaaaaa

  40. Celso Ribeiro

    27/09/2010 10:04:31

    Se hoje testemunhamos este tipo de situação. Como estaremos entre 2020 e 2030? Fato, com o avanço da tecnologia, necessitamos menos do ser humano trabalhando ao mesmo passo em que a população mundial aumenta. O que todos farão para ganhar a vida, em sua grande maioria pessoas não migram por terem espírito cigano.Talvez ocorra em nosso atual sistema econômico, o que ocorreu no antigo Feudalismo, com o advento da Era Industrial, nasceu o Capitalismo. Porém, quais serão as mudanças? Possível cogitar, difícil responder com exatidão, mas que elas inevitavelmente ocorrerão está mais do que claro.

  41. Edmundo Amásio

    27/09/2010 09:59:15

    A QUESTÃO NÃO É RACIAL E NA MINHA OPINIÃO, NÃO É TAMBÉM DE RECEBER OU NÃO MIGRANTES POR PRINCÍPIO OU PORQUE NÃO SE GOSTA DELES OU DO ESFORÇO ADICIONAL (QUE É REAL, MAS DO QUAL NINGUÉM FALA) DO POVO QUE JÁ ESTAVA NO LOCAL QUE RECEBE A IMIGRAÇÃO.AS QUESTÕES SÃO: A MIGRAÇÃO REALMENTE ATENDE O QUE O IMIGRANTE PRECISA? O SACRIFÍCO DO POVO QUE RECEBE OS IMIGRANTES REALMENTE COMPENSA PARA O IMIGRANTE (VER FAVELAS EM SÃO PAULO E RIO E A DETERIORAÇÃO DE QUEM SAI DA POBREZA EM SUA REGIÃO E CAI NUMA FAVELA DOMINADA POR TRAFICANTES, VENDO SEUS FILHOS EXPOSTOS A TRÁFICO E VIOLÊNCIA)? EXISTE OU POTENCIALMENTE PODE EXISTIR ATIVIDADE ECONÔMICA E ORGANIZAÇÃO SOCIAL QUE POSSA GARANTIR PROGRESSO AO MIGRANTE? OUTRA QUESTÃO: É LÍCITO QUE A QUANTIDADE DE IMIGRANTES SUPERE A DE LOCAIS E/OU CRIE CONDIÇÕES DE SATURAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL PORQUE O POVO E AUTORIDADES DE SUA REGIÃO DE ORIGEM NÃO LHE PROMOVEM OPORTUNIDADES? UMA SOLUÇÃO QUE CONTEMPLASSE A FIXAÇÃO E CRIAÇÃO DE OPORTUNIDADES EM SUA PRÓPRIA REGIÃO NÃO SERIA MAIS REALÍSTICA?

  42. Luis Duraes

    27/09/2010 09:48:31

    COmo eu comentei, a onda de xenofobia começa sempre de forma suave e pitoresca mas ao poucos vai se tornando um verdadeiro "tsunami" de odio e selvageria. Que pena ver uma pais como a Italia que foi libertado das garras selvagens dos nazistas e facistas `as custas de muito sangue "extracomunitario", inclusive de nossos valorosos pracinhas brasileiros, seguindo pelo modelo nazista da xenofobia contra os "extracomunitarios". Que Deus ilumine a jornada dos "brasilianos e brasilianas" que estao na Italia pois quando a Europa era so ruinas o Brasil recebeu de braços abertos todos os que para aqui se dirigiram. E´ sempre bom lembrar eles disso !!!!! Grazie !

  43. Luis Duraes

    27/09/2010 09:40:39

    A humanidade ja viu este filme na epoca pre-2ª Guerra Mundial na Alemanha. Tudo começa assim mesmo: no inicio e´ uma onda de preconceito e em seguida o isolamento em guetos (ou na cidade vizinha, como queiram). Dai para partir para a eliminacao "dessa gente" (e muitos escreveram em seus comentarios exatamente este termo) e´ questao de tempo. Na democracia nao existe solucao para este problema a nao ser qualificar e melhorar a capacitação das futuras gerações. Qualquer alternativa que nao siga pelo caminho da Educacao e´ "conversa mole para boi dormir". E com relacao ao titulo deste artigo que estamos comentando, seria interessante imaginarmos quem ficaria no Brasil nestas condicoes. Imagine que nenhum de nos que estamos comentando este artigo poderiamos ficar pois praticamente todos temos uma pitadinha de sangue gringo no DNA, seja ele europeu, africano ,etc. Assim, a unica alternativa viavel e´ tentarmos viver bem e de forma unida pois todos dependemos uns dos outros.Ou voces acham mesmo ue algum "doutor" vai querer recolher lixo nas grandes cidade.E´ preciso muita coragem para fazer a diferença, sendo diferente e respeitando as diferenças ! Pensem nisso !!!!

  44. Lucas Lopes

    27/09/2010 09:37:20

    gosto do seu trabalho mais as vezes vc fala muita merda.

  45. ubirajara de macedo virgínio

    27/09/2010 09:31:36

    Será que não sou brasileiro por não ser índio? Muito fraca a argumentação do autor no presente texto.

  46. Paulo

    27/09/2010 09:30:38

    "...quem é você, que não sabe o que diz, meu Deus do céu que palpite infeliz..", meu querido, abrir mão dessa geração sem treinamento e analfabeta em nome de uma geração melhor no "futuro" é discurso de incompetente e acomodado, treinem e ensinem a ler essa geração que a outra já será melhor, comecem agora e não deixem para amanhã!

  47. Roberto

    27/09/2010 09:07:17

    Ele é sempre bem simplista nos assuntos propostos.O lance é escrever esse blablabla para reflexão, mas realmente cada caso é um caso.O que mais irrita é a falta de continuidade, quandl ele vai abordar o tema "migrantes no brasil" já muda completamente o assunto e vai pra França.

  48. Mário

    27/09/2010 09:05:44

    Concordo em número, grau e gênero. hehehehehe.

  49. Mário

    27/09/2010 09:02:32

    A questão é sociológica, na abordagem de Sakamoto, não histórica, aonde estaria o contexto antropológico, mas se querem polemizar vão discutir qualquer ponto do texto, mesmo que não seja a respeito da abordagem original.

  50. Moacir

    27/09/2010 08:58:53

    Apesar do Brasil ser um país missigenado, acredito que existe gente de todos os cantos do mundo e em todos os países só é bem vindo quem tem dinheiro ou estudo. Aqui no Brasil é claro que temos muitos problemas, tanto raciais, como econômicos e principalmente culturais. O bolsa família, cota para negros e outras que exitem só servem para fomentar ainda mais as discriminações. Entendo que é necessário fazer algo no sentido como os programas acima, porém cobrar dos beneficiados para que se dedique em estudar, trabalhar, se aperfeiçoar. Todo ser humano tem que investir em si mesmo e tentar crescer e não ficar acomodados, deve sim dar mas cobrar também para não criar uma legião de vagabundos. Muitos que tem bastante acordam cedo para trabalhar e muitos que não tem nada, dorme o dia inteiro..........

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso