Blog do Sakamoto

A Marcha, o trânsito e o churrasco da polícia

Leonardo Sakamoto

Conversa tensa ouvida entre dois soldados do cordão da Polícia Militar que acompanharam uma das Marchas da Liberdade, realizada na avenida Paulista, em São Paulo (e em mais de 40 cidades pelo país) neste sábado (18). A caminhada, que partiu do Masp, parou momentaneamente a rua da Consolação para um ato e seguiu em direção à Vila Mariana, reuniu centenas de ativistas pela descriminalização da maconha, ambientalistas, cicloativistas, militantes pelos direitos de gays e lésbicas, feministas, entre outras pessoas legais.

– Não, não, não!
– Como não?
– Não deixa fazer isso!
– Por que não? Quem pede, paga pra ver.
– Mas se você deixar sua mulher salgar demais a carne antes de ir pra churrasqueira, o sal vai queimar todo e vai ficar estranho.
– Ah, tá.

Com o tempo, essas passeatas vão ser tão comuns quanto ir para o boteco, como acontece em alguns países. O paulistano está perdendo a vergonha de tomar a rua. E, espero, as instituições públicas acompanhem essa mudança, esquecendo as práticas desenvolvidas em anos mais pesados e que, até hoje, se mantém.

Quem sentiu na pele a repressão das borrachas, da pimenta e do lacrimogênio no dia 21 de maio, antes do STF ter colocado ordem na lojinha e dito que protestar pode, está satisfeito com conversas sobre picanha e maminha.

Mas falta muito ainda para que a massa da população perceba a importância de tudo isso. A situação do trânsito é ainda mais importante do que o direito de expor as reivindicações nesta capital que tem o orgulho (idiota) de ter quase dois habitantes por automóvel. Exagero? Não preciso nem citar os palavrões ouvidos hoje na Paulista da boca de motoristas, de Fuscas a BMWs. É só lembrar que quando uma favela é invadida por uma enchente de esgoto ou quando uma ocupação ilegal é removida a bala e moradores, cansados de tanto reclamar e não serem escutados, resolvem ocupar uma avenida, o assunto que vai para a mídia é o trânsito e não o problema que gerou o protesto.

Há alguns veículos de comunicação que dão manchetes para o congestionamento e relegam ao segundo plano a tragédia humana que ocorreu. Colocam depoimentos de motoristas reclamando que perderam a hora para alguma coisa, xingando os “baderneiros”, mas não se ouve os moradores. Eles aparecem na tela para mostrar o “drama” e desaparecem quando já deram audiência suficiente. “Ah, mas o congestionamento afetou a vida de mais gente, por isso é a notícia mais importante.” O conceito de relevância jornalística se perde em justificativas como essa, desumanizando a situação. Os dois fatos são notícia. Milhões de pessoas conseguiriam se reconhecer nessas histórias se elas fossem retratadas corretamente pela imprensa. E reconhecendo-se, encontrariam no outro, distante, um companheiro para mobilização.

Nós precisamos nos sentimos donos da cidade em que vivemos e inverter as prioridades. Às vezes, entender que chegar um pouco mais tarde no compromisso pode significar muito para aqueles que estão batalhando por seus direitos. E que, muitas vezes, você também será o beneficiário da luta deles. Infelizmente, acreditamos que somos ocupantes provisórios. Caso tivéssemos essa necessária sensação de pertencimento, participaríamos realmente da vida da metrópole e das decisões dos seus rumos. Iríamos todos para a rua.

Fico feliz em ver manifestações como a de hoje, no Centro, começarem a ser encaradas como parte do cotidiano. Mas espero o dia em que a Periferia vai acordar de uma letargia imposta por quem dela se beneficia. Nesse dia, vai dar cãibra do rosto de tanta alegria.

  1. Acrodaprodo

    28/01/2012 00:36:15

    Este post sobre SEO fornece imagem clara em favor de novos espectadores SEO que como fazer Search Engine Optimization , então mantê-lo. bom trabalho

  2. Priscila Carneiro

    28/08/2011 00:01:51

    Estive nas duas marchas e posso dizer que de fato muitos palavrões e desaforos,bem como as caras feias da maioria dos Policiais ,alguns chegaram dizer que era dia de folga e por causa de um bando de maconheiros e baderneiros tinham sido escalados.Que a Marcha da Liberdade de Expressão na verdade era mais uma Marcha da Marcha da Maconha Mascarada.Só que dia 12/09/11 os PMs embora sejam proibidos pelos seus RDPMs irão fazer uma mobilização e irão para uma das rodovias de SP incluindo o MASP,inclusive eu dei uma entrevista no dia da marcha da dizendo que eu era esposa de PM,irmã e filha e que estava lá porque era contra os atos de violência que sempre foram usados em mobilizações dentro de SP pelos comandos da PM/SP.Participei das greves dos professores,participei das greves do judiciário,pois os PM lutam pela PEC300 e como os policiais militares não pode se pronunciar eu como esposa busquei fazer meu papel participando e apoiando outros movimentos e lutas por DIREITOS,unindo forças,mas sempre ficava acuada ,pois na hora que a PM chegava eu me sentia mal e ate constrangida ,escondia meu boneco PEC300 .Pois em todos as mobilizações era visível que quem instigava e provocava os ativistas eram os POLICIAIS AO FAZEREM PRESSÃO PSICOLÓGICA COM OS ESCUDOS E CACETETES,HORRÍVEL.E hoje esses mesmos profissionais irão parar um rodovia em luta por melhorias salariais,e sem terem esse direito devido seus códigos disciplinares.Ou seja acatavam ordens abusivas, extrapolavam,os que tinham esse direito de LIBERDADE DE EXPRESSÃO PREVISTO EM LEI,e eles que não tem irão fazer da mesma forma que coibiram os outros!FAZER O QUE .AGORA QUEM SERÁ QUE IRÃO COIBI-LOS ?ESPOSA DE MILITAR ENVERGONHADA!

  3. Marduk

    04/07/2011 09:24:30

    Algumas muçulmanas e muçulmanos decidem fazer em seus países (tipo Irã, Arábia Saudita, Paquistão...) manifestações semelhantes a parada gay, marcha das vadias, marcha pela liberdade. Sem dúvida alguma, serão severamente reprimidos pelas autoridades e sofrerão (especialmente as mulheres) todos os abusos que estes regimes discricionários proporcionam.Qual seria a repercussão aqui em terra brasilis? Com manifestos indignados contra tais arbitrariedades ou o "chique" relativismo cultural? Algo do tipo a violência institucional e opressão religiosa faz parte da "identidade" cultural daqueles povos e deve ser respeitada...

  4. Molina

    03/07/2011 09:42:40

    Enquanto isso, em outros países o povo marcha pelo seguinte:GRÉCIA : reorganização político-social do país;FRANÇA: reforma da Previdência Social:CHILE : ensino público;INGLATERRA: reforma dos planos salariais e de carreiras dos servidores públicos;No Brasil-sil-sil: M.A.C.O.N.H.A.Como se vê, assunto importantíssimo, consertaram o mundo...

  5. alberto

    01/07/2011 23:51:33

    Por favor Ricardo não compare o periódico The Lancet com a mídia comum. A TV é alienada e alienante. Essa sim atende a interesses dos mais variados tipos tendo, quando muito, pouquíssimo compromisso com fatos. Já os periódicos científicos com revisão por pares, são dignos de muito mais credibilidade. Se está cético veja o que aparece na internet sobre o The Lancet. Abaixo apenas uma amostrahttp://en.wikipedia.org/wiki/The_LancetUm abraço

  6. alberto

    01/07/2011 23:42:07

    Caro Ricardo Santa Maria Marins (disse: 01/07/2011 às 0:35).Primeiro desculpe-me. To pegando um pouco no seu pé mesmo. Apesar de não concordar com a sua opinião eu a respeito. O que eu não respeito são seus primeiros comentários como estes: 19/06/2011 às 10:54 ; 19/06/2011 às 19:37 ; 19/06/2011 às 19:56 ; 19/06/2011 às 22:25 e outros. O que eu queria é que o Sr. chegasse a conclusão de que não há verdade absoluta. Como em suas palavras : "Não tente colocar uma armadilha como se fosse possível fazer qualquer afirmação conclusiva, pois, ambos sabemos que NÃO É e não há!" Concordo com essa afirmação. Portanto se não há afirmação conclusiva o Sr. não pode (racionalmente) afirmar tão energicamente males que a Cannabis supostamente faz ao corpo e à sociedade se nem os experts entram em consenso. Aliás baseado em que o Sr. faz as seguintes afirmações?: "Lamento, a maconha destrói IRREVERSIVELMENTE o cérebro e funções do cérebro" ; "Eu AFIRMO que a MACONHA produz efeitos IRREVERSÍVEIS. Chama-se memória neural. E os contumazes na utilização da MACONHA, portanto, VICIADOS, se transformam em FARRAPOS HUMANOS" ; O Álcool em si, NÃO é DROGA VICIADORA como o é a MACONHA" ; "O que se tem certeza é que da MACONHA derivam para o Crime Organizado e para o tráfico de DROGAS e para o tráfico de crianças e mulheres. Disso há certeza". Nenhuma dessas afirmações tem suporte na literatura médica e em nenhum outro lugar com credibilidade, apesar do Sr. falar: disso há certeza. A partir do que o Sr. constroe suas opiniões? Como o Sr. pode dizer que determinada coisa é certeza ou não sem verificá-la de alguma forma consistente? O Sr. preza pela argumentação consistente e razoável? Como pode expressar opiniões tão contundentes sem um mínimo de embasamento? Entende agora porque eu quis levar adiante a discussão. E veja, meu comentário anterior não é armadilha. É apenas uma constatação. Em todos os estudos médicos em que foi feito um comparativo sobre drogas concluiu-se que o álcool é sim mais perigoso que a maconha. Não é a minha opinião. São pesquisadores mostrando seus resultados. Por favor e pelo bem da discussão se for externar uma opinião radical tente ao menos embasá-la de forma razoável.No mais agradeço pela troca de idéias e desejo um bom fim de semana.

  7. Ricardo Santa Maria Marins

    01/07/2011 00:50:28

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Caro Alberto! Concluindo: esqueci que igualmente deve ser penalizado o USUÁRIO como provável futuro traficante! Então: É CANA mesmo! Discordo o Dráuzio Varella nesse ITEM!E acredito pela sua pergunta: Você não leu o material acima ofertado. Pois, num dos livros há referência sobre o TEMA. Apenas como mencionei NÃO é conclusiva. E, igualmente, compreendo, só um dos mencionados livros, possui 800 páginas para leitura.Até mais!Obrigado pela continuidade da troca de idéias.OPINIÃO!

  8. Ricardo Santa Maria Marins

    01/07/2011 00:35:21

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Caro Alberto! Você solicitou alguma literatura, enviei, há como você percebe uma enormidade de cenários. Todos inconclusivos por agora!Não tente colocar uma armadilha como se fosse possível fazer qualquer afirmação conclusiva, pois, ambos sabemos que NÃO É e não há!Então: Manterei minha leitura sobre o TEMA e você manterá sua leitura sobre o TEMA!.Sempre com todo o respeito e dentro da idéia democrática de discordância. Por enquanto mantida.Mantenho firme minha posição quanto a CRIMINALIZAÇÃO e NÃO LIBERAÇÃO da MACONHA! É uma OPINIÃO! Essa é minha conclusão sobre o que lí e refleti no e do TEMA!. Nada que vincule quaisquer dos escritores indicados e/ou especialistas. É minha OPINIÃO!Forte abraço!

  9. alberto

    30/06/2011 21:39:09

    Caro Ricardo Santa Maria Marins. O Sr. se engana ao dizer que a OMS classifica o álcool como droga não viciadora. Veja no link do site da mesma discutindo os sinais e sintomas da dependência e abstinência alcóolica.http://www.searo.who.int/LinkFiles/Alcohol_and_Substance_abuse_ACS4-FAQ.pdfPosrtanto, se causa dependência, é sim viciadora.Abraço

  10. alberto

    30/06/2011 21:18:28

    Caro Ricardo Santa Maria MarinsEntão não há literatura médica que classifique a maconha como mais perigosa que o álcool? Já o contrário é bem fácil de encontrar não acha?O que concluimos da questão?Abraço

  11. Ricardo Santa Maria Marins

    30/06/2011 03:11:13

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Caro Alberto! O assunto é polêmico e pelo que andei dando uma olhada parece que a OMS classifica o álcool como Droga NÃO viciadora. Isso está ligado ao fato de que o álcool Não vicia a maioria dos que entram em contato com ele. Alcoolismo, mitos e realidade, São Paulo, Nobel, 1986, p.36 e p.45 – Milan, J.R e Ketcham,K.Em sua citação você menciona o Dr. Dráuzio Varella, Companhia das Letras, 1999, p 184 – Estação Carandiru. Onde relata o volume de litros de bebida. Mundo diferente do mundo externo.grifo !Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, n, 33, edição extra, junho de 1998. CEBRID.Loucura e crime, São Paulo, Fiuza, 1996, p 102 – G.A.Palomba e também, muito interessante e mesmo autor;Tratado de Psiquiatria Forense – Civil e Penal, Dentro do Código Civil 2002. Guido Arturo Palomba. Atheneu – 2003.Nenhum desses autores e especialistas FECHA questão sobre qualquer TEMA. Até, pois, sempre há evolução em ciência e aperfeiçoamentos trazem nova LUZ e novas Possibilidades.Dentro desses livros há inúmeras referências possíveis. Questão de PESQUISA aos interessados.Então: Na minha limitada visão: Mantenho minha opinião firme sobre CRIMINALIZAR e NÃO liberar a MACONHA, pois é DROGA indutora de outras mais eficientes e perversas. Procuro olhar o conjunto dos fatores indutores. Nada de isolamentos ou questões fechadas.É uma OPINIÃO! Reconheço a existência de pensamentos contrários, respeito, porém, NÃO concordo!E, obrigado mais uma vez pela troca de idéias.Até, Forte abraço Caro Alberto!

  12. alberto

    29/06/2011 19:55:39

    Caro Ricardo Santa Maria Marins.Poderia por favor mandar um link ou alguma referência da literatura médica que o Sr. consultou aonde se enquadre a maconha como droga mais prejudicial, viciante ou "pesada" que o álcool. Fiquei curioso. Afinal eu estava tendo o cuidado de referenciar minhas afirmações para que não ficássemos apenas com um fútil embate de opiniões.E quanto a criminalização de usuários faço as palavras do Dráuzio Varella minhas: "No futuro olharemos para o passado e diremos: aonde estávamos com a cabeça de pegar um doente (viciado) e jogarmos na cadeia."Abraço

  13. rodolfo

    26/06/2011 19:12:26

    É alberto o pior cego é aquele que não quer ver. Abraços

  14. Ricardo Santa Maria Marins

    26/06/2011 15:28:24

    Olá Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá Caro Alberto. Obrigado pela oportunidade. Valeu!Até próximo TEMA!Parte dos meus argumentos e, NÃO crenças, encontram-se na literatura médica.Compreendo que há controvérsias.E mantenho minha opinião FIRME sobre a CRIMINALIZAÇÃO do usuário e do traficante. Proibição da MACONHA e que prossiga MANTIDA como DROGA ILEGAL. E mantenho minha OPINIÃO de que: Não é marcha pela liberdade de expressão e SIM, marcha pela libertinagem de expressão e apologia ao CRIME.E considero toleráveis o Álcool e o Tabaco e seu alcalóide a Nicotina.Álcool aqui como o vinho, uísque, wodka, pinga, cerveja etc...A maconha pelos efeitos acima apresentados deve ser enquadrada como DROGA PESADA e indutora de DROGAS PESADAS e que interferem no psiquismo humano de maneira IRREVERSÍVEL.Entretanto é apenas mais uma OPINIÃO! No caso, CONTRÁRIA à liberação ou descriminalização da MACONHA!OPINIÃO Final Tchau!

  15. alberto

    26/06/2011 13:31:38

    Caro Ricardo Santa Maria Marins (disse:26/06/2011 às 13:00).Onde não há razão não há discussão construtiva. Um abraço, bom domingo e boa sorte com suas crenças.

  16. Ricardo Santa Maria Marins

    26/06/2011 13:00:52

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá Alberto, concluindo: O Álcool é uma DROGA que INGERIDA em EXCESSO e após ANOS, excessivamente INGERIDA, poderá ocasionar sérios danos em vários órgãos do organismo humano. Sem dúvida e sempre dentro do EXCESSO prolongado, continuado, diário, sem dúvida provocará todos os efeitos deletérios conhecidos na literatura científica. Entretanto, é bastante VERDADEIRO que só quando dos EXCESSOS CONTÍNUOS e FREQUENTES essas ocorrências estarão presentes. Esse cenário, ocorre nos geneticamente e hereditariamente propensos e SÃO MINORIA entre a POPULAÇÃO MUNDIAL. É óbvio que pelo estrago produzido CAUSA uma impressão GENERALIZADA. O que é FALSO naturalmente, quando comparado com o número de pessoas que INGEREM álcool ocasionalmente e que NÃO se viciam.Já no caso MACONHA a dependência e os efeitos são IMEDIATOS ou ocorrem após algumas poucas experiências e se comparados ao álcool os números serão assustadores. Há diferença entre o alcoolismo e a embriagues e suas implicações. Como disse a MACONHA vincula TODOS que a ela se apresentam e especialmente se apresentam com freqüência e constância. São coisas diferentes e com diferentes repercussões sociais e pessoais.Não me recordo onde li ou ouvi mais a UNIFESP possui estudos sérios sobre os efeitos DELETÉRIOS da MACONHA e suas implicações no Psiquismo Humano. Acredito mais na UNIFESP e seus pesquisadores que na revista citada. Até, pois, a PRESSÃO no BRASIL tem sido muito forte pela liberação da MACONHA e uma pesquisa que se contrapõe a essa PRESSÃO parece-me mais valiosa para análise. Vejo mais crível. Há literatura no BRASIL que igualmente faz esse tipo de distinção. Observo muitos interesses de GRANDES laboratórios e empresas farmacêuticas tanto em produzir substâncias químicas para VENDA tanto no caso do tabaco, fumo de cigarro, como uma enormidade de coisas desimportantes. Daí continuar FIRME em minha argumentação. Dentro do já abordado: Tabaco, SIM. Bebida Alcoólica, SIM. MACONHA, NÃO! Sem pré-conceitos quaisquer. Não HÁ DOGMA. Há uma visão DISCORDANTE do pseudo politicamente e cientificamente-estatísticamente correto. Em verdade contraditório e falso. Apesar da CHANCELA INTERNACIONAL de GRUPOS. É isso! Obrigado mais uma vez. E podemos prosseguir. Forte Abraço. Bom domingo! Até já! OPINIÂO!

  17. Ricardo Santa Maria Marins

    26/06/2011 12:30:34

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Como vai Caro Alberto, sem dúvida nossa troca de informações é relevante enquanto pessoas COMUNS, NÃO técnicas ou na condição de técnicos, cientistas ou especialistas identificados ou identificáveis. Pessoas da RUA que apresentam visões, mesmo que embasadas em opiniões e observações ocasionais. Então: É dentro desse contexto que estou debatendo, sem qualquer pretensão científica ou mesmo jurídica. Considerando o veículo BLOG como algo solto e desprendido de formalismos científicos e jurídicos.Bom, posso assegurar que minha OPINIÃO não guarda qualquer intenção MORAL, RELIGIOSA, EDUCACIONAL e, mesmo preconceituosa.É isso mesmo: O Álcool em si, NÃO é DROGA VICIADORA como o é a MACONHA! Mantenho minha afirmação independentemente de dados estatísticos internacionais.Note: Jamais disse que sou profissional qualificado. Até pelo contexto de BLOG quando apresento minha OPINIÃO ela está embasada em conhecimentos gerais e vivências e experiências sem necessariamente estar vinculada a qualquer especialização. Até se assim NÃO fosse, desnecessário seriam os BLOGS.Minha visão sobre BLOGS, redes SOCIAIS, e, outros mecanismos "POPULARES" de comentários e OPINIÕES, entendo, DEVEM estar DESQUALIFICADOS enquanto SÍMBOLOS, TÍTULOS, CARTEIRADAS, importâncias como referências especiais ou especializadas. PERDERIAM sua FINALIDADE caso estivessem vinculados às chamadas: " OPINIÕES ABALIZADAS e CULTURAMENTE doutoradas ou mestrandas etc”... A finalidade dos BLOGS, locais para comentário - que chamo de oportunidades iguais INDEPENDENTEMENTE do grau de importância ou na minha visão - PSEUDO-CERTEZA-CIENTÍFICA forçada, é para a ACADEMIA. Daí dou pouca ou nenhuma importância para dados ESTATÍSTICOS ou para PESQUISAS às quais em sua MAIORIA ATENDEM aos interesses e interesses nem sempre apropriados. Compreendo sua argumentação e referência ao THE LANCET. Reservo-me o direito de discordar.Hoje na televisão ouvi o seguinte comentário: Morrem na CHINA milhões por causa do cigarro. Afirmação MENTIROSA. Está na mídia. Uma leitura menos atenta faz crer verdadeiro. Entretanto é afirmação FALSA. Caro Alberto - Álcool não vicia como a MACONHA. A EMBRIAGUÊS é condição do excesso de consumo. E, acontece naqueles pré-dispostos genética ou hereditariamente. A MACONHA após excessos VICIA, espraia para DROGAS mais PESADAS e altera o psiquismo. MUITO mais LETAL. E pelo pequeno conhecimento que possuo CONTEXTO Pesquisas ESTATÍSTICAS. OPINIÃO!

  18. alberto

    25/06/2011 22:42:43

    Caro Ricardo Santa Maria Marins (disse: 25/06/2011 às 20:51).Estamos discutindo (no melhor sentido da palavra) há um bom tempo já e com o que eu considero um bom nível de arguição (de ambas as partes). Continuei minha argumentação pois o Sr. me pareceu bastante racional em seus comentários. No entanto não estou entendendo suas últimas colocações. Veja suas palavras:" O álcool em si, NÃO é DROGA VICIADORA como o É a MACONHA." O Sr. está contradizendo pesquisas sérias publicadas no The Lancet? Acha que sabe mais do assunto do que os muitos pesquisadores consultados? Preferiu ignorar os resultados encontrados? O Sr. pode dizer que não gosta da maconha por motivos morais, religiosos, educacionais. Ok. Mas contradizer resultados obtidos por profissionais muito mais qualificados que o Sr. e eu não me parece muito racional. Com todo o respeito esta até parecendo um dogma, o qual o Sr. se recusa a abandonar. Entenda que não estou discutindo como a lei brasileira classifica as drogas (leves, pesadas, viciantes) mas sim como a medicina as classifica. E de acordo com a revista conceituadíssima supra mencionada, o álcool causa mais danos físicos, danos sociais e também é mais viciante. Não é minha opinião. Não sou eu que estou dizendo. São pesquisadores idôneos (no caso a maioria britânicos mas também de outras nacionalidades) que estão constatando a partir de estudos seriamente planejados.

  19. Daniel Venturi

    25/06/2011 21:18:44

    Pois é Salma, os vermelhinhos adoram atacar quando se sentem ameaçados, tentam distorcer a lógica com um discurso irracional (veja Edna e Celso acima). Rezam pela cartilha do Lenin e do Stalin. Agora quando é para discutir racionalmente, o negócio é fugir mesmo. Estas são as pessoas que saúdam nosso governo de esquerda, atrás de uma teta no Estado aparelhado para mamarem, e de preferência deitados...

  20. Ricardo Santa Maria Marins

    25/06/2011 20:51:13

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Caro Alberto, concluindo: Há diferença entre o Alcoolismo e a Embriaguez. Alcoolismo é algo duradouro. Persistente, constante. E embriaguez é algo esporádico ao longo da vida da maioria das pessoas no planeta e funciona enquanto quantidades alcoólicas diferentemente entre pessoas e na mesma pessoa dependendo de várias condições. O álcool em si, NÃO é DROGA VICIADORA como o É a MACONHA. A MACONHA além de ATACAR o psiquismo HUMANO o faz independentemente das pessoas e de suas condições presentes e passadas. Portanto, os efeitos deletérios da MACONHA, haxixe, Skunk são DESGRAÇADAMENTE mais destruidores, e ai sim, de TODOS OS QUE ENTRAM EM CONTATO NÃO OCASIONAL, sem exceção. Significa: É democrática e comunista em sua premissa viciante-drogada e que produz IRREVERSIBILIDADE enquanto pretensão de cura. O álcool é mais elitizado, capitalista e NÃO VICIANTE. Exceto, os genética e hereditariamente pré-dispostos à EMBRIAGUEZ alcoólica crônica, os demais, sua GRANDE MAIORIA não são FISGADOS pela BEBIDA ALCOÓLICA. São e serão sempre casos episódicos. Ocorre que com a FÚRIA LEGISLATIVA ELEITOREIRA, para disfarçar, os GRANDES e pequenos DESVIOS na conduta POLÌTICA IMPROBA e utilizando apelos MORAIS, caso serra, em são paulo e caso FHC e outros puro puritanismo ineficaz e ineficiente, produzem ABERRAÇÕES ILEGAIS e INCONSTITUCIONAIS com motivações de esconder a realidade IMPROBA na política. E ocupam a cabeça da população com FANTASMAS. OU, como por MÁ FÉ criam cenários totalmente contraditórios de forte apelo emocional e moral. Para os eleitores/as a ficha limpa lei 135/2010 está no mesmo sentido de má fé, entretanto, invertendo a realidade originária contida na CF/88. Ficha limpa FACISTA. Lei anti fumo paulista – FASCISTA. Proposta FHC de descriminalização CRIMINOSA! OPINIÃO!

  21. Ricardo Santa Maria Marins

    25/06/2011 19:43:47

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Caro Alberto. Não, definitivamente, NÃO, JAMAIS, trocaria o álcool por MACONHA. Note: É a minha OPINIÃO!A válvula de escape a que me refiro existe desde que o mundo é mundo. Não há novidade.O que se tem certeza é que da MACONHA derivam para o Crime Organizado e para o tráfico de DROGAS e para o tráfico de crianças e mulheres. Disso há certeza. Sem falar nos incidentes de semi-guerra entre os DROGADOS diversos. É parte integrante desse ambiente. Gostemos ou NÃO.Então: Não dá para trocar MACONHA por álcool como eventual ponto de fuga.OPINIÃO!

  22. Ricardo Santa Maria Marins

    25/06/2011 13:29:35

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Caro Alberto seu argumento sobre o que eu disse sobre políticas públicas contra DROGAS nada tem a ver com a conclusão que você chegou ou escreve. Quando falo em pessoas subversivas e transgressoras como em vários casos sói acontecer. Entendo a TRANSGRESSÃO e ENTENDO a SUBVERSSÃO como algo SAUDÁVEL. Atitude CONTRAVENTORA é SAUDÁVEL. Especialmente, entre JOVENS e adolescentes. Nada há de ERRADO nessa EXPLOSÃO HORMONAL CONTRADITÓRIA. Pelo contrário é algo bem-vindo. A PASSIVIDADE é coisa DOENTE. Daí eu ter dito acima que considero nosso POVO brasileiro em sua grande maioria muito SAUDÁVEL, inclusive MENTALMENTE.Sua conclusão é que esta ERRADA.Fica perfeitamente compreendido que pela NOCIVIDADE apresentada cabe REPRESSÃO.Fica perfeitamente preservado o INVESTIMENTO em contraposição ao tráfico de DROGAS.Fica perfeitamente entendido que APESAR de sempre corrermos ATRÁS, a corrida será GANHA por aqueles que pela REPRESSÃO e pela CRIMINALIZAÇÃO superaram esse MOMENTO HORMONAL REBELDE e se tornaram em ADULTOS equilibrados para SI PRÓPRIOS e sem a DEPENDÊNCIA TÓXICA como norteadora de suas VIDAS.Ao contrário Caro Alberto: Desistir JAMAIS!O importante é compreender que PRECISAMOS ter a CORAGEM de dizer NÃO e novamente NÃO. E um GOVERNO responsável e um Estado responsável deverá dizer NÃO!NÃO para a MACONHA!É minha OPINIÃO sobre o TEMA!E sobre nossa troca de idéias fico agradecido pela oportunidade e é bom estarmos trocando idéias.Fique claro que respeito sua posição-opinião. Entretanto, fique claro que DISCORDO de seu DISCURSO.Até BREVE,Forte ABRAÇO!OBRIGADO!

  23. alberto

    25/06/2011 13:28:09

    Veja publicação da revista The Lancet de 2007, revista médica inglesa que consultou dois grupos independentes de pesquisadores.http://drugwarfacts.org/cms/?q=node/28Se o Sr. concorda que deve haver alguma possibilidade de válvula de escape seria mais lógico trocar o álcool pela Cannabis pois de acordo com a respeitada revista, causa menos dano físico, menos dano social e menor dependência.Não te parece lógico?

  24. Ricardo Santa Maria Marins

    25/06/2011 13:07:04

    Finalizando:Caro Alberto: Não há qualquer engano. Psiquiatras, psicólogos e psicanalistas NÃO são BICHO PAPÃO. São especialistas no comportamento humano e especulam sobre suas reminiscências recorrentes no presente. Uns mais ligados aos medicamentos e outros com terapias alternativas. Focos diversos de análise. O Médico Clínico Geral, PRESUMIVELMENTE, está equipado ou deveria estar para atender todos os casos. Entretanto, há inúmeras possibilidades na área de saúde e outras tantas por vir, ainda desconhecidas ou conhecidas insuficientemente. Portanto: MACONHEIROS e DROGADOS por DROGAS ILÌCITAS e PESADAS no contexto do TEMA devem ser TRATADOS preferencialmente, por PSIQUIATRAS. Na seqüência e evolução por Psicólogos e Psicanalistas. Precisamos DESMISTIFICAR as idéias ERRADAS sobre psiquiatras, psicólogos e psicanalistas. Esses profissionais SERÃO importantíssimos nos anos por vir. O grau de complexidade existente nas RELAÇÕES HUMANAS e agora internacionais contemplando maneiras de se comunicar no presencial e, virtual poderão contar com essa colaboração técnica especializada e que será útil e na minha visão inteligente. E, separo sim, MACONHEIRO é coisa para CUIDADOS PSIQUIÁTRICOS. A confusão sobre DROGAS PESADAS e MENOS PESADAS é feita por você! Na literatura JURÍDICA existente há essa diferença. E esse é outro ponto em questão. Quando falo em DROGAS PESADAS, afora o aspecto de dependência psíquica irreversível, a LEI BRASILEIRA considera dessa maneira. E no quesito LEGAL JURÍDICO, entendo que: A maconha, cocaína e derivados, e outras sintéticas ou NÃO DEVEM SER PROIBIDAS, DEVE existir REPRESSÃO e DEVEM SER CRIMINALIZADOS tanto o usuário como o traficante. Por sinal, o traficante é um USUÁRIO que percebeu o LUCRO financeiro produzido pelo TRÁFICO e sua ampliação como CRIME ORGANIZADO. Então: A descriminalização e a libertinagem de expressão representam APOLOGIA AO CRIME. Então: RE-INSISTO: REAFIRMO: NÃO é RAZOÁVEL uma SOCIEDADE CONSTRUÍDA em AMBIENTE DROGADO e PERMISSIVO por PARTE DO ESTADO e seu GOVERNO, enquanto. OPINIÃO!

  25. Ricardo Santa Maria Marins

    25/06/2011 12:40:43

    Prosseguindo: Caro Alberto – Há diferença entre – EVENTOS EPISÓDICOS de CONHECIMENTO e CONTUMÁCIA no USO efetivo e constante da DROGA MACONHA e outras Ilícitas. Acredito que o Obama e outros se encaixam no quesito EPISÓDICO de conhecimento. Veja: Eu não digo. Eu AFIRMO que a MACONHA produz efeitos IRREVERSÍVEIS. Chama-se memória neural. E os contumazes na utilização da MACONHA, portanto, VICIADOS, se transformam em FARRAPOS HUMANOS. Há partes interessantes no cenário INVENTIVO E CRIATIVO que possuem com start, ponta pé inicial, certo insight, entretanto, o DOM já está presente e é pela expansão do DOM que surge a MÚSICA com MUSICALIDADE. É intrínseca ao INDIVÍDUO. A droga é mera coincidência. Aconteceria de qualquer maneira. Os sons estão na NATUREZA e pessoas dotadas de acuidade exacerbada natural captam sons e os transformam em seqüências musicais. Nada tem a ver com DROGA. Sua lógica sobre a NICOTINA está ERRADA. Os efeitos quando da descontaminação em qualquer DROGA provocam síndrome de abstinência. Entretanto, a síndrome está ligada ao efeito já em fase terminativa e o que se discute aqui é o efeito após o início e em seu CURSO. E ainda assim, são crises de abstinência com características TOTALMENTE diferente, na prática. Muitos comparam ERRADAMENTE o efeito NICOTINA com os produzidos pela Cocaína e derivados. Pois é: Os que estudam esse TEMA sempre acrescentam que: Embora exista semelhança nos efeitos produzidos, há essa IMPORTANTE diferença entre: O FUMO NICOTÍFERO NÃO produz alterações no psiquismo humano. E esse é o PONTO da linha tênue de separação entre DROGAS PESADAS e DROGAS LÍCITAS. No caso o TABACO com sua Nicotina Alcalóide. Efeitos parecidos, porém, com conseqüências diferentes para a psique!

  26. Ricardo Santa Maria Marins

    25/06/2011 12:07:38

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá Caro Alberto, você está confundindo algumas coisas. Vou apresentar de outra maneira.Vejamos: Quando me refiro a parte ÍNFIMA da sociedade refiro-me às DROGAS ILEGAIS. E no tema, maconha, cocaína e derivados craque. O TABACO e a NICOTINA, seu alcalóide por NÃO produzirem relevantes danos ao SNC no sentido de: Não alteração do psiquismo. Então: Abordar o Tabaco e seu alcalóide a nicotina como explicação para descriminalização ou liberação da MACONHA é totalmente equivocado. São coisas que fazem fumaça, porém, com conseqüências diferentes. Caso: ÁLCOOL – Neste tema efetivamente há uma AGRESSIVIDADE maior, comparável às DROGAS ILEGAIS. Entretanto, será UM GRANDE erro e aí responsabilizo às autoridades internacionais e inclusive a ONU, por imaginar que os SERES HUMANOS, serão, um dia, completamente puros e NÃO contraventores. Há necessidade de que algumas poucas possibilidades de FUGA da realidade aconteçam. Dentre elas: Considero o TABACO, conhecido como FUMO de cigarro convencional e o Álcool, especialmente, vinho tinto, CANA 51, Vodka e outras como substâncias POSITIVAS no sentido de dar vazão aos anseios de liberdade menos contida ao SER HUMANO. Refiro-me ao aspecto GREGÁRIO DE ENCONTROS SOCIAIS. Por de “episódios ocasionais de confraternização entre SERES HUMANOS EM FESTA”. Isso difere dos dependentes do Álcool. Dos tipicamente DROGADOS. Essa tênue separação implica em atitudes que retornam ao ambiente familiar de EDUCAÇÃO familiar preparatória para a convivência SAUDÁVEL e menos NEURÓTICA. Entendo que a OMS ERRA ao induzir LEIS aos Estados. Entendo que ACERTA ao induzir políticas de desqualificação de qualquer DROGA, lícita ou ilícita. SEGUE...

  27. alberto

    25/06/2011 08:56:12

    Também esqueci de comentar: suas palavras: A atual política de DROGAS, as anteriores e posteriores sempre continuarão a DESEJAR. O CRIME e o DESEJO HUMANO de subversão sempre SERÃO maiores que QUALQUER POLÍTICA, LEI, ACORDO, TRATADO, PROIBIÇÃO, REPRESSÃO, PENA CRIMINAL e etc…Faz parte do SER HUMANO enquanto HUMANO.Se é da natureza humana este desejo de se drogar (ou subversão de acordo com o Sr.) porque gastar milhões em recursos tentando evitar uma coisa que já vai acontecer e que não irá prejudicar ninguém além do próprio autor da escolha? Não fica claro que proibir uma coisa que já vai acontecer é fortalecer a ilegalidade e corrupção? Porque não reinvestir todo este dinheiro tentando minimizar os danos causado pelo uso ao invéz de tentar coibi-lo (em vão pois de acordo com o Sr. é da natureza humana). Além disso se as políticas posteriores de repressão também deixarão a desejar porque seguir este caminho? Investir num caminho que já se sabe é falho?

  28. albert

    25/06/2011 08:39:13

    Caro Ricardo Santa Maria Marins.Li seus comentários e acho que entendi boa parte da mensagem que quis passar. No entanto achei uma série de discordâncias na sua argumentação. Vejamos:O Sr. diz que parte ínfima da sociedade é drogada; Isso não é verdade. Pesquisas de 2005 mostravam que um quarto da populção brasileira é tabagista (ou seja drogada, nicotina é droga). Isso sem contar quantos consomem álcool, hipnóticos, antidepressivos, drogas ilegais, e tantas outras. Se 25% consomem tabaco, juntando-se consumidores de todos os outros tipos de drogas, deve-se chegar a uma parcela bastante significativa da população.O Sr. também diz que a maconha danifica irreversivelmente as estruturas cerebrais do usuário (chamando-a de droga pesada e comparando-a com crack, heroína e etc) transformando o mesmo em farrapos humanos. Estes então seriam incapazes de dirigir a sociedade. Esqueceu-se do Barack Obama? Pois é, um dos homens mais poderosos do mundo já assumiu que foi consumidor de Cannabis. E mais, se a maconha rouba toda a produtividade do usuário, como surgiu a linda música impressionista de Debussy? (usuário de haxixe) ou os famosíssimos reggaes de Bob Marley?Outro ponto é o seguinte: nas suas palavras:a Nicotina, não interfere no psiquismo humano, interfere em outros cenários e estruturas. Isso não é verdade. A nicotina atua sim no SNC, pois lá existem receptores nicotínicos, mudando por vezes o psiquismo do usuário. Como os efeitos são discretos fica-se com a impressão de que não existe o efeito. Para se ter uma idéia clara do efeito basta olhar o que a ausência de nicotina faz com o dependente. Já viu fumante tentando parar de fumar? Fica ansioso, irritável, hiperativo, dorme mal, desconta na comida (engorda) entre tantos outros sintomas de abstinência. No que tange ao poder de adicção a nicotina está muito a frente dos cannabinóides. Muitos médicos comparam o poder viciante da nicotina com o do crack ou heroína.Outro ponto que não é verdadeiro é que maconheiro é caso de psiquiatra e tabagista de clínico geral. Basta olhar os medicamentos utilizados para parar de fumar: boa parte deles são antidepressivos geralmente receitados por psiquiatras.O Sr. se engana ao achar que por ser ilícita a droga é pesada e por ser lícita ela não o é (e a Datura que ja mencionei?; e o gráfico?)

  29. Ricardo Santa Maria Marins

    24/06/2011 22:20:36

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá! Como vai GUNNAR. Você está correto! O que eu disse foi: Entretanto, insisto: São Paulo, capital e grandes cidades com tráfego intenso NÃO combinam com BICICLETAS. Apenas os médicos que trabalham em ORTOPEDIA serão, melhor remunerados. Os casos vão aumentar!Questão de Bom Senso! E, naturalmente, FALTA TOTAL DE ESPAÇO NAS PISTAS DE ROLAGEM!Vai dar ZEBRA!Entretanto, é um direito assegurado por Lei. Desejo-lhe BOA SORTE!OPINIÃO!

  30. Ricardo Santa Maria Marins

    24/06/2011 21:53:20

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!A diferença fundamental entre a Maconha e o Tabaco é que a MACONHA produz alteração no psiquismo humano e alterações severas dependendo do grau de comprometimento e uso. Já a Nicotina, não interfere no psiquismo humano, interfere em outros cenários e estruturas.MACONHEIRO é caso de psiquiatria. TABAGISTA é caso de Médico Clínico. Também, Psicólogos e, para AMBOS Psicanalistas.Entretanto, JAMAIS devem às autoridades fazer qualquer confusão entre MACONHA e TABACO. Mais, prejudicarão! Do que ajudarão.Maconha merece REPRESSÃO como craque, cocaína e outras.Em minha opinião a SOCIEDADE NÃO PODE aceitar essa cantilena FAJUTA de MACONHEIROS/AS sobre liberdade de expressão. É descaradamente APOLOGIA AO CRIME E LIBERTINAGEM DE EXPRESSÃO.É preciso ter em MENTE que: Quase todo o toxicômano se transporta para a politoxicomania e, a DROGA indutora ou encontrada pelas autoridades em incertas é a MACONHA. E nos FINALMENTE, já na clínica, depois de tudo, virá caso de doença mental.Então: RE-INSISTO: REAFIRMO: NÃO é RAZOÁVEL uma SOCIEDADE CONSTRUÍDA em AMBIENTE DROGADO e PERMISSIVO por PARTE DO ESTADO e seu GOVERNO, enquanto.OPINIÃO!

  31. Ricardo Santa Maria Marins

    24/06/2011 20:48:04

    Olá Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Caro Alberto, fiquei pensando no seguinte: Um indivíduo que está sob o efeito de DROGAS PESADAS como MACONHA e outras que alteram estruturas do pensamento e humor, JAMAIS, podem conduzir uma sociedade a um lugar seguro. Note: O MACONHEIRO está à mercê de sua DESLIGAÇÃO temporária, é como se fosse um PISCA-PISCA de interrupção elétrica. Em outro momento, está sob impacto de DEVANEIOS, tornando-o com o SORRISO dos IDIOTAS, sorriso hilário. Há perdas sensoriais. Perdas no conjunto das percepções e, hiatos temporáias tipo "delay". Na comunicação é quando aúdio e vídeo estão em desacordo. O cérebro sobre efeito da MACONHA tem esse funcionamento dentre outros. Em alguns casos ocorrem crimes pelo fato alucinatório envolvido e quando há pré-disposição no indivíduo. Mais comum no craque, cocaína, mescal e outras.Então: REAFIRMO: NÃO é RAZOÁVEL uma SOCIEDADE CONSTRUÍDA em AMBIENTE DROGADO e PERMISSIVO por PARTE DO ESTADO e seu GOVERNO, enquanto.A atual política de DROGAS, as anteriores e posteriores sempre continuarão a DESEJAR. O CRIME e o DESEJO HUMANO de subversão sempre SERÃO maiores que QUALQUER POLÍTICA, LEI, ACORDO, TRATADO, PROIBIÇÃO, REPRESSÃO, PENA CRIMINAL e etc...Faz parte do SER HUMANO enquanto HUMANO.Isso em ABSOLUTO deve DESESTIMULAR o ESTADO e seus GOVERNOS em COMBATER REPRIMINDO esse comportamento ERRADO e prejudicial a SOCIEDADE. Sempre estou me referindo às DROGAS PESADAS, ILEGAIS e ILÍCITAS.O CRIME sempre estará à frente de qualquer atividade NÃO CRIMINOSA. PERCEBA: No meio CRIMINOSO seja lá qual for NÃO HÁ REGRAS. Vence o mais FORTE e com mais DINHEIRO e com maior poder de FOGO - MORTE.A lógica que envolve a SOCIEDADE é diferente. Preserva-se a VIDA. O CRIME escolhe a MORTE com foco principal. Os traficantes são NEGOCIANTES, onde o valor da VIDA NÃO EXISTE.É um equívoco esse TEMA liberdade de expressão para MACONHEIROS. Em verdade é LIBERTINAGEM DE EXPRESSÃO favorável ao CRIME. Portanto, puríssima APOLOGIA AO CRIME. Quem orientou o STF - PISOU NA BOLA e o STF PISOU NA BOLA JUNTO!O maior ERRO cometido é fazer o casamento argumental entre TABACO, ÁLCOOL e DROGAS PESADAS, Maconha, Cocaína e outras.São substâncias - TODAS DELETÉRIAS, entretanto, completamente diferentes em efeitos e repercussão.E o BRASIL está cometendo esse ERRO induzido por POLÌTICOS CRETINOS como o FHC e o IMBECÍL do serra!Espero que a população nas eleições se LEMBRE DISSO e DESCARTE esse TIPO DE POLÍTICO.OPINIÃO!

  32. Ricardo Santa Maria Marins

    24/06/2011 18:22:38

    Olá Caros Comentaristas! E, Sakamoto! Olá! Caro Alberto disse: 24062011 às 4:40. Bom, espero que esteja aproveitando esse feriado. Muito Boa sua colocação, novamente. Veja: É óbvio que parte ÍNFIMA da sociedade está DROGADA. E sempre foi assim. Não há surpresa nisso! O que NÃO pode é o governo e o ESTADO COMPACTUAR com esse cenário. O fato de governos e ESTADOS produzirem grandes programas de política anti-drogas, NÃO necessariamente, implica em NÃO REPRIMIR o comportamento. Ao contrário: É com grandes, eficientes e eficazes, programas de política anti-drogas, que envolvem a ESPERANÇA em recuperação dos já DROGADOS e aspirantes às DROGAS e em conjunto REPRESSÂO PESADA ao CRIME ORGANIZADO e TRÁFICO DE DROGAS, ainda, REPRESSÃO com a - ENERGIA - necessária aplicada aliada a PENAS cabíveis em DINHEIRO e em RECLUSÃO. Sem que um desses elementos, esteja alinhado tanto a ESPERANÇA de CURA como a superação ao crime organizado e tráfico de drogas NÃO ACONTECERÁ! Respeito sua argumentação em contrário, entretanto, DISCORDO. E no quesito EDUCAÇÃO o cerne da questão está na EDUCAÇÃO FAMILIAR. Famílias mais ESTRUTURADAS verdadeiramente, reproduzem menos tendências de interesse em se DROGAR com DROGAS NEGATIVAS ou PESADAS ou ILÍCITAS, ILEGAIS. Dois pontos: Em relação às décadas de 50, 60, 70 a POPULAÇÃO brasileira cresceu. A afirmação de que o consumo aumentou, considero questionável e NÃO acredito nesses números, até, pois, NÃO existem. São amostragens de amostragens! E, insisto: A repressão funciona. Discordo de sua análise quanto ao DOM eventualmente desperdiçado. Seu comentário NÃO ataca o ponto: O DOM é algo que aproveitado no momento certo virá realidade promissora, ultrapassado esse MOMENTO, vira DESPERDÍCIO NÃO recuperável. E a MACONHA e as drogas ILEGAIS das quais falamos são CERTEIRAS em destruir DONS. E gerarem FRANGALHOS ou FARRAPOS HUMANOS. Sua lógica NÃO é verdadeira. Mesmo que o DROGADO seja conduzido ao HOSPITAL especializado costuma reincidir. Como disse: A memória celular CONTAMINADA fica impregnada e são raros os casos recuperáveis e só PARCIALMENTE. As estruturas cerebrais ficam IRREVERSIVELMENTE prejudicadas. Daí a repressão ser fator de CONTENÇÃO em TEMPO. Depois, aí sim, vira caso de polícia e, quando for de prisão. Nesse ponto já se faz TARDE! Em minha ótica é REPRESSÃO combinada com políticas públicas sérias e desde o início, forte amparo e embasamento educacional na família. Porém, começa na FAMÍLIA. E concluo com: É apologia ao CRIME! OPINIÃO!

  33. Salma Dirsta

    24/06/2011 10:45:46

    Danilo , a gente já conhece estes tipinhos ...Basta tirar a caixinha de fósforos e o discurso murcha! Ademais são gente mais que hipócrita , egoístas..Observe a lógica - eu fumo meu baseado e ninguém tem nada com isto... como se os problemas de saúde pública que a s drogas trazem não custassem a todos ; como se as mortes violentas por "noiados" ( ou alguém ainda duvida que a maconha é a porta de entrada das demais drogas ? ) não fosse interesse público; como se as mortes por chapados ao volante não fosse problema de ordem pública ; como se as misturas com álcool e que induzem a crimes outros não fossem refletidas na sociedade ! Pode apostar : debaixo de todo vermelhóide existe sempre um autoritário inescrupuloso ou covarde nocivo !

  34. alberto

    24/06/2011 04:40:10

    Caro Ricardo Santa Maria Marins (disse: 21/06/2011 às 11:10)Perdoe a demora de meu comentário mas só pude acessar a intenet agora. Respeito sua opinião favorável à repressão mas não concordo com ela. Ao meu ver o Sr. se engana ao dizer que não é razoável uma sociedade construída em ambiente drogado e permissivo. Isso pois o Sr. se esquece que a nossa sociedade atual já é drogada (com drogas lícitas e ilícitas). A atual política de repressão às drogas falhou. Veja, estamos reprimindo o consumo (de maconha a priori, pois é o que esta em pauta) a quantos anos? 50, 60, 70? E o que se conclui? Que o consumo aumentou vertiginosamente. Ou seja se temos por intenção reduzir o consumo com a repressão não está funcionando.Também entendo quando o senhor fala de sonho interrompido ou dom desperdiçado pela droga. Mas, no meu entendimento, mais do que a maconha, a repressão é um grande fator neste quesito. Analisemos uma situação hipotética: um jovem que decide experimentar maconha, seja lá por qual razão. Então, supondo que tivessemos uma polícia eficiente e ele fosse pego em flagrante em uma boca de fumo qualquer. Seria preso, e, enquanto aguarda um julgamento, seria posto em contato com todo o tipo de criminoso e mais, com todo o tipo de droga. Ou seja se ele já estava optando por um caminho ruim (consumo de Cannabis), trancafiado numa prisão infestada de drogas é que não vai ajudá-lo a escolher um caminho melhor. Por esta ótica, se o consumo de drogas interrompe sonhos e desperdiça dons, a repressão só piora o cenário. É neste contexto que disse no primeiro comentário que a família não deve relegar seus membros ao estado. O cuidado e orientação da família seria muito mais eficaz do que a repressão do estado ou seja, prender este usuário num ambiente no qual ele só vai afundar mais. E é por isso que acho que, no que tange as drogas, deveríamos trocar repressão por educação.

  35. Salma Dirsta

    24/06/2011 00:03:31

    Bastante original e cívico ! Depois desta , podemos continuar nossa luta que a irmãzinha aí vai nos defender !

  36. Salma Dirsta

    24/06/2011 00:00:44

    Parabéns pelo comentário, que percebo é emocionado !

  37. Salma Dirsta

    23/06/2011 23:55:21

    Aliás , a plaquinha que levou era para não se esquecer do que estava fazendo lá , não é não ?

  38. Salma Dirsta

    23/06/2011 23:53:40

    Edna Lopes ... se mais maconheiros tivessem ido à marcha eles teriam se esquecido do que faziam ali , na verdade...imagina se iriam se lembrar de alguma coisa !!! A erva traz este probleminha , tá lembrada ? Suspeito que vc também não se lembre!

  39. Selton redinick

    23/06/2011 23:50:25

    Edna ,acho que muita maconha fritou seu cérebro ... será que é por isto que tem verdadeira fixação com almôndegas ? Mas que pessoa chata vc é !

  40. Ulisses Adirt

    23/06/2011 23:42:39

    Vou presentear meus alunos com o seu texto, Sakamoto. Obrigado, obrigado mesmo.

  41. Daniel Venturi

    23/06/2011 23:23:06

    Selton, vc disse tudo... e vc acha que algum dos dois teve coragem de me mandar um e-mail? Para malhar a gente em público são bons, agora para discutir de igual pra igual sem chance, nem se mexem...

  42. Selton Redinick

    23/06/2011 14:04:47

    Qualuqer pessoa que discorde do livrinho cartilha vermelhina da Da. Edna é racista ou preconceituoso... Bom mesmo é defender maconheiro e quebra de regras e da lei... aí são libertários!De hipócritas como este senhora a gente já tá de saco cheio !

  43. roberto c.

    22/06/2011 22:34:18

    Quer ler alguma coisa que presta sobre o assunto, veja o seguinte:http://sarrabulhadacult.blogspot.com/2011_05_01_archive.html

  44. Dawran Numida

    22/06/2011 15:23:42

    Pois, deveriam ir todos para "o churrasco da polícia". Qual o problema? depois de proteger tanta passeata, o policial tem direito a folga e fazer um churrasco com amigos e parentes. A não ser que ele esteja proibido e só possa comer caviar e tomar champagne. Afinal, está em São Paulo e na Avenida Paulista, não é mesmo?

  45. Dawran Numida

    22/06/2011 15:20:49

    Sakamoto, não dá para deixar de apontar que essa sua frase: "...capital que tem o orgulho (idiota) de ter quase dois habitantes por automóvel..." é meramente preconceituosa para com as pessoas que pretende trazer para causas que considera válidas. Ou as pessoas que não participam ou discordam, são verdadeiros idiotas, coisa que elas podem pensar no inverso. Ou há um grande preconceito dos participantes quando qualificam as pessoas que não pode circular na Avenida Paulista quando fecham-na na duas direções por qualquer motivo. Ou os participantes são niilistas ao extremo e se acham os mentores de todos em prol de uma nova sociedade, nova ordem etc. etc. Ora, além de não serem gado, as pessoas têm o direito de concordar, discordar, participar, não participar. Só não têm o direito de fazer o que a lei não permite. E lei garante a individualidade das pessoas, se não estão enganados todos.

  46. Renato

    22/06/2011 01:44:30

    E talla, agora me dei conta que talvez eu possa ter tocado em sua ferida.Talvez você goste de usar mini-saias e tem sido à contra-gosto (e injustamente, talvez) comparada com uma prostituta.Continue usando sua mini-saia. E seja prostituta apenas se isso fizer você feliz, ninguém pode te julgar por buscar sua satisfação pessoal.Desculpe qualquer coisa! :)

  47. Renato

    22/06/2011 01:40:21

    @tallacerto, vou esperar você terminar de rir. Na falta de argumentos, você só grita para o alto dizendo "seu argumento é infeliz" e não faz mais que isso, não diz mais que isso.Se essa é sua linha de argumentação, você está no mesmo barco que eu: o barco dos infelizes.

  48. talla

    21/06/2011 20:50:10

    @RENATO,A comparação mais infeliz que já ouvi na minha vida !!!!! Comparar maconha com mini-saiahahahahahhahahahahahhaha

  49. virgilio

    21/06/2011 14:55:15

    Engraçado, tem uma galera que malha por que as manifestações envolvem "atrapalhar o direito de ir e vir do cidadão de bem". Mas não lembro da indignação destes quando o transito foi fechado pra uma corrida em plena segunda feira. Ahhh, mas os organizar corridas pagando pelo espaço público (as vezes nem isso) pode, mas usar o espaço público pela população exercendo direito de manifestação não pode? Será que os manifestantes deveriam pagar pra usar a Paulista? Assim teriam o espaço liberado para exercer a cidadania? Sobre o uso de serviços essenciais, ambulancias e bombeiros não tem rotas interrompidas por esses eventos, são criados rotas alternativas pra tais situações. Sobre se é certo ou não a defesa da maconha, não sei, mas sei que o período onde o crime mais floreceu nos EUA foi quando a bebida alcoólica foi proibida - aqui a gente realmente defende um Estado Liberal manco, onde o liberalismo só funciona para as empresas e não para os indivíduos.

  50. Trípede

    21/06/2011 11:22:46

    Provavelmente, Ricardo, sob este mesmo "argumento", vc é a favor da Eutanásia, correto?E mais: maconheiro não precisa de recuperação em clínicas de recuperação como a recuperação necessária em drogas pesadas. E também está longe de ter os gastos exorbitantes do cigarro normal, uma vez que, devido à natureza da substância, há ínfima/irrisória/diminuta fração de maconheiros capazes de quererem fumar maços por dia. Ou seja, não compare os males do tabaco aos males do cigarro.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso