Blog do Sakamoto

Cansei. Agora, sou Agro

Leonardo Sakamoto

Empresas e entidades ligadas ao agronegócio lançaram, esta semana, uma grande campanha de mídia para tentar reverter a imagem negativa do setor, contando com atores como Lima Duarte e Giovana Antonelli. O Movimento de Valorização do Agronegócio Brasileiro – Sou Agro envolve também a produção de notícias e o desenvolvimento de pesquisas. A verdade é que, para mudar a imagem do agronegócio, que não vai lá muito bem com os recentes assassinatos de trabalhadores rurais, a tratorada sobre o Código Florestal, o trabalho escravo velho de guerra, noves fora os problemas de sempre, vai ser necessário uma campanha muito longa.

Quando o Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros (lembram do ''Cansei''?), organizado pela OAB-SP e parte rechonchuda da elite brasileira, foi lançado tive a mesma sensação estranha que estou tendo agora com o Sou Agro. A de que soa como algo que quer fazer com que você defenda interesses específicos pensando lutar pelo interesse nacional, passando por cima de algumas verdades. Que, muito provavelmente, não estarão na boca do Lima e da Giovana.

O Brasil não conseguiu garantir padrões mínimos de qualidade de vida aos seus trabalhadores rurais, principalmente aqueles em atividades vinculadas ao agronegócio monocultor e exportador em área de expansão da fronteira agrícola. Ocorrências de trabalho escravo, infantil e degradante, superexploração do trabalho, remuneração insuficiente para as necessidades básicas são registradas com freqüência. Prisões, ameaças de morte e assassinatos de lideranças rurais e membros de movimentos sociais que reagem a esse quadro também são constantes e ocorrem quase semanalmente. A estrutura fundiária extremamente concentrada também funciona como uma política de reserva de mão-de-obra, garantindo sempre disponibilidade e baixo custo da força de trabalho para as grandes propriedades rurais.

Parte do agronegócio brasileiro ainda não consegue operar com práticas sustentáveis, fazendo com que o meio ambiente sofra as conseqüências do desmatamento ilegal, da contaminação por agrotóxicos, do assoreamento e poluição de cursos d'água, entre outros. Da mesma forma, para a ampliação da área cultivável ou no intento de viabilizar grandes projetos há um histórico de expulsão de comunidades tradicionais, sejam elas de ribeirinhos, caiçaras, quilombolas ou indígenas, que ficou mais intensa com a colonização agressiva da região amazônica a partir da década de 70. Esse tipo de ação tem sido sistematicamente denunciado pelos movimentos sociais brasileiros às organizações internacionais – Belo Monte que o diga.

Mesmo se fossem fechadas as fronteiras agrícolas da Amazônia e do Cerrado – hoje abertas e em franca expansão – o país ainda teria uma das maiores áreas cultiváveis do planeta. Da mesma forma, seu clima (diverso, entre o temperado e o tropical, o que garante um vasto leque de produtos), relevo (grandes extensões de planícies e planaltos), disponibilidade de água e um ciclo de chuvas relativamente regular na maior parte do ano garantem excelentes condições de produção.

 Além disso, o Brasil é um dos países mais populosos do planeta, com mais de 180 milhões de habitantes, dos quais aproximadamente 10% trabalham no campo. Há mão-de-obra disponível, o que garante o desenvolvimento e a ampliação das atividades sem depender de migração externa ou de um choque de mecanização, como acontece com a União Européia ou os Estados Unidos.

O país possui uma legislação trabalhista que, se fosse seguida corretamente, seria capaz de resolver boa parte dos problemas sociais que ocorrem nessas propriedades rurais. Ela incomoda o capital e prova disso são as fortes pressões de empregadores por uma reforma que diminua os gastos com os direitos trabalhistas. 
O que existe efetivamente é um descompasso entre o que prevê a lei e a realidade no campo. Na busca por aumentar sua faixa de lucros e seu poder de concorrência no mercado nacional e internacional, parte dos agricultores descumpre o que está previsto na legislação e explora os trabalhadores, em intensidades e formas diferentes. Ficam com parte dessa expropriação e transferem a maior fatia para: a) a indústria, b) comerciantes de commodities de outros países e c) o sistema bancário brasileiro e internacional – que financia a produção.

 Os casos de exploração mais leves são mais freqüentes e dizem respeito ao pagamento de baixos salários e à manutenção de condições que colocam em risco a saúde do trabalhador. Do outro lado, as ocorrências mais graves estão na utilização de mão-de-obra escrava.

Como os casos ''mais leves'' de desrespeito ao trabalhador são mais freqüentes, eles passam despercebidos na mídia, preteridos em detrimento à gravidade do trabalho escravo e infantil, que ocorrem em menor número. Também não é interesse de algumas empresas de comunicação em discutir aumentos de salários no campo, uma vez que é freqüente a propriedade de TVs, jornais e rádios por grupos familiares do agronegócio. Já os assassinatos de trabalhadores rurais são vistos como ''baixas de conflito'', inseridos em um discurso de que a defesa da propriedade privada predispõe e justifica o uso da força. Segundo esse discurso, é comum o progresso ter as suas vítimas.



A força política dos proprietários rurais continua sendo um entrave para a mudança dessa estrutura. Há uma laissez-faire no campo.
O detentor da terra na Amazônia, por exemplo, muitas vezes exerce o poder político local, seja através de influência econômica, seja através da força física. O limite entre as esferas pública e privada se rompe. Há no Congresso Nacional um influente grupo de parlamentares que defende os interesses das grandes empresas rurais, a chamada ''bancada ruralista''. Infelizmente, esses deputados e senadores têm inviabilizado a aprovação de leis importantes que poderiam ajudar efetivar os direitos dos trabalhados do campo – como a que prevê o confisco das terras em que trabalho escravo seja encontrado. Temem que isso afete os seus principais eleitores.



É necessário acelerar a efetivação dos direitos dos trabalhadores e alterar a estrutura agrária brasileira. A tarefa é árdua, tendo em vista as razões expostas anteriormente, e passa também por mudanças políticas e econômicas que, certamente, irão incomodar as elites rurais, industriais, comerciais e financeiras, tanto do Brasil como do exterior, que lucram com esse sistema.

Infelizmente, a forma como vem sendo feito o desenvolvimento da agricultura brasileira, principalmente em regiões de expansão agrícola na Amazônia e no Cerrado, tem trazido crescimento econômico, mas não bem-estar social. Apesar do nível de consciência do trabalhador rural ter aumentado significativamente nos últimos anos, o que é pré-condição para que ele se torne um protagonista social, a mobilização ainda é insuficiente para uma mudança radical na estrutura de concentração econômica no campo. O governo Lula esteve aberto ao diálogo com grupos como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), mas frustrou expectativas por não tomar decisões que alterariam o statuo quo no campo. Pelo contrário, reforçou-o. Uma delas seria dar, pelo menos, o mesmo apoio garantido ao latifúndio para a pequena propriedade, considerando que a sua produtividade é comparável ou maior, ao passo que a degradação do meio ambiente e da força de trabalho são maiores na grande propriedade. Ressalte-se que apesar das grandes fazendas ficarem com a maior fatia do bolo do financiamento público, as pequenas propriedades é que empregam 80% da mão-de-obra no campo, produzem a maior parte dos alimentos consumidos pela população brasileira.

Ou seja, seria necessário um enfrentamento político e econômico contra as condições que garantem a exploração do trabalhador e do meio ambiente. Fato que, até a vista alcança, permanece distante.

  1. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    28/07/2011 13:45:39

    Verdade verdadeira Virgilio.Há concordâncias e discordâncias, isso é ótimo, gostássemos todos do verde, o que seria do azul, não é? Vamos lá.Você não disse que todos agricultores são desonestos(Verdade), mas nem eu disse que todos são a santidade em pessoa, essa é Marina Silva, certo? Generalizei as ONGs sim, desculpe.Quando eu disse: “isso ecxiste", demonstro, e não nego, que haja sim, "indícios claros", a palavra indícios é oportuna. Proponho inclusive punição, ficou claro, nos meus textos!! Onde haja fatos, não "indícios".Se não há punição, é lamentável, concorre para a impunidade e a má fama do bons agricultores, que são colocados no mesmo balaio(Não por você, mas pelo blog). Dá pra melhorar? Dá. As Leis existem, e são rigorosíssima inclusive, cumpra-se.Os "selos", as barreiras fiscais, fitossanitárias, agroecológicas, humanitárias, Deus me defenda.A bancara ruralista, está lá pra defender o "SOU AGRO" e estão fazendo isso muito bem; lamento que a bancada da saúde, educação, etc, não consigam fazer o trabalho que lhes é delegado pela sociedade.Não é ingenuidade minha, foi uma imprecisão, o cara compra o trator gigante, por ser eficiente, pelo MODERFROTA, porque o vizinho comprou um igual, porque é bom tem 2 ou 3 a menos na folha de pagamento, porque é caro manter funcionário na CLT; mas são bem remunerados nas fazendas(O blogueiro nega). Que crime há em fazer como as fábricas no mundo todo, manda-se 3 embora e contrata-se 1 pelo salário de 1,5(Que é alto)? Ou seremos culpados pelo desemprego também?Não sei destrinchar os recursos da Embrapa, mas tenho certeza que os pequenos, as energias alternativas, o hortifruti, não estão "totalmente" desassistidos. As PPPs com multinacionais e os "royalties"tem sido a grande fonte de recursos na Embrapa para o agronegócio.As tecnologias estão aí pra os pequenos(vide links do "verme", ótimos por sinal), falta usá-las. Se não são usadas, fazer o que?Questão exageros do blog, vamos continuar discordando, pois eu considero exageros sim.. Mas, é o caso do azul e verde! Fatos e mistificações! Verdades e mentiras! Eu fico com as primeiras.Faltaram me chamar de arrogante(Por vez fui enfático em demasia), mas eu sei do que estou falando, trabalho com agricultura há 15 anos.Muito poucos agropecuaristas são picaretas(destruidores do meio ambiente, exploradores de pessoas), o resto é EXAGERO SIM..Obrigado.Abraço.Aguardo seus comentários sobre os vídeos.

  2. roberto

    28/07/2011 12:30:51

    paulo falo comigo ?

  3. virgilio

    28/07/2011 10:17:32

    Caro MotoserraEm muita coisa a gente concorda, só em alguns detalhes que não. E o diabo mora nos detalhes. Nunca disse que não tem gente do agronegocio que seja honesta e trabalhadora, e apesar do pequeno produtor ser responsável pela oferta de alimentos na cesta básica, o agronegócio puxa a balança comercial pra cima (com os commodities). Não generalizo, apesar de achar que é um pouco de ingenuidade sua pensar que o agricultor compra um trator super moderno por que a legislação trabalhista é pesada. Ele troca o trabalhador rural pela máquina pelo mesmo motivo que as industrias trocam o peão pela máquina; ela é mais eficiente e no fim das contas mais barata. Isso acontece em todas as áreas, no mundo todo, e a culpa não é da legislação trabalhista.Repito, não generalizo, sobre os selos, concordo que foi um exemplo infeliz, lembrei que em muitos lugares no exterior essas regras viram um tipo de entrave criado apenas para defender o protecionismo e coibir a entrada de produtos brasileiros, mas sobre a degradação do trabalho e do meio ambiente, tenho de discordar com vc. De fato, talvez entre seu circulo de amigos ou na maioria das pessoas que você conhece isso pode não ocorrer, e exatamente por isso não generalizo. Mas negar indícios claros de que trabalho escravo ainda existe no campo e quando é descoberto muito pouco acontece para punir os culpados, indícios que uma parte relevante da bancada ruralista se aproveita , ao defender causar que são legítimas de vcs ( incluindo melhoria de condições para investimentos, insumos, etc, alem de apoio tecnológico - uma parte relevante das pesquisas da Embrapa é focada no agro negocio) para varrer pro esquecimento as questões trabalhistas e ambientais. Sei que tem algumas Ongs e ambientalista que são desonestos, mas da mesma forma como não generalizo os produtores rurais espero que tenha o bom senso de não generalizar todos que defendem que o trabalho no campo não deve ser uma praça de guerra, e sim um local de trabalho que não avilte a dignidade humana nem seja predatório. E infelizmente, nesse sentido - até eu queria que o dono do Blog estivesse exagerando, mas na maioria das vezes ele não está. Verei os videos e depois comento a respeito, até mais.

  4. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    28/07/2011 09:37:17

    Olá Virgílio.Eu também sou contra a "exploração do trabalhador rural e a degradação promovida em alguns ecossistemas", tem agricultores desonestos e inescrupulosos, como em qualquer atividade. Ou seja, "isso ecxiste" e deve ser punido.Há exploração de trabalhadores, que se puna rigorosamente, há destruição de ecossistemas, que se puna. Eu fico indignado é a generalização: "todo latifúndio é mau; o latifúndio é o responsável pelos males do mundo; o latifúndio é isso é aquilo". Não somos a expressão puritana da santidade ambiental(Essa é Marina Silva), mas não somos um mal a ser combatido.Não precisamos nos colocar "selos", eles nos são empurrado goela abaixo, por ONGs dos mais diversos países(Alguns só mantêm 0,3% de suas florestas), das mais diversas matizes.Podemos, conforme a LEI, desmatar 35% de nossa propriedade no cerrado, 20% na Amazônia, somos rigorosamente fiscalizados, pelo MAPA, MTE, IBAMA, órgãos estaduais, ONGs, ambientalistas, e pelo dono do blog. kkk.Eu não sou exceção, sou regra, conheço um "pouco" da agricultura/pecuária de MG, MT, MS, PI, MA, e do meu GO; SP eu conheço o noroeste do estado, já andei bastante, e o que mais vejo, é o contrário do que você disse. O que vejo é agricultor correndo pra tentar se adequar à Lei mais rígida do mundo na área ambiental, a nossa. Vejo também agricultor comprando um trator gigantesco, pra não ter que registrar 2 ou 3 trabalhadores, pois a CLT encarece a mão-de-obra e muito.Não ficamos "chorando pelos cantos", ficamos trabalhando, dá vontade de chorar quando, depois de trabalhar tanto não vemos o retorno($$$$), aí dá vontade de chorar.kkk. Mas como você disse, podemos nos defender e isso é legítimo, então beleza.Pois é, se o IBGE tá dizendo, que sou eu pra dizer o contrário. Mas, o pequeno agricultor é um valoroso ator na manutenção dos preços dos alimentos nos menores patamares do mundo, e sim, uma grande parte do que comemos vem deles. Os grande produtores, reconhecem, admiram, e respeitam os pequenos, depois vão trabalhar.kkkAh, a distorção política, não tenho nada a ver com isso.kkkNão sei se você tem acompanhado meus textos, sugiro que os leia todos para entender melhor.Estou neste blog, desmistificando as mentiras lançadas pelo blogueiro, tem uns textos meus acima, tem alguns links do youtube, se puder olhe também.Obrigado.

  5. Virgilio

    28/07/2011 02:45:03

    Caro Motoserra de prata.Até entendo que a reivindicação de vcs é legítima. O que tenho contra uma parte do agro negocio é a exploração do trabalhador rural e a degradação promovida em alguns ecosistemas - isso é simples - pode ser que em sua região ou empresa os trabalhadores rurais ganhem um salário justo, trabalhem pela CLT e a empresa seja responsável e não polua ou degrade o meio ambiente tanto assim. Mas infelizmente vc é uma exceção rara. O que se vê pelo Norte e Centro Oeste e em casos pontuais de São Paulo é muito variado, e na maioria dos casos para uma situação que reforça a degradação e não o contrário. É legítimo fazer propaganda pra defender seu produto? Claro que é. Mas seria melhor que vcs se unissem procurando criar, por exemplo, um selo em seus produtos que garantissem que suas empresas/fazendas não destroem o Cerrado nem tem trabalho escravo ou degradação humana com boias frias em situação de semi escravidão, do que ficar chorando pelos cantos. Não acho que o MST seja a panaceia universal tbem, mas pros defensores do latifundio vale lembrar que a agricultura familiar (84% dos produtores, com apenas 24% das terras cultivaveis do país) é responsável só pela cesta básica do brasileiro (algo sem valor - não tem nenhuma influencia relevante... Dados do IBGE) mas a bancada que mais consegue apoio e mais se articula ( por razões obvias $$$) é a dos latifundiarios. É legitimo - afinal nosso sistema político permite esse tipo de distorção, mas não dá pra encara como ético. Faria um bem danado a imagem de vcs perderem um pouco do corporativismo e se unirem para combater coisas como a degradação no trabalho rural por exemplo, ao invés de tentar fingir que são versões do padre Quevedo e "que nada disto ecxiste..."

  6. Edna Lopes

    27/07/2011 20:49:47

    Verme,Eu assisti o vídeo e compartilhei no Facebook. Agora tenho que continuar a ver o restante.Obrigada por nos dar um pouco mais de luz, trabalhador da escuridão...Que seja longa a sua vida e a de seus descendentes. Que se espalhem como minhoca em solo fértil!!!Hasta la vitória!

  7. Edna Lopes

    27/07/2011 20:42:05

    Chii, Itabera, não tive tempo esta semana e não li seu comentário até agora!Vc. foi injusto. Eu praticamente consumo apenas de pequenos produtores e orgânicos.Pago caro à beça!Por isso mesmo escolhi um modo de vida mais simples. Muito raramente compro em supermercados.E o Verme mais uma vez à frente (tb. não tenho carro e odeio latifúndio) está fazendo o que eu sempre sonhei, criar galinhas...

  8. Edna Lopes

    27/07/2011 19:46:37

    Verme isso é seu?Meus! Vc. é um grande escritooor além de um punk da porra!!!

  9. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    27/07/2011 18:37:46

    Boa tarde Paulo.Você poderia me passar a fonte desse número que você apontou.?Obrigado.

  10. Paulo de Tarso Pereira Gomes

    27/07/2011 17:32:09

    Meu caro intelectuar, pessoas intelijumentas como você é que faz um comentario nesse nivel, meu DEUS op Brasil ta perdido mesmo.

  11. Edna Lopes

    27/07/2011 15:25:52

    Apaixonante, Verme!Já nem consigo mais escrever, vc o faz de forma brilhante o que eu nem consigo esboçar.Acabei virando uma vagabunda do blog, só leio e me deleito...Verme, Verme, Verme... Vida longa a ti e a teus descendentes!

  12. Edna Lopes

    27/07/2011 15:18:57

    Hahahaha! Veeerme...

  13. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    27/07/2011 13:53:15

    Como prometido, vamos lá.Formei-me em Viçosa, 160km de Ouro Preto, e já conhecia por alto, o trabalho do Srº Marcelo.Sou completamente a favor, eu mesmo pretendo fazer isso na minha pequena propriedade, torná-la, em breve, auto-suficiente. Inclusive, podemos fazer etanol de diversos tipos de biomassas; comparado com outras fontes de energia, o etanol é o mais barato, e o que menos depende de tecnologia externa. Isso tem que ser difundido, espalhado, e verdadeiramente implantado no Brasil; não só essa tecnologia, o uso de biodigestores que produzem biogás e fertilizante orgânico, a partir do estrume; a compostagem; a minhocultura, etc. Muito embora elas, ainda sejam extremamente caras, por enquanto inviáveis, para nós manes(kkk), temos a energia solar e eólica.Agora:-Isso não impede que as grandes propriedades e as pequenas sobrevivam em harmonia no sistema agrícola brasileiro, sem as guerras ou a invasão que você descreve acima, sugeri até que você me explicasse, pois não entendi.-Não é culpa dos grandes, que os pequenos, muitas vezes, não produzem nem o necessário para a subsistência. Enquanto tiver no campo produtores, em semi-falência como disse o Marcelo, não adianta mandar mais gente pra lá.Dinheiro ele disse que não falta, e não falta mesmo, disponibilizou-se ano passado R$ 16 bi, via PRONAF, e R$ 5 bi não foram captados. Isso é culpa dos grandes? O BNDES, hoje, já financia pequenos projetos a juros subsidiados.-O MST, a Via Campesina, o MPA, estão longe, mas muuuito longe de serem a solução para a reforma agrária brasileira; pra mim são um atraso, um retrocesso, e que nada agregam ao processo de inclusão agrícola no campo. Basta pegar os dados sobre a produtividade dos assentamentos, ver a quantidade de pessoas assentadas que realmente, vivem da, e na terra que ganharam. Quantos assentamentos realmente são produtivos e includentes? Pouquíssimos. A reforma agrária, nos moldes de hoje, é uma falácia, só serve pra deixar cada dia mais ricos os Stédiles, o Zés Rainhas, outros líderes e alguns aproveitadores.Pra o Sakamoto, a culpa é dos latifundiários, eu não vejo relação ou paralelo nenhum de uma coisa com outra.É isso que eu tenho defendido aqui, um não precisa necessariamente ser extinto para que o outro sobreviva.Defendo com veemência a CAMPANHA SOU AGRO, que foi motivo do texto no blog, a considero uma ferramenta legítima, democrática e perfeita.Se por acaso, em algum momento pareceu outra coisa, me desculpe.Abraço

  14. roberto

    27/07/2011 12:50:19

    sr. vermevi os videos do dr, marcelo o cara e muito inteligente entende de muita coisa i eu cocordo com ele nas afirmaçoes q ele faz as ideias dels sao otimas mais no brasil enquanto as pessoas nao tiverem educaçao para saber o que como e de onde vem como ele sabe e entende (me refiro a educaçao basica tipo primario alfabetizaçao ) jamais vai funcionar isso pq o povo so sabe ve tv ( rede globo principalmente) onde tem a muierada gostsa sexo plena 9 da noite isso faz do povo cada vez mais vamos dizer burrinho pq noa ve oque a contece a sua volta no brasil os politicos alem dos mais corruptos sao os mais inteligentes pq nenhum fala de da escola pq um pais de inteligentes eles jamais iam faze e desfaze do geito q fazem ia acabar a masa de manobra ……. nesse blog tem muita gente deixanod comentrio q e massa de manobra tambem vc pode conferir isso lendo varios comentarios ai acima …….vlw…

  15. roberto

    27/07/2011 12:49:16

    sr. vermevi os videos do dr, marcelo o cara e muito inteligente entende de muita coisa i eu cocordo com ele nas afirmaçoes q ele faz as ideias dels sao otimas mais no brasil enquanto as pessoas nao tiverem educaçao para saber o que como e de onde vem como ele sabe e entende (me refiro a educaçao basica tipo primario alfabetizaçao ) jamais vai funcionar isso pq o povo so sabe ve tv ( rede globo principalmente) onde tem a muierada gostsa sexo plena 9 da noite isso faz do povo cada vez mais vamos dizer burrinho pq noa ve oque a contece a sua volta no brasil os politicos alem dos mais corruptos sao os mais inteligentes pq nenhum fala de da escola pq um pais de inteligentes eles jamais iam faze e desfaze do geito q fazem ia acabar a masa de manobra ....... nesse blog tem muita gente deixanod comentrio q e massa de manobra tambem vc pode conferir isso lendo varios comentarios ai acima .......vlw...

  16. Cão sem dono

    27/07/2011 12:40:35

    Verme, lati..r é comigo mesmo.Aprenda o significado da palavra:Latifúndio [Do lat. latifundiu.]Substantivo masculino.1.Na Roma antiga, grande domínio privado da aristocracia.2.Grande propriedade rural que tem grande proporção de terras não cultivadas e é explorada com técnicas de baixa produtividade. [Opõe-se a minifúndio.]A primeira definição se assemelha mais com o Palacio do Planalto, não?Como não estamos falando de Roma Antiga nem Brasilia, ficamos com a definição nº2:Voce deve saber que os grandes latifundiarios do Brasil são o proprio Estado e os indios. Ambos têm milhões de hectares absolutamente improdutivos no país. Não produzem nada e não recolhem nada de imposto obviamente. Ah, e não zelam pela fauna e flora também.Um proprietario particular ou empresa que possua uma grande propriedade, somente por demencia iria imitar o Estado e os indios, isto é, deixar de explora-la ou usar técnicas de baixa produtividade no seu cultivo.Vejo que a palavra latifundio, entre muitas outras, foram deturpadas por interesses partidarios ao longo dos ultimos anos. Provavelmente na edição do Aurelio de 2050 virá assim:Latifúndio [Do lat. latifundiu.]Substantivo masculino.1.Na Roma antiga, grande domínio privado da aristocracia.2.Grande propriedade rural particular que produza ou não,que se enquadre na legislação ou não, cujos proprietarios devem ser eternamente estigmatizados por toda a sociedade e penalizados severamente pelo Estado até a exaustão para cair em dominio publico.[Hist] Invasões quaisquer a essas propriedades passaram a ser formalmente admitidas pelo Poder Publico a partir de 2015.

  17. João R.

    27/07/2011 12:00:10

    Parabéns Ciro, o que um ambientalista desse entende principalmente esse Sakamoto ele não se lembra nem o que comeu no almoço, esse pessoal é o puro retrocesso do mundo .

  18. Paulo de Tarso Pereira Gomes

    27/07/2011 09:58:50

    Meu caro, então convença o governo Dilma para financiar tudo isso aos pequenos agricultores, seria como descobrir como tornar realidade o moto-continuo, todos nos humanos iriamos agradecer seu empenho em impor ao governo em adotar para todos pequenos agricultores essa alternativa que no seu entender é real e não se esqueça da grana que o governo tem que investir, caso contrario vamos cair na real porque tem muita gente passando fome no mundo..

  19. Paulo de Tarso Pereira Gomes

    27/07/2011 09:13:04

    Algumas ponderações que vou fazer vale para minha região e outras também, sou pequeno agricultor, como não tenho condições de produzir em escala, optei pela fruticultura de qualidade e valor agregado, sou banicultor e tenho um pomar de banana prata com blitz na faixa de 30 e a fruta muito saborosa e de bom mercado, levamos aqui na região uns 30 anos para ganharmos mercados (isso com vários produtores associados) agora vem em cima de nós essa boba relógio das APPS de topo de morro, sendo que nossos pomares estão inseridos nelas em mais de 80 %, além da banana tem os cafés de qualidade também ameaçados de erradicação pela lei vigente e os ecologistas e ambientalistas profissionais e os "espertinhos

  20. verme

    27/07/2011 01:20:04

    Combinado.Agradeço a resposta e a sinceridade.

  21. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    27/07/2011 01:16:30

    Comento os vídeos do Drº Marcelo, assim que puder.Dá uma olhada no vídeo que coloquei também.Aqui estão os links:www.youtube.com/watch?v=X67pkmBb050Esse aqui também é legal:www.youtube.com/watch?v=KxLfFfijLacAbraço.

  22. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    27/07/2011 01:10:05

    Esse texto, responde o seu primeiro.É verdade Verme.Eu sou um que reclamo das generalizações, acho que são burrice. O burro da vez fui eu.. kkk.. Somos combatidos/culpados especificamente neste momento, neste texto do Sakamoto(Culpados por nos defendermos na TV).Não, não sou latifundiário, sou engenheiro agrônomo, empresário do ramo de insumos agrícolas(Para latifundiários, e também para pequenos agricultores), também sou pequeno horticultor, por enquanto(Um dia, em breve, serei grande).Entretanto, não vejo as grandes propriedades, e os grandes agricultores como um mal a ser combatido no mundo. Há mais de 15 anos trabalho com agricultura e posso dizer com propriedade que não somos um mal.Tem umas questões que coloquei pra você acima, depois dá uma olhada.Valeu, abraço.Sobre os vídeos, já os vi, excelentes, com algumas ressalvas, que farei depois.

  23. verme

    27/07/2011 00:57:29

    Outra coisa, Motosserra,Vai ser impossível você entender minha fala se não souber qual meu ponto de partida.Há várias experiências de pequenos produtores orgânicos bem-sucedidos, que, progressivamente, poderiam reconfigurar o modelo de produção agrícola, fazendo, ao mesmo tempo, uma reforma agrária (principal entrave para mudança de paradigma).Mas isso é blablablá, é pouco palpável, imagino.Olha só, postei o vídeo de Marcelo Guimarães e você não fez sequer UM único comentário sobre ele, você, que diz saber tanto sobre agricultura (que você coloca como algo absoluto, genérico, como se só existisse UMA agricultura, A agricultura... lorotas!).Vou responder a suas questões, que são pertinentes e vão demandar tempo, sem grilos.Mas você nos deve um comentário sobre o vídeo do professor Marcello, ainda que seja pra descer a lenha.Seriam interessantes seus pensamentos sobre "alternativas" para a agricultura convencional. Esfregar na nossa cara que você sabe tudo sobre A agricultura e que, por isso, ninguém teria moral para dar um pitaco, parece um jeito fácil de você fugir do assunto. Veja o vídeo e comente. Nos dê a chance de rebater tuas ideias num nível que possamos acompanhar...Pra encerrar, digo o seguinte: o professor Marcello Guimarães não era um mané como este verme ou você.Falecido recentemente, era formado em Geologia na Escola de Ouro Preto, participou do Pró-álcool e dirigiu a Acesita Florestal em Minas Gerais. Foi o primeiro civil a exercer o comando do DNC - Departamento Nacional de Combustíveis, presidiu a Agência Nacional de Petróleo no governo Itamar Franco. Foi Superintendente de Florestas da Vale do Rio Doce.O vídeo é a segunda parte de uma sequencia de 6. Dá pra pular a primeira, sem problemas.Vamos ver...http://www.youtube.com/watch?v=OzOPusidgow

  24. Paulo Barcelos

    27/07/2011 00:10:28

    Eu sou agro ou eu sou agrotóxico ? No pais que mais se consome agrotóxico 5,2 litros por habitante, dos quais boa parte são proibidos a comercialização na Europa e nos Estados Unidos, paises que produzem estes venenos e regulam o nivel de toxicidade de todos alimentos que importam, claro o veneno é bom no bucho dos outros. Somos o paraiso da Bayer, monsanto, Dupont,etc. que recebem incentivos fiscais do governo e garantias de comercilização de seus venenos quando os bancos financiadores da safra obrigam os produtores a apresentar notas de compra de agrotóxicos, fertilizantes e sementes trangênicas como garantia de grande safra. Não seria mais coerente dizermos que somos agrotóxico ?Antes que eu esqueça assistam o filme do genial Silvio Tendler “o veneno está na mesa”.Paulo Barcelos.

  25. verme

    26/07/2011 23:44:50

    "Acham que tem que culpar alguém, por alguma coisa, e hoje somos nós, os “alimentadores do mundo”, os culpados da vez."Essa sua frase é uma falsa generalização, Motosserra.A não ser que você seja um latifundiário.É isso?Você é latifundiário?

  26. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    26/07/2011 22:48:35

    VIVA KATIA ABREU.. RONALDO CAIADO.. ALDO REBELO.. GIOVANA ANTONELLI.. E LIMA DUARTE... KKK

  27. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    26/07/2011 21:53:38

    Verme, algumas questões:-Porque o latifúndio faz do campo e da cidade um inferno.?-Porque o latifúndio é a invasão do campo na cidade.?-Que tecnologia de guerra é essa pra destruir o mundo.?Algumas "correções":-Na na nina nãnã, os defensivos agrícolas não nos intoxicam dia após dia, você não deve conhecer suficientemente a vida no campo; talvez conheça alguns casos, como o do agricultor abestado que usou Tordon na floresta amazônica, e outros poucos exemplos de alguns péssimos agricultores que usam indiscriminadamente os defensivos. Esses são exceções, não a regra.-Os defensivos agrícolas, a cada dia, estão mais modernos, mais específicos, menos tóxicos, com doses menores(Ex.: um dos substitutos do Tordon, o Ally, tem dose de 4 a 10 gr por hectare). As próprias fabricantes têm tirado do mercado produtos com alta classificação toxicológica e ambiental.-O modelo tecnológico usado nas grandes propriedades tem sido cada vez mais agroecológico, menos impactante; milhões são gastos todos os anos em pesquisas para desenvolver tecnologias limpas e modernas. Impacto ambiental "zero" não existe, mas pelo benefício que a agricultura traz ao mundo, resta-nos tentar minimizá-los; e estamos tentando, com plantio direto, rotação de cultura, manejo integrado de pragas e plantas daninhas.-A produção em escala não é necessariamente um lixo, por isso a maioria dos produtos agrícolas e minerais são chamados de "commodities", a classificação é homogênea. Fosse assim deveríamos fechar todas as fábricas que produzem em escala.-Os produtos agrícolas são comida de verdade sim, 99% da sua alimentação diária vem do AGRO, soja/milho/canola/girassol em forma de carne, ou óleos, cana na forma de açucares, sem falar no feijão com arroz nosso de cada dia.Algumas concordâncias:-Sim, eles aumentam a produção visando o lucro, pois o ganho é na escala, como o lucro na agricultura é de centavos por unidade produzida, pra ter retorno financeiro tem que se produzir muito. Pra mim tudo bem.-Sim, musica sertaneja moderna não é musica caipira, gosto de ambas. kkk.Valeu.kkk.

  28. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    26/07/2011 20:44:22

    Não acho que seja inveja Cão sem dono.É desinformação mesmo, não fazem nem idéia do que seja uma lavoura, um pé de feijão, um trator, uma vaca e afins..Não sabem, ou fingem que não sabem, que de tudo de comem 99% vem do AGRO.Acham que ainda é usado DDT e BHC nas lavouras..Acham que se, de hoje em diante, não for mais plantado um pé de soja, milho, arroz, feijão, cana ou algodão, ainda terão o que comer e o que vestir amanhã.Acham que tem que culpar alguém, por alguma coisa, e hoje somos nós, os "alimentadores do mundo", os culpados da vez.Sugiro que veja esse vídeo: www.youtube.com/watch?v=X67pkmBb050Sugiro que vejam esse vídeo, alguma verdades pra quem não conhece o campo e a agricultura.Valeu.

  29. verme

    26/07/2011 19:25:34

    Muito interessante tua denúncia, Paulo.Posta os links, vale a pena todo mundo conferir.Té mais.

  30. verme

    26/07/2011 19:20:00

    Quanto a suas últimas frases...Não entendi.Você se diz do campo mas está no mundo virtual.Você não deveria estar trabalhando, ô vagabundo!Assim não vai ganhar nem um tostão.

  31. verme

    26/07/2011 19:17:36

    Sou urbano e odeio.Eu não sou intelectual coisa nenhuma, sou um mané como você, só que duvido do óbvio.Morro de inveja do mundo agro.É o latifúndio que faz do campo e da cidade um inferno.São os agrotóxicos que nos envenenam dia após dia, no campo e na cidade.O latifúndio JÁ É A INVASÃO da cidade sobre o campo.O latifundiário é um empresário, como qq um da cidade.Ele aumenta a produção visando lucro, produzindo em larga escala e dane-se a qualidade. Compra-se porque não se tem opção ou porque a produção será usada para produzir mais lixo (outros alimentos tóxicos).A produção em massa não tem qualidade, é lixo.Do mesmo jeito que sertanejo não é música caipira, latifúndio não é agricultura, nem seus produtos são comida de verdade.Morro de inveja do mundo agro porque ainda não existe.Ele deve ser o fim da divisão entre campo e cidade, deve ser a integração da produção de alimentos e do ambiente verde com o conhecimento e a alta tecnologia não impactante.Fora com a tecnologia de guerra usada no campo para destruir primeiro os camponeses e, depois, os homens da cidade!

  32. verme

    26/07/2011 19:06:09

    Itabera,Ótimo comentário.Percebo que todos os comentários que vieram de pequenos produtores me criticaram de alguma maneira.Então falta dizer algo:Eu sou TOTALMENTE A FAVOR DA PEQUENA PRODUÇÃO, acho que ela deve substituir o latifúndio.No meu entender só ela produz alimento saudável, respeitando o ambiente. Aliás, é justamente porque respeita o ambiente que é saudável.Mas na atual situação política, é claro que não dá pra exigir que os pequenos só produzam orgânicos.Somos obrigados a comer porcarias.Mas não é porque a situação esteja assim que ela terá que ser SEMPRE assim.É isso.Vocês conhecem o agrônomo e geógrafo Marcelo Guimarães?Ele bolou o AUTODESENVOLVIMENTO, que, preservando o meio ambiente, produz etanol (200 l/dia), alimentos, gado (60 cabeças), cachaça e açúcar em míseros 6ha, preservando o ambiente, usando o próprio etanol para mover o maquinário e iluminar a propriedade. E sobra para vender (ou distribuir...).Sem agrotóxico.Alta tecnologia.Alimentos e etanol.Para pequenos.E é barato.Não funciona?Por que será?Dêem uma olhada no vídeo, tem a continuação no Youtube:http://www.youtube.com/watch?v=OzOPusidgowAbraço sincero, de quem quer ver o Brasil como o país mais justo do mundo.Odeio supermercados, latifúndios e automóveis.Amo a terra e sei que tenho que conhecê-la melhor.Já plantei alfaces e crio galinhas pra consumo próprio (o que é ridículo, mas não me digam que não sei o valor da terra).

  33. verme

    26/07/2011 18:28:02

    Clap!(Ué? Cadê o eco? Ninguém mais vai aplaudir? Que chocho...)

  34. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    26/07/2011 14:22:21

    Graaaças a Deus estamos em um país democrático, igual a Itália, e eu não preciso me preocupar com isso, nem você, nem o Sakamoto.Sofri um pouco do bullyng na infância, mas opressão não, que bom pra mim.Mas não vou defender um cidadão que, pelo motivo que for, sai por aí matando alguns, e aleijando outros , me desculpe, isso eu deixo pra você(Mas sugiro que deixe pra outro texto, aqui é agricultura). MATAR outra pessoa é um coisa deplorável, inaceitável, em qualquer circunstância, em qualquer situação, principalmente por covardia (pelas costas) com foi um dos crimes do italiano, não me peça pra apoiar isso.Agora a agricultura, essa frase foi ótima: "se você não vive não sente, se não sente não sabe, se não sabe não julga.", isso vale pra você, que não tem a mínima idéia do que seja agricultura, nunca viveu, nunca sentiu e (Como eu já disse inúmeras vezes) NÃO SABE DE NAAAADA, então não lhe dou o direito de julgar(Ohhh) qualquer agricultor(Grande ou pequeno).*Além de perdoar eu dou direitos.. kkk*Minha obsessão vem do fato de eu saber do que estou falando, EU VIVO, EU SINTO, EU SEI, por isso JULGO, coisa que você não pode dizer, pois não vive, não sente, e não SAAAABE.Sem saída não fiquei e nem fico, já disse aqui, e repito: A BURRICE É UM DIREITO QUE LHE ASSISTE e remete à minha evasão que vem de sua incapacidade de entender as coisas. Não vou ficar ensinando que não tem capacidade para aprender, ou não a tem pelo menos pra fazer uma análise sem paixões e com conhecimento de causa.Tudo o que eu disse no blog é a VERDADE PURA E SIMPLES, coisas que faltam no texto do Sakamoto e nos seus, como eu já demonstrei com ARGUMENTOS, DADOS e FATOS.Usei aqui, VERDADES, ARGUMENTOS, DADOS, FATOS(Um dever meu né) e algumas ironias(Um direito meu né), você acredita se quiser.Vou aguardar suas respostas ansiosamente.Lembrando, o texto é sobre agricultura e agricultores, salários, defensivos, e as mentiras do Sakamoto e minhas verdades(Ohhh).kkk

  35. MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO)

    26/07/2011 13:13:36

    Obrigado Paulo.Sou agronônomo, e agricultor, sei bem do que você falou no seu texto.Valeu.

  36. Cão sem dono

    26/07/2011 13:02:20

    Observando melhor o comportamento destes intelectuais urbanos que pensam que os agricultores vieram ao mundo para servi-los, fornecendo alimentos baratos e pagando as suas contas da poluição que fazem nos centros urbanos, percebo que na verdade eles MORREM DE INVEJA DO AGRO-MUNDO...Todos manhãs, por mais que o Governo e a sociedade urbana tenha nos enchido o saco no dia anterior, acordamos bem dispostos para trabalhar, ouvindo o som da roça, ao cheiro do cafézinho, do chimarrão...Então ligamos a TV ou acessamos a Internet pra saber das cotações de nossos produtos e esbarramos nas noticias sobre a vida nas metróples brasileiras:Trânsito, bala perdida, sequestros, falcatruas, recordes de vendas de automóveis-novos-que-tem-os-maiores-preços-do-mundo e os bobos continuam a comprar, e os jornalistas-comentaristas (cuja unica experiência com agricultura foi aquela do feijãozinho no algodão molhado) emitindo opiniões imbecis sobre como cuidadr da natureza, nosso mundo, a milhões de brasileiros adultos que, por sua vez, não tiveram o feijãozinho nem o professor pra fazer a experiência.Neste momento pensamos: Que pena é viver na cidade grande! Coitado de quem não pode morar no interior, no campo, no cerrado, na mata, no mato... Só lhes resta nos invejar e tentar tornar o nosso AGRO-MUNDO um inferno também... como o deles!Não ajam assim. O Brasil é grande e tem espaço pra brasileiro que quer morar e trabalhar no campo com dignidade. Terá espaço enquanto a sociedade não tranformar tudo em reservas indígenas e florestais.Só que é preciso trabalhar ... Ninguém vai lhes pagar um tostão pra ficar debruçado no computador escrevendo bobagens.Aqui o mundinho virtual não funciona muito bem...

  37. ITABERA

    26/07/2011 11:58:29

    ITABERA disse:26/07/2011 às 11:07ACHO TUDO ISTO DE PEQUENA PROPRIEDADE, AUSENCIA DE AGROTOXICOS, ORGANICOS E TUDO O MAIS RELACIONADO MUITO BONITO.MAS P/ FUNCIONAR, VCS, VERMES EDNAS ETC, TERIAM QUE PAGAR UM PREÇO JUSTO POR ESTE TIPO DE MERCADORIA, QUE REALMENTE CONSOME MUITA MÃO DE OBRA, E QUE P/ SER JUSTO TERIA QUE TER UM SALARIO MELHOR QUE O LATIFUNDIO TÃO (ENDEMONIADO) NO SEU PONTO DE VISTA.MAS A REALIDADE NUA E CRUA NÃO É ESTA.PODE FUNCIONAR (MALEMÀ), COMO DIRIA MINHA AVO, PROXIMO DOS GRANDES CENTROS MAS A REALIDADE DOS PEQUENOS É MUITO DIFERENTE.DIGO ISSO POR QUE SOU PEQUENO PROPRIETRIO, ASSIM COM MEU PAI, E NÃO CONSEGUIMOS SOBREVIVER DE NOSSAS PROPRIEDADES POR NÃO TERMOS UM PREÇO JUSTO P/ NOSSA MERCADORIA E QUE VCS, VERMES E EDNAS DE LATA, SÓ SABEM FALAR SOBRE O QUE NÃO CONHECEM MAS NÃO ESTÃO DISPOSTOS A POR A MÃO NO BOLSO P/ TER ALIMENTO SAUDAVEL E QUE EMPREGUE COM SALARIO JUSTO O TRABALHADOR

  38. ITABERA

    26/07/2011 11:07:42

    ACHO TUDO ISTO DE PEQUENA PROPRIEDADE, AUSENCIA DE AGROTOXICOS, ORGANICOS E TUDO O MAIS RELACIONADO MUITO BONITO.MAS P/ FUNCIONAR, VCS, VERMES EDNAS ETC, TERIAM QUE PAGAR UM PREÇO JUSTO POR ESTE TIPO DE MERCADORIA, QUE REALMENTE CONSOME MUITA MÃO DE OBRA, E QUE P/ SER JUSTO TERIA QUE TER UM SALARIO MELHOR QUE O LATIFUNDIO TÃO (ENDEMONIADO) NO SEU PONTO DE VISTA.MAS A REALIDADE NUA E CRUA NÃO É ESTA.PODE FUNCIONAR (MALEMÀ), COMO DIRIA MINHA AVO, PROXIMO DOS GRANDES CENTROS MAS A REALIDADE DOS PEQUENOS É MUITO DIFERENTE.DIGO ISSO POR QUE SOU PEQUENO PROPRIETRIO, ASSIM COM MEU PAI, E NÃO CONSEGUIMOS SOBREVIVER DE NOSSAS PROPRIEDADES POR NÃO TERMOS UM PREÇO JUSTO P/ NOSSA MERCADORIA E QUE VCS, VERMES E EDNAS DE LATA, SÓ SABEM FALAR SOBRE O QUE NÃO CONHECEM MAS NÃO ESTÃO DISPOSTOS A POR A MÃO NO BOLSO P/ TER ALIMENTO SAUDAVEL E QUE EMPREGUE COM SALORIO JUSTO O TRABALHADOR RURAL.

  39. Paulo de Tarso Pereira Gomes

    26/07/2011 10:41:40

    MOTO_SERRA_DE_PRATA(AGROCIDADÃO) disse:23/07/2011 às 21:02Muito bom seu comentário, só que os inocentes uteis urbanoides nãoi vão entender e não adianta contesta-los, quanto ao bloqueiro que não tem nada de bobo e esta faturando o seu tranquilamente.

  40. Paulo de Tarso Pereira Gomes

    26/07/2011 09:49:03

    Infelizmente os comentários na sua maioria são extremamente radicalizados, são alguns intelectualizados demais e outros técnicos de mais, mas na realidade querem mostrar de forma erudita suas posições, enquanto nós os pequenos agricultores que somos a maioria em todo Brasil somos esmados pelos ambientalistas e ecologistas e também pelos grandes proprietários de terras, estão até discutindo o salario de um tratorista comparado com a de um professor, na minha opinião que é de um agricultor que nem terminou o primeiro grau é que o Deputado Aldo Rebelo é o único que defendeu os pobres e oprimidos agricultores familiares, que são constantemente atacados, presos e processados por essa gang de ambientalistas urbanos e promotores malucos e prepotentes.

  41. Neiva

    26/07/2011 09:48:44

    Lê o texto de lá de cima (aquele em que você discute primeiro com Vinícios depois comigo).

  42. Neiva

    26/07/2011 09:44:04

    Oi Verme!Valeu pelo retorno.Vou verificar o site do MST.Vejo que você se interessa por política e tem conciência do que nossa sociedade está passando, gostaria de pedi-lo algumas dicas de sites ou blogs pra visitar e ouvir opiniões sobre nosso país, é que a maioria das pessoas que eu conheço não se importam muito e essa é a minha única fonte no momento...Emfim, se tiver alguma dica ela será muito bem vinda!Té mais!Abraço.

  43. Neiva

    26/07/2011 09:33:09

    Olá senhor Motosserra!Deve ser tão fácil pra você! ficar aí sentado sentenciando, provavelmente com a bunda imersa numa poutrona confortável, vivendo com sua mulher e filhos, enfim, tendo um lar.Lembre-se, pense muito bem nessa frase ''um homem é ele e mais as circunstâncias'' você provavelmente não sabe o que é ser oprimido, não viveu mergulhado no caos em plena guerra, sua família deve correr um risco concideravelmente menor de lhe ser arrancada, morta e torturada.Resumindo: se você não vive não sente, se não sente não sabe, se não sabe não julga.Quanto as outras questões que você abordou (incluindo as do texto em que recebi o seu valioso perdão), eu terei prazer em analisálas, responde-las, e deixa-lo sem nenhuma dúvida, além receber seus argumentos corrigi-los e quem sabe, talvez aceita-los (o que fica difícil com sua maneira evasiva e obcecada).Mas o senhor terá que ser paciente, minhas férias estão acabando e só tenho agora uma semana para resolver e fazer algumas coisas, prometo que voltarei assim que puder, pois é ótimo colocar e análisar os fatos e melhor ainda é deixa-lo sem saída e sem argumentos como fiz na discurção do código.Ah!como foi bom!Então, lá vamos nós!Abraço!

  44. Paulo de Tarso Pereira Gomes

    26/07/2011 09:27:34

    Caro bloqueiro, sou um pequeno produtor rural, na minha região 90 % das propriedades são abaixo de 25 hectares, estamos numa região montanhosa e por consequência nossas principais culturas estão na maior parte em apps, veja bem o que acontece, os homens endinheirados com a desculpa de serem ecologistas e ambientalista estão comprando pequenas propriedades para formarem grandes propriedades, os agricultores sendo tratados como "bandidos" pelo ibama e autoridades fajutas ligadas a ONGs que com mentiras nos querem destruir, vejo no relatório do Deputado Aldo a nossa unica defesa contra o poder e as mentiras das ONGS e ambientalistas inconsequentes e mentirosos, quanto ao relatorio do Aldo, fica aqui meu agradecimento pela sua sensibilidade e coragem de enfrentar pessoas como o bloqueiro poderoso e principalmente dos financiadores da campanha do Lula. .

  45. Mauricio Bueno

    26/07/2011 08:38:08

    SakamotoHoje você já deixou de tomar banho para economizar o planeta, já abriu mão do seu ar condicionado no escritório e no carro?Sabia que parte desta energia vem da cana?Já diminuiu as calorias da sua dieta para favorecer um faminto? Já deu um dinheirinho para uma criança comprar crack?Já prestou mais atenção para não errar na hora de imprimir um documento e gastar uma folha a mais e até usar a folha dos dois lados? Já retirou o dinheiro de suas aplicações na bolsa ou na dívida pública para doar a alguém que precisa?O agronegócio vem carregando o país e você fica neste comentário infantil, pensando que o leite, a carne e tudo mais o que precisamos para manter a nossa vida vem da prateleira. Acorda cara.

  46. verme

    26/07/2011 03:58:24

    Não deixe de escrever pra esse moço, hein?Ou você vai continuar com bafo de lixo.Alguém precisa cuidar de você, vira-lata.Se te pegam de jeito, você vira sabão.

  47. verme

    26/07/2011 03:50:57

    Tá sem dono, né?Judiação...Ó,Esse moço aí embaixo sempre fala coisas legais, ele é um cara legal.Ele vai te adotar... com certeza!http://nanoberger.blogspot.com/

  48. produtor brasileiro

    25/07/2011 23:00:42

    aplaussos a o seu comentario Rubens !!!

  49. produtor brasileiro

    25/07/2011 22:42:59

    Concordo plena mente cotigo ciro, parece que estes comentarios são de pessoas que só conhecem agricultura por fotografia! Sou produtor e veijo com preucupação estes comentarios absurdos condenando o agronegocio de maneira eronea totalmente "ignorantes" eu convidaria estas pessoas a acompanharem as atividades dos agricultores brasileiros para poderem ai sim terem opiniao formada ,pois o que me parece 'e estas pessoas nao tem maturidade !

  50. roberto

    25/07/2011 22:41:25

    ola meu nome e roberto sou agricultor semi analfabeto nao sou cheio de estudos e doutorados sou de terra roxa no parana .. a vc nao sabe onde fik isso ta procurando ai google maps ne.... entao produzo anualmente 780000 kg de alimento q vc come e todos as pessoas q ai nese blog opinao sem nem mesmo saber com c planta um pe de alface axistem falhas no setor agricola sim assim como em todos os setores mais e minoria bem minoria nao ha como alguem q nem sabe de onde vem oq come opinar sobre seus metodos de produçao pq garanto a vcs q ai nesse blog c mostram tao preocuados com a natureza tao preocupados em axar um culpado pro fim do mundo nao vao um dia c quer ape m algum lugar pra nao polui nao c quer fecham a torneira nao hr de escovar os dentes nossa desligar o ar condicionado no verao jamais... meu vem aqui minha propriedade e depois tire suas conclusoes ver ver oq e ser preocupado com a natureza pq fik escrevendo e falando nao resolve nada ..obs; c vc nao tem dinheiro pra vim nem sabe onde fik eu pago suas despesa fik sussegado... c informa melhor antes de falar algo generalizando de uma classe todaabrigado por ler...dr.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso