Topo
Blog do Sakamoto

Blog do Sakamoto

Categorias

Histórico

Já estou preparado para uma vida sem água. E você?

Leonardo Sakamoto

18/09/2014 08h36

Minha mãe disse que, quando acabar a água do sistema Cantareira, que abastece a região onde moro aqui em São Paulo, posso ir tomar banho e lavar roupa na casa dela, suprida pelo sistema Guarapiranga.

A pergunta não foi um cutucão político, pois ela não acompanha muito os debates da vida pública. Creio que teve motivação mais prosaica. Pois, dessa forma, pode ver mais o filho que anda tão ocupado que não tem mais tempo para comer as coxinhas e as empadinhas que ela faz.

Perguntou quando isso deve acontecer. No que respondi, final de outubro.

– Mas isso é logo depois das eleições, né?
– É…
– Mas o pessoal sabe disso?
– Sabe…

Fazendo reportagens pelo interior do Brasil, tive que, por vezes, me virar com pouca água limpa e muitos baby wipes.

Em Timor Leste, numa incursão mato adentro, fiquei cinco dias sem banho. Não me pergunte como.

Realizando coberturas em áreas desérticas ou áridas, aprendi truques milenares para usar um cantil por dia para tudo.

Reaproveitar roupas usadas sem precisar lavar é uma arte.

Usar paninhos com produtos de limpeza que dispensam água em móveis e no chão, um conhecimento útil.

Captar água das raras chuvas para regar plantas, ecologicamente bonito.

Limpar pratos sem água, um sucesso.

Não tenho carro, então dane-se a mangueira. Bike suja é bike de luta.

Rasparei o cabelo. Direi que é charme.

Suco? Chupe fruta!

Café? Coma o pó!

Regar plantas? Flores secas são lindas.

Dar descarga, para quê? Deixa juntar, oras! Deu nojinho? São Paulo é para os fortes, mano!

E aprenderei as técnicas de Pai Mei a fim de controlar a transpiração.

Se tudo falhar, comando uma marcha dos paulistas bons em direção à Terra da Água Prometida. Afinal, somos ou não um povo bandeirante? Pode ser Rondônia, onde transformaremos tudo em um grande shopping center. O Acre será o estacionamento.

É isso.

Vem em mim, novembro, que estou pronto para você.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

É jornalista e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Cobriu conflitos armados em diversos países e violações aos direitos humanos em todos os estados brasileiros. Professor de Jornalismo na PUC-SP, foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York (2015-2016), e professor de Jornalismo na ECA-USP (2000-2002). É diretor da ONG Repórter Brasil, conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão e comissário da Liechtenstein Initiative - Comissão Global do Setor Financeiro contra a Escravidão Moderna e o Tráfico de Seres Humanos. É autor de "Pequenos Contos Para Começar o Dia" (2012), "O que Aprendi Sendo Xingado na Internet" (2016), entre outros.