Blog do Sakamoto

Um brinde ao Golpe de 1964 e à sua herança maldita

Leonardo Sakamoto

Hoje, celebra-se o aniversário da Gloriosa, quando o Brasil entrou em sua última longa noite. E que melhor forma de celebrar a memória da ditadura, neste 31 de março, que continuar seu modelo de desenvolvimento, sua herança maldita? Bem, vamos fazer um apanhado do que a gente vem dizendo só para não me chamarem de oportunista.

Como sempre os grandes projetos de desenvolvimento vêm acompanhados de promessas de rios de leite e mel para a população local, mas na maioria das vezes os impactos negativos são tão grandes senão maiores que os positivos. Bom mesmo é para a gente do Sul e Sudeste ou das grandes cidades que vai consumir grande parte dos produtos e da energia, exportada para cá em nosso benefício.

O atual governo, que começou com um discurso lembrando os que tombaram pelo caminho na luta pela redemocratização, não pode esquecer que muitos dos que ficaram não morreram apenas por direitos civis e políticos – mas também pelos sociais, econômicos e culturais, ou seja, por uma outra forma de ver e fazer o Brasil.

Quem enfrentou a ditadura, que não era apenas militar, mas tinha uma parte da elite nacional à frente, não buscava apenas poder se expressar e participar dos rumos políticos do país, mas que aqueles que eram vítimas de arbitrariedades e tinham suas casas derrubadas em nome do progresso, desse que é “um país que vai pra frente”, pudessem ter uma alternativa além do “ame-o ou deixe-o”. Aliás, descobri que tem gente que cola aquela adesivo da bandeira nacional com esses dizeres horrendos na popa do seu possante. Afe…

De uma maneira geral, como justificar diferenças entre o discurso de uma época em que abríamos grandes estradas para o momento em que construímos gigantescas hidrelétricas, xingando os opositores de “arautos do atraso” ou acusando-os de fazer o jogo do inimigo externo?

Trabalhadores eram tragados pela pressa em crescer durante os Anos de Chumbo. E, agora, os protestos da massa nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento , o Quac!, como no canteiro de obras de Jirau, mostra que as sementes plantadas continuam gerando frutos.

Muita coisa mudou desde que os verde-oliva deixaram o poder, naquela abertura “lenta, gradual e segura”, mas mantivemos modelos de desenvolvimento que dariam orgulho aos maiores planejadores daquele período: de que, para crescer rapidamente e atingir nosso ideal de nação, vale qualquer coisa. Aliás, parte daqueles planejadores é, hoje, ovacionada e vira conselheiro real. E parte dos executores continua em cargos-chave, como na presidência do Senado.

Se quiser fazer valer os direitos humanos, o governo terá que impor mais critérios e limites a atores de áreas consideradas chave para o desenvolvimento, mas que amargam graves denúncias, como o setor elétrico, o agronegócio e a construção civil (em suma, os doadores de campanha). O crescimento tem que estar sujeito ao respeito dos direitos fundamentais e não flanar sobre eles.

Ah, e cansei de ouvir meio intelectuais, meio de esquerda fazendo coro com setores retrógrados ao pedir que o meio ambiente não seja um entrave para o crescimento. Que se cuide do planeta, adapte-se modelos de desenvolvimento, mas que o ''progresso'' não seja alterado. Tipo, que se faça um omelete sem quebrar um ovo. Fazem contas para mostrar que a vida de algumas centenas de famílias camponesas, ribeirinhas, quilombolas ou indígenas não pode se sobrepujar sobre o ''interesse nacional'' (ou seria, pessoal). Defendem a energia nuclear como panacéia. Taxam de ''sabotagem sob influência estrangeira'' a atuação de movimentos e entidades sérias que atuam para que esse ''progresso'' não trague o país. Não, não, esse discurso não foi enterrado junto com a Gloriosa. Certas coisas nunca morrem, só trocam de farda.

Esse é o problema de sermos o país do “deixa disso” ou mesmo do “esquece, não vamos criar caso, o que passou, passou” e ainda do “você vai comprar briga por isso? Ninguém gosta de briguentos”.

Enquanto não acertarmos as contas com o nosso passado, não teremos capacidade de entender qual foi a herança deixada por ele – na qual estamos afundados até o pescoço e nos define. Foram-se as garrafas, ficaram-se os rótulos. A Dita se foi, sua influência permanece.

Não queremos olhar para o retrovisor não por ele mostrar o que está lá atrás, mas por nos revelar qual a nossa cara hoje. E muitos de nós não suportarão isso.

  1. marcos tambelini

    14/04/2011 18:26:38

    error (aos comentaristas )

  2. marcos tambelini

    14/04/2011 18:25:14

    atenham se a comentar a noticia nao aos comentarioskkk

  3. carlos cruz

    06/04/2011 00:04:40

    Sim, Daniel ! A mesma democracia que lhes permitiu , mesmo com sangue nas mãos e crimes nas costas serem passíveis de uma lei da anistia , que , ao assumir o poder , querem agora mutilar...

  4. Daniel Rcoha

    05/04/2011 14:00:57

    Ué, passei a vida toda pensando que eles lutaram para instalar um regime comunista no Brasil, então foi pela democracia que eles lutaram? É lendo que agente aprende.

  5. Cassio Lima

    04/04/2011 15:57:23

    Bingo !!! Comentário perfeito !

  6. Carlos Nufrist

    04/04/2011 15:26:40

    Total apoio ! A gente merece algo melhor neste espaço !

  7. Ciro Lauschner

    04/04/2011 12:51:54

    Verme: Sou assumidamente de direita, mas detesto e tenho nojo de ditaduras sejam elas de qualquer ideologia, mas a ditadura militar fez reformas agrárias também. No Mato Grosso foram feitas muitas delas e muitas cidades surgiram oriundas dela como Lucas do Rio Verde que já expus, Juina, Terra Nova, Canarana, Agua Boa etc.etc.Questiono muito a reforma agrária porque sou do ramo e conheço muito bem a atividade agrícola. Nos dia de hoje a chamada agricultura de subsistência não consegue dar mais subsistência a ninguem. Ela se tornou empresarial mesmo entre os micro ou pequenos proprietários e quem não tem o dominio da técnica moderna de lavoura e a visão empresarial que ela exige simplesmente não sobrevive. Exemplo são os assentamentos de 5 anos para cá que até hoje não se tornaram viáveis com rarissimas excessões, e necessitam do bolsa familia mesmo encima de terra própria.Isso é um fenomeno mundial e a reforma agrária feita na decada de 60 e 70 nos paises europeus hoje está refluindo para os grandes proprietários mesmo com subsídios.O Brasil perdeu a época da reforma agrária e hoje não é mais do que simplesmente um desperdicio de dinheiro público. Com os bilhões já postos na tal reforma agrária, daria para ter formado milhares de pessoas em profissões bem mais rentáveis e com padrão de vida bem melhor do que colocá-los simplesmente na roça, supondo que eles saibam plantar e colher.Na minha visão de mundo, acho que não existe alternativa ao capitalismo, compete melhorá-lo e torná-lo o mais humano possivel , porque o rompimento com esse sistema causará com certeza muito mais sofrimento do que solução.

  8. verme

    04/04/2011 10:26:31

    Ciro,Jango provocou irritação entre os conservadores (manifesto dos coronéis) ao propor, como ministro do trabalho, o aumento do mínimo em 100%.Como latifundiário, era um cara diferente.Tanto atormentou que caiu.Mesmo assim, Vargas fez valer o aumento.http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas2/artigos/CrisePolitica/JoaoGoulart

  9. verme

    04/04/2011 10:14:28

    Ótimos comentários, Fábio e Ciro.Fantástica, Fábio, sua lembrança:o POVO (o mesmo que, nessa texto acima imensamente MENTIROSO é “protegido” pelo nosso sacrossanto exército) votou pelo retorno do presidencialismo e pela restituição de todos os poderes que haviam sido insidiosamente subtraídos de Goulart.Acrescento que os golpistas já miravam o poder em 54 e que foram barrados pelo suicídio de Vargas.*******Acrescento tb uma página bacana, que mostra, de modo ligeiro mas interessante, a conexão entre o "milagre econômico" e a herança desenvolvimentista destruidora de que fala o Sakamoto, e que nem todo mundo entendeu no blog.http://acertodecontas.blog.br/artigos/o-milagre-economico-e-os-arrochos-de-salarios-e-liberdades/

  10. verme

    04/04/2011 08:22:05

    Fábio,Normalmente seus textos são ótimos.Mas este matou a pau.O melhor, o mais esclarecedor.Só me atrevo a fazer um acréscimo, que, na verdade, estrapola sua resposta, que é perfeita, bem amarrada e fechada.É o seguinte:A REFORMA AGRÁRIA ESTÁ NA ORDEM DO DIA, COMO SEMPRE ESTEVE.Abraço.

  11. Ciro Lauschner

    03/04/2011 22:33:02

    Pouco de pois de 64 já existiam os comunistas nas linhas euro comunistas, (linha italiana) linha soviética, linha stalinista(PC do B) e também havia grupinhos com idéias de linha independente e trotskistas. Nada que justificasse uma tomada de poder, pois tinham a significancia que tem até hoje, ou seja algo ao redor de uns 20 deputados.O medo maior vinha da propaganda americana logo após a crise dos misseis de Cuba, em 1960, que treinava militares sulamericanos para serem os baluartes anti comunistas, no auge da guerra fria.Os governo brasileiro era pífio. Janio Quadros, uma figura caricata estilo Color que se elegeu com o discurso de varrer a corrupção. Jango o vice, um latifundiárioque pregava a distribuição de terras, mas não passava de um discurso.O Brasil era predominantemente rural e os produtores rurais se assustavam com a demagogia de Jango.Dizer que o Brasil seria desenvolvido se não houvesse o golpe, acho que não temos essa certeza, porque os paises que se desenvolveram tiveram uma formação educacional sólida, e governos de direita democrática (aquela direita que vc. chama de fedida)que não desprezavaram o capital .

  12. carlos cruz

    03/04/2011 17:10:11

    Escreve "utilisa" , "diser" e mistura termos pomposos : um imbecil se faz com erros e frases de efeito !Procure uma gramática , FDA !Apesar de que você precisa de muito mais que isto: precisa de algum conteúdo.Seus textos são uma mistura de falta de objetividade com leviandade e indigência escrita , falada e ... pensada !Nossa, quanta besteira por cm2...!!!!

  13. celia nascht

    03/04/2011 17:04:03

    Só um grande ignorante como você , FDA não entendeu a mistura de dois termos ... mas , pompa de babaca à parte , seu cérebro é bem minúsculo. Não sei e nem valorizo alguém porque vive em Paris , pois um idiota pode viver aí e ser um idiota francês ( como vc , exatamente ). Logo vivo no Brasil , amo meu país e acho um cocô gente que como você se acha somente porque vive em outro páis e fica a se enaltecer , tão qualu um caipira botocudo , limitado que é ! Vivi na Itália e nos USA e nem por isto preciso vomitar merda como vc... Ademais , "Homem Merlancia " ( um dia ainda irá entender... então , vamos insistir ), seu português é tão ruim quanto sua deformada cabeça oca e sua vontade de aparecer é do tamanho de seu ego , já que o resto deve ser bem pequenino... Ao menos seu cérebro , se,m duvida !

  14. Maria Alice

    03/04/2011 00:51:33

    Caro roberto,Do que eu saiba os citados senhores também herdaram obras, dívidas , inflação etc… do tamanho da construção de uma Capital totalmente planejada. Quanto a isso, é uma história sem inocentes.No mais, concordo plenamente com você, quanto à importância de um governo democraticamente eleito. Isto nem se discute, pois é fundamental ! Até porque quando não é assim, as maldades, as injustiças, as safadezas, enfim todos os tipos de crimes podem ser praticados contra as pessoas, num silêncio covarde. Por isso lhe digo: Salve o Estado de direitos ! Salve a liberdade de expressão! Afinal, Vox populi vox Dei !

  15. FDA

    02/04/2011 05:13:19

    Caro Fábio_|,Feliz de ler seus comentarios...Não conheço o filme que falastes mas vou procura-lo, lhe direi de "nouvelles"... Seu francês esta otimo..Por que não dar umas liçãozinhas para a leitora Celia, esta precisando com toda urgencia... Como se diz ai: pretenção e agua benta tem que ter muita fê senão não funciona..Mas vai ver que com a Celia so exocismo mesmo....Abs...

  16. FDA

    02/04/2011 05:09:02

    Celia Nasct,Dà pra notar sua ignorância na língua de Molière “Merlancia” é FDA em francês, kkkk, nada de surpreendente, vindo de vc...O que hà de pior na vida é quando um largato se considera dragão! E para mim vc esta mais pra lagardo que aquela alegoria na imagem de S. Jorge..Melancia en francês se diz : “pastèque”, aprenda isso na sua "blondeur" de vida! Para mim, não quer dizer absolutamente nada, mais nada mesmo, quando se faz refencia a alguém: “homem melancia”! bofffffff...Portanto sua afirmanção não faz nenhum sentindo para mim! Mas o importante é que ela faz sentindo para vc: afinal uma melancia é feita para reconhecer uma outra não?

  17. FDA

    02/04/2011 04:51:43

    Caro Victor,Dizer “que a língua francesa era” é um eufemismo! Ela é “a melhor” língua para se “xingar”!Minha opinião sobre a questão é que Felizmente para vc, todos esses xingamentos que encontramos na língua francesa não existem, pelo menos em grande parte, no português do Brasil.Mas para vc que pretende sentir uma certa “insignificância” na maneira de comentar, lhe perguntei em um dos meus comentários: como é que vc quer aprender a nadar (comentar) se sentindo insignificante.Assim, Victor, o que é que vc quer diser quando utilisa o termo “provocação”? O que é para vc uma pessoa provocadora? Qual é seu interesse de saber se uma pessoa é ou não provocador(a) ? “Provocação” com referencia a que situação, a que comentário, a qual replica ou treplica? A réplica feita aqui a Marilu?Seria interessante que vc fizesse seu próprio julgamento sobre o que esta em pauta nesta replica. Quando Marilu interpela o Saka sobre o “quem tem que aparecer é o dono do blog e o tema né?”, ela esta fazendo refencia a uma réplica sobre a questão que coloco ao dono do blog sobre o “não respeito”, o não reconhecimento da dignidade humana do Sakamoto, como pessoa, como autor, como profissional por um leitor comentarista.Será que é tão difícil de distinguir a diferencia que existe entre (1) o fato de “aparecer’, ou seja, algo de natureza fenomenal das coisas, de “ver”, de “sentir”, etc., ou seja, do fato do Ser Humano ser um Ser de aparência e Ser receptor de "aparecia", com (2) o fato de estar no mundo virtual, de identificar um Ser Humano, de reconhecer um outro como Ser Humano.Da pra notar que o que esta em jogo desta discussão não é tanto o que “tá errado” ou o que “tà” certo. É o fato de um Ser Humano “ver” (ler um post do autor), de “sentir” (que o autor coloca um verdadeiro problema) e tomar a iniciativa volontaria de ignora-lo. Fazer de conta que o autor não existe. Na minha replica ressaltei os riscos paradoxais que leva um Ser Humano de ignorar um outro como “Solução final”. Visto que o Ser Humano existe, e que um outro nega sua existência, faz de conta que ele não existe. A “Solução Final” desse paradoxo seria de “exterminar” sua existência.Em suma, aprender a nadar sem se sentir insignificante implica avaliar uma situação. Dai a questão: não seria interessante de saber utilizar sua capacidade a julgar uma situação? Não seria necessário a saber se “consertar” sobre o que Verdadeiro ou o que é Falso, o que é Justo ou o que Injusto em comentarios?

  18. FDA

    02/04/2011 03:10:51

    Celia Nasct,En tempo, “vivo em Paris , blá , blá” sim! E muito bem obrigado...Justamente por não ter que conviver e suportar pessoas como vc!

  19. Luiz Alberto

    01/04/2011 23:57:19

    Ae cara...não foi uma piadinha não...apenas uma provocação.Teus argumentos são ótimos e tua resposta ...umna porrado no estômago.A propósito,tbém gosto muito da minha casa ... mas agora estou num boteco..tim tim.Abs.

  20. Rodolfo

    01/04/2011 22:51:50

    Sabotagem sob influência estrangeira é um novo imposto agora Sakamoto?É uma nova tarifa a ser paga pelo contribuinte? Então não se escreve taXam, e sim TACHAM de sabotagem sob influência estrangeira. Que você precisava voltar para o ensino fundamental para aprender história, geografia e sociologia, já ficou claro faz tempo. Mas o seu taxar me chamou atenção para sua ignorância quanto à língua portuguesa também.Não há artigo seu que não contenha solecismos diversos- e dos graves. Tudo bem um ex-presidente inculto e que não saiba ecrever.Não é ironia, por mim tudo bem mesmo(se bem que até um determinado momento, pois após ser eleito, Lula gozou de tempo e condições de se educar, desejo de muitos brasileiros que não possuem condições para tanto).Mas um jornalista criticar a morte de rios e florestas, enquanto assassina sem dó nem piedade a Língua Portuguesa, é uma tremenda hipocrisia. Sakamoto, tenho certeza que no seu tempo de escola, você era muito elogiado e enaltecido pelos professores não é?Pois bem, acho que você deveria pegar todos eles na porrada. Graças a eles, enaltecendo o ego de um garotinho burro metido a intelectual de 14 anos-como muitos de nós já fomos um dia- você se tornou esse ser arrogante e prepotente, que toma para si o direito de mudar a História como ela ocorreu, subverter os princípios mais elementares da lógica, e tratar suas convicções pessoais como parâmetro para a análise objetiva dos fatos. Você não os analisa e depois tira suas conclusões:você tem suas conclusões e depois an...é, ia dizer que depois você analisa os fatos, mas sua arrogância e sua preguiça o impedem de sequer fazer isso. Você, Sakamoto, é verdadeiramente uma sinopse ambulante de filme clichê americano no qual há uma troca de corpos entre duas pessoas.Na certa, o muleque tapado, pretensioso, cheio de empáfia e desdém pelo conhecimento visto de fora de uma ideologia pré-determinada, e que não sabe escrever 2 linhas sem cometer alguma monstruosidade ortográfica, tomou o controle do corpo de um suposto jornalista de enésima categoria. Abração Saka.

  21. Fábio_|

    01/04/2011 22:27:08

    Caro Luis Alberto,Sua piadinha é bem ruizinha e sem imaginação. Mostra o quanto você é apegado ao seu próprio cantinho ideológico. É compreensível: Sair da barra da sai da mamãe "velhas idéias de sempre" e ocupar o espaço público do debate exige vigor, algo que as muitas horas expostas à ideologia corporativa, aos gadgets tecnológicos e à indústria cultural inibem.Mas não se preocupe. Apesar de gostar muito de minha casa, vira e mexe, eu estou por aqui, à disposição para ouvir seus argumentos, se é que eles existem. Se esse for o caso, arrisque-os, pois, ainda que você passe vergonha depois de eles serem pisoteados, será apenas o seu nickname que ficará vexado. Aí, você troca, simplesmente assim.Mas, mesmo que você possa retornar com outro nome falando as mesmas baboseiras de sempre, os argumentos tocaram lá no seu âmago e você terá de refletir, queira ou não, sobre os argumentos trocados.De grão em grão, basta que você esteja disposto a escrever mais do que uma mera frasezinha mal formulada...

  22. marilu

    01/04/2011 22:20:16

    Fabio, boa noite!obrigado pela atençáo, pelo carinho e rsrsrrrs pela aula, valew!abs

  23. 01/04/2011 22:17:44

    Não acho que a ditadura militar no Brasil tenha sido ruim. Muitas obras foram construidas pelos militares , além de benefícios em prol dos trabalhadores. O FGTS por exemplo foi instituido por eles. Fico imaginando o Brasil sem a energia de Itaipú inteiramente construída no periodo militar. As usinas atomicas também foram planejadas e licitadas por eles. Uma coisa que muitos não viveram foi o milagre economico da década de 70. Coisa muito mais intensa do que agora. Profissionais qualificados eram sacados de uma empresa para outra com salários dobrados. O poder aquisitivo era alto permitindo que automóveis novos fossem comprados com 30-40% de ágio por quem não quizesse entrar na fila de tres meses. A bolsa de valores subiu de forma espalhafatosa durante um ano inteiro fazendo muitos milionários em curto espaço de tempo. Para o cidadão comum , a diferença era que havia censura não do que acontecia no governo ,mas de qualquer mídia que pudesse incitar a população contra o regime. A vida era difícil para os políticos , jornalistas e parte dos artistas , mas não para a população. Tanto isso é verdade que Emílio Médici o mais duro dos presidentes militares foi aplaudido de pé no Maracanã durante uma partida pelas eliminatórias da copa de 70. Dizem que ele foi o mais popular dos presidentes e teve 92% de aprovação. Não duvido que tal fato seja verdade , em virtude da economia que estava em berço esplendido na época.

  24. Luiz Alberto

    01/04/2011 20:05:49

    E voce ...já foi pra casa?

  25. Ciro Lauschner

    01/04/2011 18:21:56

    O povo deve ter pedido a repressão, a tortura, a censura e a imbecilização de uma geração inteira e os militares prontamente atenderam. Se queriam livrar o Brasil da anarquia precisariam no máximo uns 2 a 3 anos e não mais de 20.Ô nota estúpida, perderam uma grande oportunidade de ficarem calados.

  26. Fábio_|

    01/04/2011 18:12:20

    A lógica desse discurso é invejável.Ele procura esconder que, já em 1961, os militares haviam tentando impedir que Jango assumisse após a renúncia de Quadros.Ele procura esconder que, não conseguindo impedir que João Goulart ascendesse à presidência, impuseram-lhe a mudança de regime para o parlamentarismo - sem que o povo fosse convocado - para tentar isolá-lo.Ele tenta fazer esquecer que, quando pouco depois foi realizado um plebiscito, o POVO (o mesmo que, nessa texto acima imensamente MENTIROSO é "protegido" pelo nosso sacrossanto exército) votou pelo retorno do presidencialismo e pela restituição de todos os poderes que haviam sido insidiosamente subtraídos de Goulart.Quanto a tal "ditatura comunista", que inimigo mais conveniente! Não só para nossos militares de 67, mas também para Getúlio, ao declarar o estado novo, e para Hitler, culpando-os pelo incêndio do Reichstag, ao instituir o estado de excessão na Alemanha de 1933. Na história das ditaduras de direita, "sempre se é o comunista de alguém".O lamentável é pensar que nosso caro Gunnar pretende mesmo refutar o irrefutável com essa retórica chinfrim...

  27. Gunnar

    01/04/2011 17:49:05

    A comemoração do movimento militar de 31 de março de 1964 foi retirado, neste ano, do calendário oficial do Exército. Os clubes Militar, Naval e Aeronáutico divulgaram hoje uma nota conjunta sobre os 47 anos da deposição de João Goulart. O texto é assinado pelo general Renato Cesar Tibau da Costa, pelo vice-almirante Ricardo Antônio da Veiga Cabral e pelo tenente brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista. Leia a íntegra.Há quarenta e sete anos, nesta data, respondendo aos reclamos da opinião pública nacional, as Forças Armadas Brasileiras insurgiram-se contra um estado de coisas patrocinado e incentivado pelo Governo, no qual se identificava o inequívoco propósito de estabelecer no País um regime ditatorial comunista, atrelado a ideologias antagônicas ao modo de ser do brasileiro.À baderna, espraiada por todo o território nacional, associavam-se autoridades governamentais entre as quais Comandantes Militares que procuravam conduzir seus subordinados à indisciplina e ao desrespeito aos mínimos padrões da hierarquia.A história, registrada na imprensa escrita e falada da época, é implacável em relatar os fatos, todos inadmissíveis em um País democraticamente organizado, regido por Leis e entregue a Poderes escolhidos livremente pelo seu povo.Por maiores que sejam alguns esforços para “criar” uma história diferente da real, os acontecimentos registrados na memória dos cidadãos de bem e transmitidos aos seus sucessores são indeléveis, até porque são mera repetição de acontecimentos similares registrado pela história em outros países.Relembrá-los, sem ódio ou rancor, é, no mínimo, uma obrigação em honra daqueles que, sem visar qualquer benefício em favor próprio, expuseram suas carreiras militares e até mesmo suas próprias vidas em defesa da democracia que hoje desfrutamos.Os Clubes Militares, parte integrante da reação demandada pelo povo brasileiro em 1964, homenageiam, nesta data os integrantes das Forças Armadas da época que, com sua pronta ação, impediram a tomada do poder e sua entrega a um regime ditatorial indesejado pela Nação Brasileira.http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/clubes-militares-emitem-nota-conjunta-sobre-o-31-de-marco-%e2%80%9ccontra-a-baderna-promovida-pelo-proprio-governo%e2%80%9d/

  28. Celia Nasct

    01/04/2011 17:37:07

    "Merlancia" é FDA em francês ...que ele vive em Paris , nós os rastafaris brasilieros milicos !!! Ai, meu Deus !!!!!!!!!!!

  29. Celia Nasct

    01/04/2011 16:51:57

    Falou o Homem Melancia ... faltou apenas , neste seu português horroso , dizer que "vivo em Paris , blá , blá ",... que babaquinha de carteirinha de auditório

  30. Fábio_|

    01/04/2011 15:21:01

    Em atenção especial ao Ciro Lauscher, que sabe tudo sobre a história da Alemanha:Justificar a ditatura brasileira pós-64 afirmando que ela evitou uma "ditatura muito pior", a dos comunistas, equivale a acreditar no inquérito da polícia nazista sobre o incêndio do Reichstag, um dos eventos que, como todos sabem, sustentou a escalada de Hitler.Só falta esse povo dizer que o Getúlio também tinha razão em 1937 e os comunistas estavam para tomar o Brasil de suas mãos "seguras".Émile Brehier: "On est toujours le libertin de quelqu'un".Bento Prado Jr: "On est toujours le irrationaliste de quelqu'un".Para os nossos conservadores, valeria mais uma variação do mesmo argumento, algo como:"Sempre se é o comunista de alguém".

  31. Fábio_|

    01/04/2011 14:45:57

    Ao FDA,Caríssimo,Que luta inglória travaste nessas paragens! Foste dos poucos bravos que dispararam sistematicamente contra a turba ensurdecedora de asnos e asneiras, que infelizmente imperava por aqui.Que eles fiquem então sabendo, por tuas respostas, que "no good deed goes unpunished" - ou "il n'y a pas des bonnes actions impunies" (por favor, corrija o francês enferrujado - seria "bonnes actions qui vont impunies"? Sei lá).Ah, acerca de uma discussão anterior entre você e a Marilu, sobre a liberdade de expressão do ridículo Bolsonaro, gostaria de recomendar, caso vocês já não conheçam, o filme "Doze homens e uma sentença", do Sidney Lumet.Um filme fantástico, no qual se pode discutir em que sentido nosso direito à liberdade de expressão é ilimitado e em que sentido ele é limitado. Resumidamente, diria que o "direito à própria opinião" tornou-se um modus muito sem graça do direito burguês à propriedade.Temos, o que é diferente, um direito ilimitado à exprimir nossas opiniões, a usar todos os argumentos possíveis para sustentá-la, EM ATO, em uma discussão.Assim, o direito à própria opinião torna-se interessante quando colocada num confronto de argumentos e de razões.A extensão "liberal-conservadora" da coisa se dá no momento em que eles dão de ombros para os argumentos do outro e afirmam, teimosamente, que "todos têm direito à própria opinião". Mentira. Todos têm direito a defender a própria opinião num confronto de argumentos, mas ninguém tem o direito de afirmar, em nome da sacralidade do próprio cantinho ideológico, a própria opinião contra a evidência argumentativa do outro.Enfim, proponho que recusemos aquele papinho do tipo: "ah, você diz a sua opinião, eu digo a minha, e cada um vai para casa com sua própria opinião..." Nada mais triste. A linguagem é local de convivência e transformação recíproca, as idéias correm livremente e se configuram às mais variadas construções. Ela ainda é um ideal do que pode ser o nosso mundo, ainda que nela já corra em avançado estágio o processo de atomização e privatização, tal como evidenciado por esse apego individualista à propriedade privada da própria opinião.Enfim, não sei o que pensam vocês dois acerca do tema, mas, de qualquer forma, o filme fica como sugestão.AbraçosFábio_|

  32. Alceu Cáceres Gonçalves

    01/04/2011 14:19:27

    Puxa! Muito obrigado, Maria Alice, por informar os nomes dos gênios que verdadeiramente levaram adiante o pior período da nossa história. Na verdade, estes senhores aos quais cantou loas e broas, foram os verdadeiros criminosos, pois criaram as políticas (ou melhor seria dizer, crimes?) que os carrascos fardados puseram em prática. Realmente, os carrascos fardados eram muito bons, especialistas até, em morte e destruição, não tinham traquejo no varejo da destruição do Brasil. Nada mais natural do que chamar os sabujos dos americanos. Aliás, tem um na sua lista que era mais conhecido como bob field, não é? Aliás, o babalorixá de todas as boas almas que vc relacionou, um engenheiro mequetrefe que durante muitos anos trabalhou para multinacionais, depois se enveredou pelo economicismo extremamente entreguista, o qual se esgoelava aos quatro ventos que o arco-íris do pote de ouro se chamava liberalismo e o capital privado (leia-se multinacionais). Pena que aquele delinquente morreu há mais de 24 anos, pois senão hoje poderíamos jogar naquela sua cara avarenta de personagem de Dickens, os resultados do seu liberalismo, que pariu a píor crise econômica da era moderna. AlceuCG.

  33. Fábio_|

    01/04/2011 14:14:52

    Cara, esse pessoal da direita demonstra uma enorme ignorância da História, ou melhor, uma adesão vulgar aos lugares comuns que tornam suportável ou imaginável a troçulhada de mentiras que suporta essa ideologia fedida. Dizer que o Brasil antes de 64 caminhava para uma ditadura comunista de tipo soviético - ou mesmo cubano - é obra de uma imaginação fértil, ainda que vulgar. Quase todos os relatos da época e estudos posteriores falam acerca do caráter "nacional-desenvolvementista" do partidão, aliado à burguesia industrializante contra as velhas oligarquias rurais. Não há marxista ortodoxo que não deixe de acusar que, à época, vigorava no Brasil um marxismo que sublimava a luta de classes em prol do ideário anti-imperialista, por consequência, nacionalista. Demonstravam a total falta de "internacionalismo" de nossos marxistas ao apontar para a suspeita que cultivavam em relação à URSS, vista então como uma nação imperialista, como os EUA. Como disse o HRP, o motivo que deflagrou o golpe militar não foi 0,3% de guerrilheiros radicais, foi, sim, a pressão popular por reformas durante o governo Jango, reformas que colocaram sob pressão as estruturas das nossas desigualdades sociais, entre as quais, principalmente, a reforma agrária.Nessa época, importa frisar, reforma agrária e modernização da economia eram sinônimos. Diversos países haviam operado tal reforma, modernizado a produção no campo e levado direitos trabalhistas e sindicais para a zona rural. Foi aí que o velho Brasil - os donos do interiorzão, filhos de senhores de escravos, coronéis do cacau, etc - reagiu. Apesar do poder executivo estar em mãos da burguesia urbana e modernizante, o federalismo garantia aos donos do "Brasil profundo" (o mesmo do qual hoje fala o naldinho arremedo) o poder no congresso. O assunto é amplo, mas, para resumir, as idéias do Hélio Jaguaribe podem nos ajudar a ter uma noção do ATRASO econômico e social representado pela instauração do governo militar:Até 64, a modernização econômica vinha acompanhada indissociavelmente da modernização social (direitos trabalhistas, sindicais, pressão por reforma agrária, mudança radical nos costumes, democratização, alfabetização - a experiência P. Freire no Pernambuco de Arraes, etc). Com o militarismo, passou a vigorar uma ideologia de segurança nacional, que só admitia o desenvolvimento econômico que não afetasse a ordem social.Em suma, a ditatura veio acabar com a chance brasileira de se tornar um país desenvolvido.SÓ ISSO

  34. Luiz Alberto

    01/04/2011 14:07:23

    Oi Marilu...boa tarde.Postei um comentário que está sob moderação...deve ser problema de bios.Antes de entrar em Alfha,quero cumprimenta-la por sua posição conciliadora e desejar a voce e a todos os que aqui emitiram suas opiniões um ótimo final de semana.De repente eu volto.Abs

  35. Luan

    01/04/2011 13:06:16

    "O poder não corrompe, o poder revela."

  36. Luan

    01/04/2011 13:04:53

    Mas sem a ditadura não poderia ser melhor e mais justo?

  37. Luiz Alberto

    01/04/2011 12:52:21

    Já que é pra recordar vamos lá.Em 1967 estava eu em idade da prestação do Serviço Militar,e por ser pacifista convícto,utilisei um dispositivo das normas do Ministério do Exercito solicitando a não prestação do serviço...fui algumas vezes interrogado, expus minhas convicções e meu pedido foi atendido.Maio de 1969...estava fazendo um pagamento numa agencia bancária na rua Piratininga,que foi alvo de tentativa de assalto.Saldo da ocorrencia..um policial civil foi assassinado.O crime foi atribuido a um certo capitão que se tornou um ícone da luta armada.Durante o período do Regime muita injustiça foi cometida sem dúvida.Quanto aos avançosos na área economica,estes deveriam e devem ser sempre o objetivo dos governantes.No entanto, quando ouço esta expressão "herança maldita", me vem a mente um pensamento de NIETZSCHE :Nos indivíduos,a loucura é algo raro...nos grupos,nos partidos,nos povos é a regra. Acho que ele está coberto de razão.

  38. Victor

    01/04/2011 12:40:32

    "Quer vc queira quer não, o blog do Sakamoto ganhou uma dimensão mundial: ele esta entre os blogs mais votados sobre a questão dos Direitos Humanos"...sinceramente FDA eu não sabia que o blog do Saka tinha tomado essa dimensão e são pessoas como vc é q engrandecem esse espaço cara...sei que hoje sei lá...(posso estar errado) vc parece estar meio nos cascos e com razão sobre algumas coisas...posso não te conhecer cara...mas pode acreditar...respeito muito suas opiniões e seu modo de pensar...e aproveitando uma oportunidade e fungindo um pouco do assunto (só pra descontrair) quando vi o filme matrix 2 vi o personagem chamado Merovingian dizer que a língua francesa era a melhor para se xingar...e gostaria de saber a sua opinião sobre isso...mas calma...isso não é uma provocação...é só uma brincadeira com vc...então desejo um bom final de semana pra vc cara...muita luz na sua vida...cara...valeu...

  39. Alceu Cáceres Gonçalves

    01/04/2011 12:35:44

    Tem alguns mané-comentadores, nem vou citar o nome para não enxovalhar meu post, que se acham muito espertos ao listar as grandes obras dos assassinos que governaram o Brasil, e ao mesmo tempo dizem que, afinal, foram somente 500 ou 600 os assassinados pelos mencionados assassinos. Interessante e sugestiva a desonestidade intelectual ou burrice de tais criaturas. Abjetamente eles se esquecem das políticas implantadas pelos verdolengos, em todas as áreas do Brasil. O sucateamento da Educação, da saúde, das comunicações, mas principalmente a estrutura que ajudaram a montar para que grandes e criminosas corporações crescessem, como a rede globo, o tráfico de drogas e a prostituição. Muitos bocaberta dirão; como assim, tráfico de drogas e prostituição? Simples, semovente; com suas políticas de massacre das instituições sociais, políticas e econômicas, os ditadores de plantão tiraram a chance do Brasil avançar como nação livre e justa e as legiões de miseráveis que criaram não tiveram opção a não ser o crime e seus correlatos. Milhões morreram em conseqüência dos crimes dos ditadores, portanto, argumentar que foram somente alguns 500 ou 600, é de uma baixeza asquerosa. AlceuCG.

  40. Eduardo Azevêdo

    01/04/2011 12:27:38

    Ilustrada Sra. Marilu:novamente parabéns por seu comentário.Sempre sensato, ordeiro, respeitoso, e visando as inúmeras facetas dos fatos, aliás, como de resto são todos os comentários dos comentaristas deste blog.Não podemos escolher qual dos melhores dos mundos para vivermos as nossas vidas... esses mundos nos vêm independentemente das nossas vontades...você foi muito feliz quando falou das mazelas da nossa ditadura... mas contudo poderiamos todos ter sidos subjulgados por outra espécie de ditadura, com mazelas bem piores ainda do que as mazelas da nossa ditadura, como aconteceu com os desafortunados que foram subjulgados pelas ditaduras comunistas, que matam sem jamais perderem a ternura.Aliás, Marilu, mazelas acontecem também nas maiores democracias, inclusive na América livre.Muita paz para vc, Marilu!

  41. Ciro Lauschner

    01/04/2011 12:13:47

    Marilu, voce foi genial. tem que ser assim para a humanidade ser melhor e não remoer mágoas que costumam fazer mal só para quem as sente.Mas confesso que não é para qualquer um, tem que ter uma luz interior que eu confesso não tenho, apesar de me esforçar.

  42. Clovis Eduardo Godoy Ilha

    01/04/2011 11:56:55

    Muito bom, Célia.

  43. Clovis Eduardo Godoy Ilha

    01/04/2011 11:56:24

    Muito bom, Eduardo.

  44. marilu

    01/04/2011 11:44:36

    Vitooooooooooorrrrrrrrr Bom dia!brigaduuuuuuuuuuuuuuu, bom final de semana pra vc tbem! valewabs

  45. marilu

    01/04/2011 11:40:31

    FDA, bom dia!calma, não se exaspere! tá errado? dá pra consertar? então vamos consertar, não tem mais conserto? então vamos refletir sobre o acontecido, reparar os danos possiveis, e pronto! eu não entendi até agora porque de tanta fúria, mas respeito vc, teus motivos devem ter esse peso, eu é que talvez não tenha dimensionado!não sou desrespeitosa assim de graça e com prazer, mas não me eximo de errar , rsrsrrs quase que tds os dias! e vc não tenha um coisa, respira, nem tudo é exatamente como desejamos, nem nós mesmos.abs

  46. Clovis Eduardo Godoy Ilha

    01/04/2011 11:07:46

    Ciro. Um sujeito está rindo porque você disse que Roberto Campos, Mário Henrique Simonsen ou Delfim Neto são economistas brilhantes.Pois eu lhe digo: ROBERTO CAMPOS, MÁRIO HENRIQUE SIMONSEN E DELFIM NETO FORAM, SIM, BRILHANTES.Talvez aquele sujeito devesse encontrar outros motivos para dar suas risadas

  47. Victor

    01/04/2011 11:03:12

    "respeito aos que lutaram e sofreram para que hj eu tenha a liberdade de até escrever num blog sobre direitos humanos!"...Marilú...sem palavras pra vc....bati palmas aqui diante da tela do computador por seu texto...não sei classifica-lo...aliás nem quero...dizem que um música não se divide em generos (rock,reggae, dance) e sim em boa e má....parabéns pelo texto...pela sensibilidade...enfim...valeu mais uma vez...o minimo que eu posso dizer é...tenha um bom dia e um ótimo final de semana...:)

  48. roberto

    01/04/2011 11:00:11

    que eu saiba o país já vivia um período de crescimento desde o governo do jk. governo democraticamente eleito. os citados senhores, que eu me lembre, deixaram além das obras, dividas, inflação, etc... do tamanho das mesmas.

  49. FDA

    01/04/2011 10:56:34

    Cara Marilu,Uh, essa não vai passar: o que esta em pauta aqui não é o fato do “aparecimento” do dono do blog!Talvez seja normal para um cidadão brasileiro de “ignorar” a existência de um Ser Humano.Seria mesmo uma coisa comum, banal, herança maldita, sem duvida, da visão do mundo nazista neste “tristes trópicos”....Vale lembrar que em 1961, durante o julgamento de Eichmann, ficou evidente que Eichmann ignorava tudo sobre os “nomes” ou “o número” de pessoas, quem eles eram, etc., da “Solução final”: ignorar o Ser Humano como pessoa Humana era muito “normal”, “natural” e até “banal” para o Regime Nazista.Foi contra essa “descoberta” macabra feita na segunda guerra mundial que o mundo jurídico tomou consciência que ele estava inapropriado contra esse ato indigno! Dai a questão de como integrar o principio da dignidade humana...Quer vc queira quer não, o blog do Sakamoto ganhou uma dimensão mundial: ele esta entre os blogs mais votados sobre a questão dos Direitos Humanos.Para “nos” europeus, já é um afronto um leitor ignorar um outro leitor. Imagine um leitor ignorar um autor, um jornalista, um científico, Marilu?Digo e repito: basta de comodismo, de cumplicidade diante de atos indignos Marilu! Se vc é confrontada a uma transgressão individual, politica, moral ou social ou vc se posiciona ou vc se demite ou vc é cumplice.Mas nada de rodeios: te deixo refletir sobre sua participação nesta atitude do Eduardo Azevêdo!Querendo ou não, vc participou a essa maneira indigna de agir...Eu digo não: basta, isso é indigno para o Sakamoto!

  50. roberto

    01/04/2011 10:50:32

    lembre-se que a poluição das fabricas, carros, etc... diminuiu justamente por causa das reportagens. o arsenal nuclear só não cresceu mais também porque houve manifestações.a caça as baleias é tema até hoje, talvez não para o senhor, mas tem gente brigando com os japoneses todos os dias.o maior valor moral que foi deixado, talvez nao deva ser só devido aos militares, mas com certeza eles contribuiram é que se voce reclamar muito sobre o governo ou alguns politicos, pode ser torturado, morto, sumir. por isso não reclame, aceite a sua condição de pegar onibus lotado, morar em bairro que alaga e que saude e educação nao te pertencem.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso