Blog do Sakamoto

Ampliação do porto de São Sebastião ameaça Litoral Norte de SP

Leonardo Sakamoto

Está em andamento um projeto do governo do Estado São Paulo para ampliar o porto de São Sebastião e transformá-lo num movimentado terminal de navios de carga com a passagem de 1,5 milhão de contêineres por ano – 20% a mais do que era o porto de Santos em 2007. Essa região guarda alguns dos mais importantes remanescentes de Mata Atlântica e de Manguezais do país e será impactada pelas obras e operações do novo porto. A jornalista Juliana Borges, que tem acompanhado de perto os impactos do desenvolvimento no Litoral Norte de São Paulo, escreveu um texto para este blog levantando a discussão. Considerando que, no Brasil, o meio ambiente e os moradores locais costumam ser atropelados por aquele tipo de desenvolvimento que vê números, mas não pessoas, é bom ficar atento. Hoje é Belo Monte. Amanhã, São Sebastião…

Caso seja aprovado, o novo porto terá uma capacidade 30 vezes maior, ocupará uma área três vezes superior à atual e terá capacidade de atracar 18 navios simultaneamente (hoje são permitidos apenas quatro) com capacidade de 9 mil contêineres, o que equivale a um prédio de nove andares.

É inegável que é preciso melhorar as infraestruturas de transporte no Brasil. Mas a questão é como e onde isso deve ser feito. Será que fazer um imenso porto numa área de preservação ambiental é a melhor saída? E fazer uma obra desse porte sem pensar em criar infraestruturas de acesso? E incentivar a ocupação numa região espremida entre o mar e a montanha, cercada por Áreas de Preservação Ambientais (APAs) e Parques Estaduais e que já sofre com o crescimento desordenado?

Os impactos ambientais e sociais da ampliação do porto serão grandes. A obra vai aterrar parte do último mangue da região, o do Araçá, e o movimento dos navios vai prejudicar significativamente a vida marinha do canal – que já tem sofrido bastante nos últimos anos. Também levará um movimento de 4 000 caminhões por dia (ou 150 por hora) à Rodovia dos Tamoios, que liga o Litoral a São Paulo. Hoje, mesmo sem todos esses caminhões, a rodovia já está em colapso. A sua duplicação vem a passos lentos.

Um porto desse tamanho invariavelmente atrai gente, empresas e comércio. Mas tanto Sebastião quanto Ilhabela não têm muito mais para onde crescer. Ambas as cidades possuem pouco espaço, entre o mar e a montanha, cercadas de áreas de preservação ambiental e  já vêm sofrendo bastante com o crescimento desordenado. Em 20 anos, as duas dobraram de tamanho – São Sebastião tinha 33 mil pessoas em 1991 e hoje tem 74 mil, enquanto Ilhabela passou de 13 para 28 mil. Esse aumento populacional está esgotando os mananciais de água potável (São Sebastião já usa água da vizinha Caraguatatuba), destruindo áreas de preservação ambiental e poluindo os rios e o mar. No verão, praias da costa são consideradas impróprias para o banho – a cobertura da rede de esgoto nos dois municípios é pífia: em Ilhabela, é inferior a 10%. A ampliação sem a criação anterior das infra-estruturas para acompanhar esse crescimento vai agravar bastante todos esses problemas.

A Companhia Docas de São Sebastião, responsável pelo porto, elaborou um Estudo de Impactos Ambientais, com um Relatório de Impactos Ambientais (EIA-Rima) que será apresentado ao Ibama. Sem a aprovação do órgão, a obra não pode ser feita. O estudo vem sendo bastante questionado pelos moradores locais, que estão se mobilizando para barrar o projeto. Esta semana, foram realizadas em São Sebastião e em Ilhabela duas audiências públicas para o debate do estudo. Em ambos os encontros, a maioria absoluta dos presentes foi contra as obras. Além de problemas ambientais e sociais, a sociedade civil alega que o processo deve afetar o turismo, principal fonte de renda tanto de Ilhabela quanto de São Sebastião.

Essa não é a primeira vez que a sociedade local se mobiliza para proteger o ambiente. Os moradores já conseguiram impedir três projetos de verticalização na região, a construção da Rodovia do Sol e uma outra tentativa de ampliar o porto de São Sebastião, em 1987. Eles também impediram que a Dersa construísse em Ilhabela sua oficina de balsas para servir toda a região, inclusive Santos.

Agora é acompanhar o debate para garantir a qualidade de vida desta e das futuras gerações na região.

  1. Pai do Paulo

    26/12/2011 10:13:24

    Paulo, sua besta... Você é quem mesmo? O Sakamoto é um dos jornalistas mais conhecidos do país. E você? Um Zé Ninguém anônimo.Triste...

  2. Paulo

    26/12/2011 09:40:35

    Péssima postagem Sakamoto! Você esta falando de um assunto que você nao conhece! Precisamos de desenvolvimento e essas milhoes de pseudo-ambientalistas vao travar tudo neste país! Você tambem está recebendo grana para essas atitudes?? Você nunca falou da região e agora quer falar para prejudicar o nosso crescimento? Ta de brincadeira neh? Cuide da sua regiäo e dos assuntos que você entende, pois esse eu ja percebi que nao entende nada e vem passando vergonha!

  3. Crau

    14/12/2011 11:13:44

    A sociedade civil organizada e ambientalistas de São Sebastião e Ilhabela já superaram a fase hippie de tamancos há muito tempo.Trabalham organizadas, com dados, estudos, perspectivas e experiências de pessoas muito vividas, além de terem criatividade e visão de futuro.Nosso conservacionismo conseguiu que não tivéssemos tanto esgoto nas nossas praias, porque impediu a verticalização. Ajudou a criar mais de um parque estadual e hoje Ilhabela é destino turístico nacional, com 150 paradas de navios de turismo por ano, abrindo oportunidades locais.Ilhabela e São Sebastião poderiam ser consideradas, sob alguns aspectos, experiências-modelo de urbanização, em que os quintais e jardins são elementos indispensáveis até nas residências mais humildes..Uma experiência de não-adensamento populacional, em prol da qualidade de vida.Além disso, a região toda do Litoral Norte está estruturada para o turismo e uma alteração nos rumos da região, imposta de cima para baixo, inviabilizaria o modo de vida de toda sua população.Há alternativas para portos no Sudeste, com ferrovias e estradas mais adequadas.Já temos três estradas para chegar à região e fazer mais uma, na única faixa de mata atlântica que restou na Serra do Mar seria mais que uma idiotice, além de um crime contra as novas gerações.A questão sustentabilidade não é mais discutida, já é óbvia. O que me intriga é que algumas pessoas das novas gerações não se engajam na proteção ambiental quanto as anteriores que, desde a década de setenta, oitenta e noventa tanto lutaram, para garantir o futuro. Por que será? Será que ainda sofrem os efeitos do 11 de setembro?

  4. verme

    14/12/2011 09:03:58

    E...... na escolinha do professor verme..._ Gagá!_ Sim, professor!_ Nota zero._ Obrigado, mestre. Ouço, aprendo e agradeço._ Pode sentar.

  5. Vilson Sacchi

    13/12/2011 12:13:17

    Desenvolvimento sem "sustentabilidade" e "respeito a natureza", focando apenas obras e lucro já é um conceito ultrapassado em boa parte do mundo desenvolvido !!!Acorda brasil !!! governo incopetente e corrupto !!!

  6. Vilson Sacchi

    13/12/2011 11:57:54

    Um dos maiores cartões postais do brasil e do mundo prestes a ser tornar um grande porto de container ...Quanta burrice e incopetência de nossos governantes e falta de atitude da nossa população ...Vamos lá brasil, atitude ... nós podemos fazer a diferença, FORA PORTO DE CONTAINER !!!INCOPETENTES !!! ILHABELA É UM DOS LOCAIS MAIS LINDOS DO MUNDO !!!

  7. BILL

    13/12/2011 05:29:34

    Pronto, o sabido dando nota pros outros.

  8. verme

    13/12/2011 00:49:50

    Ótimo comentário.Cê vai ter que voltar par esmiuçar, tem muito desdobramento aí.Fique por aqui, por favor.Comente mais.

  9. uma caiçara sanitarista

    12/12/2011 17:44:03

    Pessoal, acho muito importante que esse assunto seja imensamente discutido não só aqui pelo litoral, mas como em todo o estado e território nacional! a verdade é que o litoral tem bem definido, inclusive por decreto do governo estadual, o futuro no turismo (ECOTURISMO), tem parques estaduais e municipais, áreas tombadas e patrimônios, reservas e santuários marinhos, a enconomia aqui depende principalmente desses serviços. Porém esta vocação indiscutível vem sendo contrariada com a existência de duas aberrações concrtônicas e poluidoras, o porto de são sebastião e o terminal da petrobrás, que se justificam pelas condições ideias portuárias, águas protegidas e profundidade do canal atingindo os 40 metros. Sabe-se que o litoral norte de sp vem sofrendo nas ultimas 3 décadas com um aumento populacional desproporcial, maior do estado, maior que o da capital! Além das praias paradisíacas, os migrantes são atraídos tbm pelas oportunidades de trabalho, e imagino que ao contrario dos bonitões da Cia Docas (porto) e da consultoria responsável pelo EIA-RIMA, todos que lêem esse artigo do Sakamoto podem imaginar o quanto de gente que uma expansão portuária atrairia de pessoas para são sebastião e ilhabela. Hoje em dia os recursos naturais já estão atingindo seu limite, oferta de água para consumo de são sebastião já se esgotou, a cidade hoje já depende de Caraguatatuba, com o porto se tornará ainda mais vulnerável, pois sempre nessas situações, a preferência é da indústria, que não pode parar, a população fica esperando por água até por dias! Ilhabela quando esgotar sua capacidade vai pegar água de onde? adutoras virão de caraguatatuba? pra quem conhece o litoral sabe que estou brincando!! vamos dessalinizar? não, vamos passar aperto!! Ja sofremos com ocupações irregulares, com falta de saneamento e agora com segurança, drogas.. e o que lhes vem a cabeça quando falamos de áreas de porto? drogas, contrabandos, prostituição( a famosa Rua da Lama, em São Sebastião, vai se modernizar e virar Avenida da Lama!) Quanto às questões de infra-estrutura, nem cogitam uma ferrovia, esperam que os containers subam a serra pela tamoios, que será aos poucos duplicada.. Mesmo sem a ampliação a duplicação já se faz necessária, então não será suficiente.. Não estudaram suficientemente os riscos, nem os impactos, nem as demandas, são tudo suposições, até que ele se fará necessário.. então que raios de projeto é esse? UMA PROPOSTA INDECENTE!!!!

  10. PAR

    12/12/2011 12:15:40

    Compreendo seu ponto de vista, mas comparar o Brasil com a França é no mínimo uma tremenda falta de informação (por assim dizer).A frança está anos luz de planejamento e estrutura logística do Brasil (pra quem não sabe logística é muito mais do que transportar) a sociedade é melhor desenvolvida, bem como sua infra-estrutura.Então...se funcionou na frança não significa de forma alguma que tem q funcionar aqui. Há pontos levantados no artigo que você ignorou no seu comentário...e o que está ao redor do porto é um deles...Informe-se e critique menos...está quase no caminho certo.

  11. JP

    12/12/2011 09:49:28

    Não sei sobre o projeto, mas sei bem que o que está estragando o litoral norte há anos são as ocupações irregulares e o tratamento de esgoto insuficiente pra atender a demanda. Como as praias das áreas urbanas estão sujas, todo mundo pega o carro e procura praias mais afastadas, que são lugares com pouca infraestrutura. Aliás, não querendo entrar na questão partidária, mas pra quem é do Vale e Litoral norte, sente na pele o estado de abandono deixado por esse governo. Estradas ruins, audiências e mais audiências pra decidir (ou não) sobre uma reforma/duplicação, anos e anos pra decidir (ou não) sobre a instalação de um poupa-tempo, anos e anos pra decidir (ou não) sobre a construção de uma ETE....

  12. verme

    12/12/2011 00:19:21

    AAaaaah!Tá explicado o apoio à Thaís.Grafinha!

  13. verme

    11/12/2011 23:41:33

    marilu variando o cardápio.Sinal de evolução?Acompanhemos.

  14. JDP

    11/12/2011 21:12:33

    Péssima idéia. Se for concretizada ira acabar com a Rio-Santos que é uma estrada de turismo. O que deveria ser feito é o governo federal aceitar a proposta já feita por São Paulo e entregar a administração do porto de Santos ao governo paulista. Desta forma o cais de Santos poderia ser adaptado para receber navios maiores de containeres e melhorar a performance.

  15. verme

    11/12/2011 19:24:06

    Desconhecia esse acontecimento.Fascinante.Normalmente os grupos só se dão conta das grandes perdas causadas pela modernização retrógrada depois que a merda está feita.Se os cidadãos de Maresias e região tiveram força pra EVITAR a desgraça, merecem aplausos.Que divulguem mais suas lutas, deve haver grupos organizados agitando a luta.Seria legal que escrevessem aqui.

  16. Cora

    11/12/2011 12:54:17

    o amanhã nunca chega, marilu. é sempre futuro. deixar pra ser solidário amanhã é igual a não sê-lo nunca.

  17. Cora

    11/12/2011 12:51:05

    Jose Mario, já q não vamos resolver nossas diferenças pq VOCÊ não quer,http://www.youtube.com/watch?v=LdwBLuiafVY

  18. marilu

    11/12/2011 11:23:55

    José Mario, bom dia!é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, mesmo que a gente só faça isso amanha né? rsrsrsrsrsrrsbjos

  19. rafael m

    11/12/2011 08:53:31

    Esqueceu de citar que moradores conseguiram impedir que constuissem predios na orla de maresias

  20. JOSE MARIO HRP!

    11/12/2011 05:33:09

    Essa mala voltou?Liga não Marilu!

  21. Marcelo Freitas

    10/12/2011 23:59:44

    Tem uma campanha que possui um site com bastante informações , inclusive o eia rima. Para quem se interessar.http://semconteiner.ning.com/Considere a leitura.

  22. Cora

    10/12/2011 21:19:46

    quer dizer marilu, q qdo são amigos, as expressões pejorativas coitadinhos/pobrinhos/outros inhos não se aplicam?e os q apoiam a população local q é contra a obra não são mais "lindos e meigos moradores dos grandes centros q acreditam saberem td da vida dos outros"?e aí vale a solidariedade e a empatia?"em respeito aos meus amigos". e só.se não há amigos, q se f*d*m!se vc não tivesse amigos morando lá, defenderia a obra? é isso?

  23. JOSE MARIO HRP!

    10/12/2011 20:50:05

    Que saco!

  24. marilu

    10/12/2011 13:51:51

    Boa tarde Sakamoto!como não conheço nem a região nem o projeto, quero deixar aqui meu apoio ao povo local, tenho amigos que residem na região há muitos anos, e não são coitadinhos/pobrinhos/ e outros inhos que justifiquem uma interferencia gestora dos lindos e meigos moradores dos grandes centros ( que acreditam saberem tudo da vida dos outros)! em respeito aos meus amigos desejo que essa idéia não floresça!bjos

  25. marilu

    10/12/2011 13:45:36

    Thaís, boa tarde!vc é a pessoa certa pra dizer e desdizer qualquer coisa sobre o assunto, pq vc tem : conhecimento de causa! e nós outros rsrsrsrrs só um mera opinião, mas acredite que tem pessoas que pensam que suas opiniões são iinspirações divinas!obrigada pelo seu depoimento esclarecedor!bjos

  26. Zero

    10/12/2011 13:30:08

    Chama a atenção o comentário desalentador da ThaísMas o que chama mais a atenção é o pequeno número de comentários, mostrando que as pessoas não dão a devida atenção ao tema.O Asno por exemplo, acha que o só 'desenvolvimento' (outra palavra capciosa) vai tirar a humanidade do atraso levando o homem à 'civilização' seja lá o que for isso.O texto porém não é contra a construção de portos. É contra a ampliação de um porto já existente, trazendo prejuízos ambientais e degradação àquela frágil região. Portos significam ganho de produtividade em transportes, sobretudo em um país rodoviarista como o nosso onde as montadoras Mercedes-Benz, Scania, Volvo, Volkswagen, Fiat, Ford e Iveco mandam e desmandam no fortíssimo lobby do transporte de cargas.Repito porém a pergunta do Roberto: porque não construir portos em outras regiões, deslocando os vetores de crescimento para onde há espaço ocioso?Em São Paulo porém, temos algo a comemorar.A construção do Ferroanel vai tirar o transporte de cargas da capital, deixando para o Metrô o trecho urbano da malha ferroviária da antiga Santos-Jundiaí, idealizada no século 19 pelo Barão de Mauá.

  27. roberto

    10/12/2011 09:37:41

    será que não podíamos construir um porto em outro estado ? assim estaríamos contribuindo com o crescimento de outras regiões, tanto com o porto, como com a infraestrutura que seria construída.

  28. roberto

    10/12/2011 09:33:15

    se resíduo nuclear for limpíssimo, então ta bão, sô

  29. JOSE MARIO HRP!

    10/12/2011 08:28:06

    Os fosséis jurássicos do Palácio dos Bandeirantes planejam ampliar e detonar São Sebastião e logo em seguida brincar de feiticeiros em Cananéia!Um dos poucos lugares em que crianças podem nadar ao lado de botos e passar a mão nas raias!Logo logo vira outro lixo como a minha Santos!Longos 16 anos dessa r a l é esão deixando o povo em bu ti do e bu rro!Parabens paulistas!

  30. Ricardo Santa Maria Marins

    10/12/2011 02:05:14

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Olá Caro Marcelo Freitas, suas duas informações braço alcooleiro e 800 metros da Ilha, são informações interessantes. Ano retrasado ou anterior ouvi algo sobre investimentos nesse sentido, pelo que você informa a operação deve ter sido concluída. A questão importante é: Há estudos REAIS e EFETIVOS de EIA E RIMA e outros estudos junto à Marinha que demonstrem grau de PREVENÇÃO a RISCOS? Falo de coisa séria. Há estudos de SEGURANÇA e quais projetos de engenharia existem que possam dar à população local garantia e seguro em caso de acidente? Há COMPROMETIMENTO, dos gestores do legislativo, local, estadual e federal, se RESPONSABILIZANDO em INDENIZAÇÕES caso ocorra acidente? Assinados e com AVAL do EXECUTIVO BRASILEIRO e pareceres do JUDICIÁRIO FEDERAL?Uma obra desse VULTO deveria estar aberta para conhecimento PÚBLICO. Está?Quais os benefícios diretos e indiretos que serão ofertados à população LOCAL, e LINDEIRA?São algumas questões que precisam ser respondidas. EXISTEM esses estudos e questões abertas nesse sentido?Valeu Caro Marcelo Freitas, muito legal seu comentário. Ampliou o TEMA!OPINIÂO!

  31. O Asno

    10/12/2011 02:02:05

    Concordo com você.Certamente que este porto trará incontáveis benefícios aos moradores da região.Aliás,em nenhum lugar da terra onde chegou o desenvolvimento, a energia, o comércio, os portos, as estradas, as escolas, os hospitais, a medicina, as vacinas, as usinas atômicas, as usinas hidrelétricas, a indústria, o comércio,a ciência, a cultura clássica, o mercado, a lei de mercado,os moradores locais ficaram piores do que já estavam.Como exemplo citemos a França.Em todo território da Françaexistem muitas usinas atômicas,80% da energia elétrica da França é originária de matriz nuclear (limpíssima),e nem por isto na França ficou ruim para pescar...na França não ficou ruim para pescar não, viu?Ficou não... ficou não... ficou não e pronto!E a Françaé uma das nações mais desenvolvidas e prósperas do mundo,para lá aportam milhões de pessoas de países pobres...doutros países pobres que curiosamente mantêm suas matas virgens e não têm desenvolvimento algum de nada,mas somente muita fome e doenças.Se não fosse o desenvolvimento advindo sob as mais variadas formas, energia, portos, e etc., os homens ainda viviam em média abaixo dos 40 anos,como acontecia há um século atrás.O resto?O resto é conversa esquerdofrênica para dormitar bovinos e alevinos.No futuro todos agradecerão o desenvolvimento trazido pelos portos e por todas as usinas hidrelétricas, inclusive e principalmente por Belo Monte.Aliás,no futuro próximo veremos nossos bravos índios em confortáveis aldeias,supridas de energia elétrica e de toda a LINHA BRANCA,com geladeiras, fogões, fornos elétricos e fornos de microndas,porque todos têm o sagrado direito de sair das cavernas,ainda que os "politicamente corretos" achem que só eles podem fazer usoda energia elétrica e da LINHA BRANCA (geladeiras, fogões e fornos),enquanto os outros devem ser mantidos dentro das cavernas ou matas,sem tangas e sem tamancos, para serem "preservados"...sei... sei... entendo... entendo...eita!Deu sede de bom senso e de coerente coerência...vou ali tomar água fria de cacimba,depois volto para dizer mais asneiras da LINHA BRANCA,porque asneiras sempre haverá de haver nesta terra feia e envelhecida.Só isso, viu?

  32. Thaís

    10/12/2011 01:39:29

    Infelizmente eu acredito que essa obra vá acontecer e o porto de São Sebastião já passa por algumas obras de ampliação há algum tempo. Morei em São Sebastião por 18 anos e nessa cidade tudo se resolve à base de dinheiro (que surpresa, não?). A população sabe e, de certa forma, reforça esse tipo de comportamento, pois ao final, muitos acabam levando uma parcela... E quando não gostam de alguma coisa, o "mal-estar" não dura por muito tempo, porque pelo que me parece, a população possuí memória curta, já que no mandato seguinte acabamos por ver os mesmos rostos.A cidade toda é um desrespeito à natureza. Barracos construídos em meio a Mata Atlântica são demolidos ao passo em que mansões de atores, técnico de futebol e até de uma integrante do PV (de que partido mesmo??? !!!), são construídas em meio às áreas de preservação e "passam por despercebido" aos olhos da fiscalização. Vários acidentes da Petrobrás são encobertos e existem vários caçadores e palmiteiros no meio da Mata que colocam os guardas florestais para correr. A aldeia indígena local, já corrompida, é agora foco de doenças e dependentes químicos e os índios já não valorizam a terra em que moram, a área se transformou em um verdadeiro chiqueiro e depois do estrago, eles estão agora esquecidos. Os projetos de verticalização da cidade foram barrados, não devido à mobilização da sociedade local (não que os moradores sejam a favor da verticalização!), mas devido ao interesse de alguns proprietários muito influentes, que teriam suas "pequenas" (várias) casas desvalorizadas.A Rua da Praia onde antigamente havia um mangue que foi aterrada como parte da primeira tentativa de ampliação do porto. Depois acabou que ninguém utilizou a área aterrada e aquilo se transformou em um depósito de entulhos, muita sujeira, ratos, baratas. Há pouco tempo, acabaram por construir uma pista de caminhada, uma praça para exercícios físicos para a terceira idade (já depredada) e uma pista de skate. Pelo menos fizeram alguma coisa com aquele estrago todo!Isso tudo sem falar no aterro sanitário (que eu acredito que já tenha sido fechado por volta de 2008/2009), que rendeu uma briga de longa data entre a prefeitura e a Cetesb, e a prefeitura sempre conseguia adiar o fechamento do espaço, alegando "não ter estrutura para o transbordo do lixo".Pois é, isso tudo e ainda estamos falando de meio ambiente, porque se entrarmos em outros assuntos, podemos verificar que a "sujeira" que está por baixo do tapete é muito maior..

  33. Marcelo Freitas

    09/12/2011 22:38:09

    Além dos navios de containers está previsto um "braço" para movimentar o etanol. Que avançará sobre o canal e ficará a apenas 800 mts de Ilhabela, na região da Ilha das Cabras (santuário ecológico e reserva marinha). Tema quase ignorado na audiência pública em Ilhabela, a Capital da Vela terá ameaçada a sua vocação turística. O turismo de Ilhabela e de todo o Litoral norte nunca esteve tão ameaçado. Antes de julgar procure conhecer Ilhabela e o Litoral Norte, depois responda se vale a pena perder mais um ecossistema pelo "desenvolvimento e crescimento do país", afinal só estão preocupados com o bem estar comum. Acredita?! Se não concordam, respeito, se houver um pouco de sensibilização nos ajudem como puderem. Estamos precisando de todo apoio.

  34. Ricardo Santa Maria Marins

    09/12/2011 18:56:44

    Olá! Caros Comentaristas! E, Sakamoto!Não conheço o projeto referido. Há uma realidade incontestável, Santos, dá sinais de LIMITAÇÃO.Acredito que melhor seria tratar o TEMA com opções alternativas favoráveis ao desenvolvimento.Ilha Bela, pelo que consta já possui restrições ambientais bastante definidas. O caso, das Balsas, OFICINA, se verdadeiro, seria um ABSURDO. Fizeram bem em protestar e bloquear sua evolução. E, acredito que NÃO aconteceria. Há espaços menos prejudiciais.No caso do Porto de São Sebastião, não me sinto seguro para emitir opinião, pois, desconheço esse projeto. Entretanto, o referido Porto, está hoje, pouco utilizado. SUB-UTILIZADO!Quanto ao argumento, acesso terrestre ao porto de São Sebastião, sem dúvida, precisará caso isso avance, de grandes investimentos em infra-estrutura e, tratamento de esgoto, PRECÁRIO HOJE, se não, inexistente. A rodovia atual é RIDÍCULA! O acesso complicado!Caro Sakamoto, apesar de interessante o tema, precisamos mais dados e informações.OPINIÃO!

  35. Králík

    09/12/2011 18:53:51

    Onde seria ideal construir um porto para atender ambientalistas? Para tal deveriam ser construidas estradas de acesso, melhor, deveriam já existir. Sugiro o litoral do Piauí; não há turismo volumoso e as estradas necessitariam de alguns poucos remendos para escoar as demandas. kkk

  36. verme

    09/12/2011 17:48:25

    Um tempo atrás foi publicada uma bela reportagem (infelizmente apologética) sobre o projeto num dos jornalões (Folha? Estadão?, não lembro).Coisa de louco.Um cimentão só.Entusiastas falarão dos benefícios da prática de skate em áreas degradadas pela modernização retrógrada.(Pensando nessas desgraças todas (o código florestal...) que a gente vai entendendo os fogos de artifício pra "diminuição" do desmatamento na Amazônia. Diversionismo: se acena com um benefício pra poder encaixar melhor a porrada no estômago, em cheio.)Uff!

  37. Treponema Pallidum.

    09/12/2011 16:22:13

    Não conheço, sei vagamente onde fica, mas tenho certeza que esse blog está contra é porque esse "catastrofismo" não existe.Se tivesse poder começaria imediatamente.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso