Blog do Sakamoto

A “Ditabranda” Militar (1964-1985)

Leonardo Sakamoto

No editorial de 17 de fevereiro, o jornal Folha de S. Paulo deu uma mancada sem tamanho ao chamar a última ditadura brasileira (1964-1985) de ''ditabranda''. O objetivo era criticar o presidente Hugo Chávez e sua recente vitória política obtida através de plebiscito que lhe deu a possibilidade de disputar mais um mandato em 2012. A idéia era fazer um contraponto com os regimes da década de 70 e 80 na América Latina para afirmar que a situação na Venezuela de hoje é muito pior. Segue o trecho em questão:

Outra diferença em relação ao referendo de 2007 é que Chávez, agora vitorioso, não está disposto a reapresentar a consulta popular. Agiria desse modo apenas em caso de nova derrota. Tamanha margem de arbítrio para manipular as regras do jogo é típica de regimes autoritários compelidos a satisfazer o público doméstico, e o externo, com certo nível de competição eleitoral. Mas, se as chamadas ''ditabrandas'' -caso do Brasil entre 1964 e 1985- partiam de uma ruptura institucional e depois preservavam ou instituíam formas controladas de disputa política e acesso à Justiça-, o novo autoritarismo latino-americano, inaugurado por Alberto Fujimori no Peru, faz o caminho inverso. O líder eleito mina as instituições e os controles democráticos por dentro, paulatinamente.

Para ler a íntegra do editorial (para assinantes) clique aqui.

É claro que muitos leitores criticaram o termo usado, uma afronta à história e à memória das centenas que foram mortos e acabaram desaparecidos pelas mãos da Gloriosa. Entre os que se indignaram com a ''ditabranda'', algumas personalidades, como os professores Fábio Konder Comparato e Maria Victoria Benevides, cuja carta publicada pelo jornal eu posto abaixo:

Mas o que é isso? Que infâmia é essa de chamar os anos terríveis da repressão de ''ditabranda''? Quando se trata de violação de direitos humanos, a medida é uma só: a dignidade de cada um e de todos, sem comparar ''importâncias'' e estatísticas. Pelo mesmo critério do editorial da Folha, poderíamos dizer que a escravidão no Brasil foi ''doce'' se comparada com a de outros países, porque aqui a casa-grande estabelecia laços íntimos com a senzala -que horror!

No dia 20 de fevereiro, ao comentar as cartas, o jornal trouxe esta pérola:

Nota da Redação – A Folha respeita a opinião de leitores que discordam da qualificação aplicada em editorial ao regime militar brasileiro e publica algumas dessas manifestações acima. Quanto aos professores Comparato e Benevides, figuras públicas que até hoje não expressaram repúdio a ditaduras de esquerda, como aquela ainda vigente em Cuba, sua ''indignação'' é obviamente cínica e mentirosa.

Isso me lembra aquele velho ditado o futebol: a melhor defesa é o ataque… Hoje, o ombudsman criticou a resposta do jornal, ainda que de forma tímida:

Já me referi aqui ao escopo do trabalho do ombudsman, que não abarca as opiniões publicadas pelo jornal, em editoriais, colunas ou artigos. (…) Um editorial com referência ao regime militar brasileiro provocou cartas publicadas no ''Painel do Leitor''. Resposta da Redação a duas delas na sexta foge do padrão de cordialidade que julgo essencial o jornal manter com seus leitores. 

Isso tudo originou um abaixo-assinado de repúdio ao editorial da Folha e de solidariedade a Comparato e Benevides, cuja adesão pode ser feita por este link. Entre os que assinam estão Antonio Candido, Goffredo da Silva Telles Júnior e Margarida Genevois. Segue o texto:

Ante a viva lembrança da dura e permanente violência desencadeada pelo regime militar de 1964, os abaixo-assinados manifestam seu mais firme e veemente repúdio a arbitrária e inverídica revisão histórica contida no editorial da Folha de S.Paulo do dia 17 de fevereiro de 2009. Ao denominar ditabranda o regime político vigente no Brasil de 1964 a 1985, a direção editorial do jornal insulta e avilta a memória dos muitos brasileiros e brasileiras que lutaram pela redemocratização do pais. Perseguições, prisões iníquas, torturas, assassinatos, suicídios forjados e execuções sumárias foram crimes corriqueiramente praticados pela ditadura militar no período mais longo e sombrio da história polí­tica brasileira. O estelionato semântico manifesto pelo neologismo ditabranda e, a rigor, uma fraudulenta revisão histórica forjada por uma minoria que se beneficiou da suspensão das liberdades e direitos democráticos no pos-1964.

Repudiamos, de forma igualmente firme e contundente, a Nota de redação, publicada pelo jornal em 20 de fevereiro (p. 3) em resposta as cartas enviadas a Painel do Leitor pelos professores Maria Victória de Mesquita Benevides e Fabio Konder Comparato. Sem razões ou argumentos, a Folha de S.Paulo perpetrou ataques ignominiosos, arbitrários e irresponsáveis a atuação desses dois combativos acadêmicos e intelectuais brasileiros. Assim, vimos manifestar-lhes nosso irrestrito apoio e solidariedade ante as insólitas críticas pessoais e políticas contidas na infamante nota da direção editorial do jornal. Pela luta pertinaz e consequente em defesa dos direitos humanos, Maria Victoria Benevides e Fábio Konder Comparato merecem o reconhecimento e o respeito de todo o povo brasileiro.

É interessante como o maior jornal do país, com uma besteira dessas, acaba menosprezando a própria campanha pelas eleições diretas e contra a ditadura que ele abraçou e lhe trouxe prestígio em meados dos anos 80. A Folha pode ter opinião e deve deixá-la claro para os seus leitores. Mas, por favor, sem atentar contra nossa inteligência e mantendo um mínimo de educação.

  1. A Folha e suas dificuldades com a livre informação « Hajapaciencia4

    12/09/2009 06:55:57

    [...] que os censores foram retirados de dentro de sua redação, o jornalão vem se atrapalhando com as coisas que publica e as medidas que adota. A última do jornal mais vendido do país foi a censura aos seus [...]

  2. Leonardo

    08/03/2009 12:06:15

    Eu acho que essa confusão toda, Sakamoto, foi devido a um texto que tentou, de forma meio lúdica e extremamente errada, passar ao leitor que a ditadura no Brasil, quando comparada com outros países, não foi tão grave assim. Infelizmente, eles erram. Toda ditadura é igualmente grave, seja de esquerda ou de direita.Para mim, o que o jornal fez até agora não foi tentar solucionar o erro, foi tentar desviar o foco da discussão.

  3. Blog do IZB » Pinochet, do além, cobra direitos autorais pela “ditabranda”

    03/03/2009 19:53:42

    [...] e açougueiro de opositores, defende o termo “ditabranda” - o mesmo usado em editorial da Folha recentemente para caracterizar a última ditadura brasileira. Ele vem sendo reproduzido na [...]

  4. Pedro P. Tardelli

    02/03/2009 23:49:35

    Caramba! Tantos brasileiros (200 ou mais!) morreram, tantos foram torturados, aquele mundo de exceção que vivemos de nada valeu, principalmente para os familiares das vítimas. Agora sou obrigado, como cidadão brasileiro, a babar pelas estatísticas que vem do não sei onde, e comparar com outros países e ditaduras... a NOSSA ditadura NUNCA FOI BRANDA COISA NENHUMA. Foi um atraso de vida e gerou uma desigualdade social que não tem tamanho. O exagero de babaquices aqui escritas prá dizer que nossa porcança é bem menor que a do vizinho é um absurdo. Vamos manter esse espaço para debates mais racionais. Lá nos blogs da veja, da época, do estadão há espaço sobrando prá xingar o Lula, o PT, o FHC, o PSDB (bem menos).

  5. paulo pierre

    02/03/2009 18:53:04

    Não vou entrar em polemica. Tenho 47 anos, vivi os anos Medici,Geisel e Figueiredo. Ditadura com alternancia de pessoas, elei-ções, poder judiciario civil funcionando é no minimo estranho.Ou o que vi não era ditadura ou os regimes de Fidel, Stalin etc. osao. Mas papel aceita tudo.

  6. andré

    01/03/2009 04:51:32

    SAKAMOTO TÁ MAIS PRA KAGAMOTO, SÓ FALA MERDA HEIN??? FUCK COMMIES!!

  7. Jossimar

    28/02/2009 19:03:23

    por causa desta "ditabranda", o brasil amarga uns cinquenta anos de atraso.a "ditabranda"´é uma página negra na nossa história,e , se o brasil fosse sério, muitos daqueles que a comandaram deveriam estar atras das grades por crime de alta traição à pátria.

  8. Rose

    27/02/2009 17:28:25

    É paué pedra,é Folha,é o fim do mundo ou do caminho?

  9. maurício

    26/02/2009 21:12:42

    Vim no blog desse Sakamoto Petralha apenas para dar a boa nova: todos os pseudo intelectuais petistas vão cancelar suas assinaturas da folha de São Paulo e não vão mais opinar no periódico ,teremos um Jornal mais limpo , mais decente .é a glória!

  10. Luiz A. Seibel

    26/02/2009 12:07:43

    Ditadura é ditadura de direita ou esquerda.Engraçado todos falam dochaves.Por qye não falam do rei da Arabia Saudita, dos Emirados Arabes , de Dubai etc...etc...etc..

  11. jorge

    26/02/2009 11:40:35

    Nossa!!!Que festival de ignorância!Na falta de argumentos inteligentes, o jeito é tergiversar.Quem aqui defendeu ditaduras "de esquerda"?Desde quando dois errados fazem um certo?Esses lambe-botas são muito piores do que eu imaginava!

  12. pinhodepiquete

    25/02/2009 11:28:06

    É verdade, qualquer maltrato a um ser é horrível. Mas quando se trata de comparar, existe o mais HORRÍVEL. Estes mesmos que acham que o que acontece em CUBA nem é "horrível" são aqueles que viviam fazendo greves, roubando, matando, sequestrando e ainda hoje continuam enganando o povo com esmolas. O marolinha e sua cambada de larápios da nação que são os verdadeiros DITADORES. "DITAM" uma nova ordem de protecionismo em que os maiores beneficiados são eles mesmos. Chega de falso moralismo. Morreu quem tinha que morrer, pena que outros nãop foram juntos.

  13. Marcos Doniseti

    25/02/2009 11:26:27

    As potências européias mataram 100 milhões de nativos americanos apenas nos primeiros 100 anos de colonização da América.Na África, calcula-se entre 400 e 600 milhões de mortos depois que as potências européias iniciaram a conquista e colonização do continente, a partir do século XV e até os dias atuais.Em termos de crimes e atrocidades, o Capitalismo é insuperável.

  14. Marcos Doniseti

    25/02/2009 11:23:58

    A 'Folha' é hipócrita. Condena a 'Ditadura' cubana, enquanto defende a Ditadura Militar brasileiral.E a 'Folha' também esconde que o fechamento do regime cubano ocorreu em função dos ataques, agressões e violências cometidas pelo criminoso Império norte-americano contra a pequena e pobre Cuba.Parece que a 'Folha' e os que a defendem nunca ouviram falar da invasão da Baía dos Porcos, organizada e financiada pela CIA, do Bloqueio Econômico, da 'Operação Moongoose' (através da qual a CIA realizava inúmeros atentados terroristas contra instalações importantes de Cuba, tentava matar os governantes do país, sabotava a economia cubana, etc).Se não fosse pelas agressões norte-americanas, Cuba teria se mantido como um regime aberto e democrático.

  15. Júlio

    25/02/2009 11:12:51

    O que mais me alegra é que essa direitada toda deve estar morrendo de raiva com o Lula em 84% de popularidade. Mesmo que caia um pouco é bem maior que o FHC Boca de Sovaco já almejou.Morram e raiva. Hahahahahahahahahaha. Chupa direitada suja!

  16. maurício

    25/02/2009 10:50:07

    este pais está perigoso.A UNE é curral do PTAs ONGs não sobreviveriam a uma auditoriaO governo deporta os cubanos que fogem da ditaduraO ministro indigente dá refúgio para terroristao filho do cachaceiro passeia em avião oficial com os amigosa ministra "betty a feia reloaded" quer a presidênciaO "nunca na istória dece paiz" paga pau para o MSTuns blogs operando para o governo no campinho de várzea da internetestamos perto da ditadura bananeirae pensar que minha mãe nasceu analfabeta

  17. Waldemar Canalli

    25/02/2009 10:28:43

    Na verdade Sakamoto,para voce e a "companheirada" petista,ditadura quando é de esquerda passa a ser "legitima"(cubana,russa,venezuelana,etc...).Quantas pessoas a ditadura castrista já matou em 50 anos!) e a russa? voce acha que quem defende essa corja tem moral pra tecer alguma critica? um lembrete para o senhor: O goveno de HITLER era extremamente plebiscitário.Lula e o PT também são chegados a um plebiscito.

  18. Ricardo

    25/02/2009 10:24:15

    Pelo menos deta vez a Folha está sendo coerente.Arranca a máscara de "progressista de tendencia centro esquerdista" e defende o periodo em que mais cresceu e mais praticou o sabujismo.Em suma, pelo menos desta vez, não "gospe no prato que comeu", pelo contrário declara nostalgicamente apreço pela DITABRANDA!!!

  19. maurício

    25/02/2009 08:47:13

    grande Fernandão! continue descendo a lenha nesse monte de petistas que usam a teoria da turma do DIDI -ditadura de direita é do mal mas ditadura de esquerda e sua montanha de cadáveres é do BEM -bando de patrulheiros.ditadura brasileira- 434 mortosditadura cubana-10000 mortosChina-60000000 mortossacanear esquedista matador de aula , de boina e barbichinha -não tem preço!

  20. Fernandão

    25/02/2009 07:09:12

    Caríssimo Fernando de Oliveira, ou você não sabe interpretar um texto simples como o do meu post ou não sabe o que significa a palavra "fascista", de qualquer forma, e com todo o meu respeito pela sua condição de vítima da ditadura, e eu acredito nisso, e também sem ofendê-lo, nada custa afirmar meu repúdio a tal regime, o militar, e que deploro-o tanto quanto você, e apenas por compreender matemática sei quantificar as vítimas deste e de vários outros regimes de força, e que é possível graduar "o peso" destes regimes medindo suas "consequências".Isto absolutamente nada tem a ver com concordância.A questão é a mesma que eu já tinha observado antes em meu post, informação vinda de um lado só e prevenção contra qualquer detalhe que possa desvalorizar a luta havida contra o regime, mesmo que verdadeiro, o detalhe, no caso estes números. Esquerdistas mal informados, é só o que tenho visto.Não se preocupe, por trás do meu post que revela números reais de alguns regimes assassinos existe um autor, eu, que também abomina ditaduras, como quase todos nós.Não custa lembrar que no tempo de sua luta a Folha era um dos veículos mais engajados e um dos maiores inimigos do regime, e que a democracia deve muito a este periódico, e se até o PT mudou tornando-se capitalista e democrático porque uma empresa deveria para sempre permanecer com a mesma orientação?Hoje não é mais necessário fazer propaganda contra ou a favor do regime antigo, números reais é do que precisamos, toda a verdade sobre este período é do que precisamos, e não tapar o sol com peneiras.E se a Folha foi grosseira? É questão de opinião.

  21. Nilo

    25/02/2009 06:59:51

    Sr. Sakamoto, gostaria de saber sua opinião sobre a notícia de que "ENTIDADES LIGADAS A JOSÉ RAINHA JUNIOR, DISSIDENTE DO MST, NO PONTAL DO PARANAPANEMA, ASSINARAM CONVÊNIO PARA GARANTIR O REPASSE DE MAIS DE 10 MILHÕES DO GOVERNO FEDERAL" notícia completa http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/02/23/liderados+pelo+mst+recebem+r+10+mi+do+governo+federal+4287913.html

  22. Marcelim

    24/02/2009 23:33:09

    Percebi que a Folha deu uma guinada à direita, justo nessa época que os neocons e o liberalismo econômico andam desacreditados...Eu me divirto com a insanidade furimbunda que o Lula desperta em alguns e por tabela, Chavez, Fidel, Papai Noel e a Chapeuzinho Vermelho também se tornam alvos de ataques raivosos.Não que eu seja exatamente a favor de certas facetas do Hugo, mas muita gente que sequer sabia onde ficava a Venezuela antes dele ascender ao poder hoje dedica longas horas xingando o cara em tudo quanto é blog.Eu acho que é caso para tratamento psiquiátrico, isso sim.

  23. José Leite

    24/02/2009 20:31:00

    Apóio o abaixo-assinado de repúdio ao editorial da Folha de São Paulo e de solidariedade aos atingidos de forma grosseira pela Nota de Redação do mesmo jornal.

  24. Pio Fernandes

    24/02/2009 18:15:42

    E pensar que o jornalão foi modelo de expressão livre. Que me desde que aprendi a ler comecei com a Folha! Agora virou essa ambiguidade anamórfica que beija o pé de um lado (mais de um lado) e do outro...

  25. Claudia

    24/02/2009 12:35:10

    Ah, tá! Mas já faz uns dias que eu queria dizer que tua foto nova está linda. O teu sorriso é lindo e deve ser explorado ao máximo. Ainda que eu gostasse da foto antiga também.Abs,Claudia

  26. Fernando de Oliveira

    24/02/2009 12:30:04

    Só mesmo um fascista como o Fernandão para achar que pode justificar uma ditadura assassina por outras, talvez piores. Ditadura é ditadura, xará, e nenhuma pode ser defendida por pessoas de bem.

  27. Fernando de Oliveira

    24/02/2009 12:18:48

    Fui preso e perseguido pela ditadura militar, e, como qualquer pessoa decente, deploro a avaliação favorável da dita cuja feita pela FOLHA. Mostremos nosso repúdio não comprando nem lendo o jornal em foco.

  28. Gilson G. Aguiar

    24/02/2009 11:10:13

    O interessante disso tudo é que ninguem fala sobre os que seintitulavam revolucionario, fizeram na época, mataram, roubaram,sequestraram etc.etc...Hoje vemos estas pessoas no governo fazendo aquilo que os militares não queriam que acontece-se, veja o caso do mensalãoe outros que são tantos que fica dificil enumera-los.

  29. Fernandão

    24/02/2009 08:41:31

    Centenas de mortos não!!! Menos de 200, logo não foram centenas, nem milhares (como em Cuba, cerca de 5 mil), nem milhões (como na URSS, cerca de 20 milhões), nem dezenas de milhares (como no Chile e na Argentina, cerca de 30 mil), para não falar da China e da Coréia, e de Pol Pot, etc.. Então, o termo, descabido é claro, por se tratar de mortos e de uma tragédia, "ditabranda", define muito bem o que foi nossa ditadura em relação às outras, estas sim realmente "duras". Os mais novos conhecem apenas parte da história, a parte contada pelos revolucionários. Deveriam se informar melhor.A nossa foi realmente uma ditadura muito mais leve do que as que nossos dissidentes revolucionários queriam implantar ou das que eles admiram, eles e nosso caríssimo blogueiro.

  30. Antônio Eugênio

    24/02/2009 00:46:58

    Esclarecendo meu comentário: só a resposta dos intelectuais pode tornar a pergunta falaciosa. Pois para mim, ela se responde por si mesma: quem nunca condenou a ditadura de Fidel não tem moral para criticar a ditadura militar brasileira (não vou dizer que foi branda, mas matou muito menos que Esteban).

  31. Antônio Eugênio

    23/02/2009 23:35:17

    Bom, Cláudio, para a pergunta deixar de ser falaciosa, como vc. a considera, só a resposta dos próprios intelectuais, pois seu silêncio permite inferir temor. Será que os cubanos que querem deixar a ilha não têm também direitos humanos?

  32. cláudio h. m. de andrade

    23/02/2009 23:15:36

    Eugênio, o tema da sua pergunta já foi exaustivamente tratado nos blogs:. Conversa Afiada, do PHA;. Cidadania.com, do Eduardo Guimarães; e. Vi o Mundo, do Azenha (procure por "ditabranda").Veja, num deles, respostas dadas a essa pergunta falaciosa.

  33. Antônio Eugênio

    23/02/2009 23:04:50

    Mas uma pergunta persiste: quem nunca condenou a ditadura de Fidel tem moral para criticar a ditadura militar brasileira?Eu condeno ambas, e nesse ponto a "Folha", a mesma das Diretas Já, tem razão em tachar de "cínica e mentirosa" a indignação dos intelectuais.Se acham que Fidel pode matar à vontade, escrevam isso!

  34. cláudio h. m. de andrade

    23/02/2009 21:00:53

    A esse respeito, o Eduardo Guimarães, do blog Cidadania.com -- http://edu.guim.blog.uol.com.br/ --, está organizando um ato público de repúdio.

  35. Neivair Araujo Mascarenhas

    23/02/2009 20:03:18

    Não dá para crer na mancada, principalmente partindo de veículo que pretende ser universal com relação ao conteúdo e, ainda, democrático. Achar que a ditadura de 64 foi branda, é como pensar que o Giesel devesse ser canonizado, por exemplo. Qualquer ditadura, de direita ou de esquerda, é sempre chocante e criminosa, pois quem for oposição, sempre corre o risco de pagar perante o regime e, às vezes, com a própria vida. É uma atitude pouco lovável, mesmo para atacar o Huguito. Uma falta de desconfiômetro sem justificativa, ou então, posso crer que tinha o que atingir, como é costume daquele jornal e de outros órgãos da imprensa brasileira. Por isso, já estamos até com a pecha de xenófobos, no exterior. Por isso, há pouco respeito com relação a nós, brasileiros, inclusive em Portugal. "Brazuca" é o termo pejorativo jogado contra nós, pois temos mania de não ver nossos erros, de abraçar na emoção, de esquecer nossos crimes. Temos que repudiar tal arrogância desse jornal, ou jamais saberemos o valor da História, para relatar para os posteriores.

  36. Marina

    23/02/2009 17:43:12

    Achei horrível a expressão inventada pela Folha. Quantas mortes, torturas, perseguições e atos violentos são necessários para se caracterizar uma ditadura? Quem é este jornal para inventar um "ditanômetro"?Melhor do que o abaixo-assinado é cancelar a assinatura e não comprar em banca esse jornal arrogante, petulante e burro. Porque uma atitude dessas não pode ser considerada de outra forma, senão como ignorante.

  37. cláudio h. m. de andrade

    23/02/2009 16:05:33

    Sakamoto,Eu já tinha lido e comentado sobre essa estupidez da Folha no site do PHA há uns dois dias, porém somente hoje e aqui tive acesso ao link para assinar o repúdio, obrigado por isso. Sapere aude!

  38. Júlio

    23/02/2009 11:28:36

    Hahahahaha, Andrei, Andrei... Hahahahaha. Esse garoto é uma comédia. Desde a época da escola.

  39. Andrei Lemos

    23/02/2009 09:30:06

    Hahahahaha e viva Chaves né Sakamoto, vc ta certinho, ditadura se for socialista não é ditadura, é regime distribuidor de riquezas para os menos abastados. Você as vezes me faz morrer de rir.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso